Afinal, como funciona o estágio em EAD?

  • 23/nov/2017

Afinal, como funciona o estágio em EAD?

O estágio é um dos momentos mais importantes da faculdade. É nele que o estudante coloca em prática tudo o que foi ensinado na teoria durante o curso superior. Assim, é possível saber se aquele é realmente o futuro que ele espera da sua profissão. Além disso, é uma oportunidade de criar novos contatos e abrir as portas para o mercado de trabalho.

Vários estudantes já entram na faculdade ansiosos para conseguir um estágio, seja para ganhar dinheiro ou para colocar seus conhecimentos em prática. O problema é que muitos não sabem como exatamente funciona esse processo e acabam ficando perdidos no meio do caminho, principalmente nos cursos a distância.

Se você tem interesse em ingressar em uma faculdade a distância e não sabe como funciona o estágio em EAD, estamos aqui para tirar todas as suas dúvidas! Confira a seguir as perguntas mais comuns sobre o assunto!

Quais são as vantagens do estágio?

Imagine o seguinte cenário: você faz um curso superior durante 5 anos em uma faculdade, consegue seu diploma e, ao ingressar no mercado de trabalho, descobre que as coisas não são exatamente como aquilo que você estudou na teoria. No fim das contas, você percebe que aquela não é a profissão que você esperava.

Seria uma grande decepção, não é mesmo?

Pois saiba que é muito comum que a teoria aprendida na faculdade não bata com a prática. Isso obviamente não quer dizer que elas sejam totalmente diferentes uma da outra. É claro que a teoria é muito importante para o exercício de qualquer profissão, mas é inevitável que existam algumas diferenças entre ela e a prática.

Para evitar que o aluno descubra essas diferenças apenas depois de estar formado, existe o estágio profissionalizante: uma forma de aliar as duas coisas durante a faculdade.

O estágio funciona como um emprego, colocando o estudante diretamente em contato com o trabalho que vai realizar no futuro. Dessa forma, ele poderá verificar se aquilo é realmente o que ele esperava.

Além desse contato real com o seu ofício, o estágio também apresenta diversas outras vantagens. Nele, os estudantes podem começar a formar sua rede de contatos, pois estarão convivendo diretamente com profissionais do ramo. Também é possível criar vínculos com outros estagiários que têm os mesmos interesses que você, o que pode proporcionar oportunidades únicas para o futuro.

O estágio, acima de tudo, é uma forma de aprimorar suas habilidades na área, de modo que, ao formar, você já vai conseguir ingressar no mercado de trabalho com uma boa carga de experiência, colocando-se à frente de outros concorrentes.

Por fim, o estágio muitas vezes é remunerado, garantindo uma renda extra durante a faculdade e, caso a empresa ou órgão em que você estiver trabalhando gostar do seu serviço como estagiário, é possível que eles queiram contratá-lo logo depois da formatura, efetivando-o como empregado.

Qual a diferença entre estágio obrigatório e não obrigatório?

Como já falamos no tópico anterior, o estágio é uma forma de garantir que o estudante saiba como funciona a prática da sua profissão. Dessa forma, as instituições de ensino superior devem garantir que essa atividade seja realizada em algum momento do curso, ainda que não seja do interesse dos alunos.

O estágio obrigatório serve para materializar essa garantia. Ele integra a carga horária do curso, de forma que o estudante precisa cumpri-lo para conseguir se formar. Em outras palavras, o estágio obrigatório supervisionado faz parte do curso superior. Sem ele, não é possível obter o diploma.

Algumas faculdades possuem convênios específicos com empresas, órgãos e escolas onde esse estágio pode ser realizado. Nesses casos, é comum que o estudante não receba nada por sua atividade.

Um exemplo disso são os núcleos de assistência jurídica de algumas faculdades de Direito: os alunos são obrigados a atuar dentro desses núcleos para entrarem em contato com a prática jurídica. Não se trata de um estágio remunerado, pois essa atividade é considerada como uma “matéria”, requisito para conclusão do curso.

Existem casos em que o estágio obrigatório é remunerado ou convertido em bolsas pela faculdade, mas isso varia de instituição para instituição. É preciso entrar em contato com a sua faculdade para saber se o estágio obrigatório pode ser remunerado ou não.

Já o estágio não obrigatório é aquele que não integra a carga horária do curso superior. Ele é feito por opção do aluno que deseja aumentar seu conhecimento e suas habilidades. Na maioria das vezes, ele é remunerado pela própria empresa concedente.

Ainda que seja uma atividade opcional, o estágio não obrigatório deve ser autorizado pela faculdade e deve seguir as normas que regulamentam o trabalho do estagiário, ou seja: não pode ultrapassar a carga horária de 6 horas diárias e deve estar de acordo com as diretrizes do ensino superior.

Mesmo não fazendo parte da carga horária do curso, o estágio não obrigatório pode contar como atividade complementar na faculdade.

Por fim, vale mencionar que, em alguns casos, o estudante pode conciliar o estágio não obrigatório com o obrigatório, caso a faculdade e as empresas permitam. Isso acontece porque, muitas vezes, o estágio obrigatório exige que o aluno trabalhe em apenas um dia da semana.

Como funciona o estágio em EAD?

Os cursos a distância seguem as mesmas regras que os presenciais. Para se formar, o aluno precisa cumprir uma carga horária específica de estágio obrigatório supervisionado.

Para isso, é preciso imprimir um documento oferecido pela faculdade — termo de compromisso de estágio — e apresentá-lo à empresa que está concedendo o estágio. A empresa pode ser, ou não, conveniada com a instituição de ensino.

O termo deverá ser assinado pela concedente e pelo estudante. Depois, deverá ser entregue na faculdade para formalizar o estágio. Caso o estudante more em outra cidade, ele poderá digitalizar o documento com as assinaturas e enviar por e-mail.

Assim que a faculdade receber o termo de compromisso de estágio, ele será avaliado por um orientador — responsável pelo acompanhamento do estagiário — e, se for aprovado, o estudante já poderá começar a trabalhar.

Vale ressaltar aqui que, ainda que o estágio não seja obrigatório, a faculdade exige essa formalidade, pois essa é uma atividade que deve ser sempre autorizada, ainda que seja mera opção do estudante.

Durante o período de estágio, a faculdade deverá colher relatórios tanto do estagiário quanto da empresa concedente para avaliar como está sendo a experiência do estudante. Assim que a carga horária for cumprida, o aluno deverá apresentar um relatório final e o termo de realização do estágio com a sua assinatura e a da parte concedente para que o processo se encerre.

É durante o estágio que os estudantes dos cursos superiores mais aprendem, pois esse é o momento em que todo o conhecimento adquirido na teoria é colocado em prática. Por isso, é importante correr atrás dessa oportunidade o quanto antes. Afinal, essa é a melhor forma de aproveitar tudo o que a graduação tem a oferecer!

Esperamos que este post tenha solucionado todas as suas dúvidas sobre o estágio em EAD! Se você gostou, aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de muitos outros conteúdos como este!