Entenda o papel do profissional de gestão hospitalar

  • 28/ago/2017

Entenda o papel do profissional de gestão hospitalar

A área da saúde sempre foi uma das mais promissoras entre várias carreiras. Não apenas pelo fato de a saúde ser essencial à vida, mas pela evolução da ciência. Outra forma de evolução — a da gestão — tem sido a responsável pelo surgimento de uma carreira em franca ascensão: a do profissional de Gestão Hospitalar.

Anteriormente dominada por médicos e administradores, a área sofria com algumas carências específicas, como a falta de técnicas avançadas de gestão por parte dos médicos, e o pouco conhecimento específico dos administradores, em relação a particularidades ligadas à saúde.

Em meio às tentativas de aperfeiçoamento de administradores e médicos, surge o curso de Gestão Hospitalar que vem, nos últimos anos, preenchendo essa lacuna de maneira eficiente e crescente.

A proposta deste post é trazer informações sobre o perfil, formação, responsabilidades, a importância desse profissional e também quais são as perspectivas para a carreira. Acompanhe!

Perfil do profissional de Gestão Hospitalar

Um profissional que se dedica a promover condições para a prática de tratamento e prevenção à saúde, lidando com médicos e se propondo a substituir administradores, em um ambiente com tecnologia em constante inovação e nenhum espaço para erros.

Esse poderia ser um resumo do perfil, mas as competências comportamentais que saltam aos olhos das instituições que os contratam se estendem além de uma breve descrição.

Ele deve ser excelente comunicador, com alto nível de profissionalismo, dotado de visão sistêmica, adaptabilidade e, principalmente, um agente de transformação.

Sua sede de inovação deve ser constante, acompanhada de práticas que reduzam a distância entre a idealização e a realização, de forma a proporcionar aos demais profissionais da saúde o acesso a tecnologias cada dia mais precisas, avançadas e disponíveis.

As responsabilidades desse profissional

A infraestrutura de uma instituição de saúde, independentemente de seu tamanho, é diferencial entre a vida e a morte, entre a boa e a má qualidade de vida.

Excelentes profissionais, dos quais depende o êxito ou o fracasso de um procedimento, um tratamento ou um socorro emergencial, não podem se sentir sabotados em meio a delicadas operações, ou perderem suas estruturas em meio à tomada de decisão sobre a dose certeira de um medicamento — que pode ser o antídoto ou o veneno.

O profissional de Gestão Hospitalar é quem administra o quadro de pessoal responsável pela limpeza e organização das instituições de saúde. Nesse quadro estão desde trabalhadores de suporte, portanto, com maiores necessidades, até profissionais de áreas específicas, como o controle de estoque de medicamentos e materiais diversos.

Não se pode imaginar a falta de materiais cirúrgicos em meio aos procedimentos, nem mesmo materiais descartáveis em falta durante uma campanha de vacinação.

Desde o planejamento e a manutenção de toda a infraestrutura física e equipamentos médicos até a correta destinação de resíduos, tudo passa pela gestão criteriosa e detalhista desse executivo.

Se nada pode faltar, as sobras são vistas como desperdício. Um bom gestor tem o controle de materiais, insumos, picos de utilização e períodos de baixas. Nada passa despercebido aos seus olhos, nem aos seus relatórios.

Estes — os relatórios — seguem a precisão cirúrgica habitual, a abrangência do cuidado mostrada pela instituição e os ganhos relacionados às vidas atendidas e aos objetivos da organização.

Importância do profissional de Gestão Hospitalar

A importância desse profissional é demonstrada pelo foco que ele tem em toda sua carreira. Como a nomenclatura já diz, todos os seus esforços se concentram na Gestão Hospitalar.

Não apenas esforços no sentido de fazer com que tudo funcione perfeitamente bem, mas também — e principalmente — que todos os envolvidos em atender, orientar e salvar vidas tenham à disposição as mais eficazes e evoluídas ferramentas de trabalho.

Por ferramentas de trabalho não citamos apenas bisturis, ataduras e estetoscópios. Além desses materiais, as ferramentas que mais fazem diferença no tempo de salvamento, na precisão de um diagnóstico ou em uma intervenção cirúrgica podem ser as tecnológicas.

Buscar e promover inovações nas instituições sob sua gestão é tarefa que aumenta a importância de um profissional de Gestão Hospitalar.

Outras funções fazem parte de sua responsabilidade: inovações em gestão, treinamento e comunicação dentro das instituições podem levar os diversos profissionais a níveis mais altos de excelência.

Desde novas técnicas de gestão, reuniões mais objetivas e treinamentos com menor duração e melhor aproveitamento do conteúdo, inclusive a distância, aumentam a eficiência dos profissionais, os níveis internos e externos de satisfação e o clima organizacional.

Gestor, médico ou administrador?

Não podemos prescindir de qualquer um desses importantes profissionais. Nenhuma lacuna no mercado de trabalho é preenchida por incapacidade dos profissionais atuantes, mas na liderança e em exigências específicas do mercado consumidor, preferencialmente relacionadas à expertise e ao foco nas particularidades.

Mas, para que você entenda as diferenças entre esses três profissionais que atuam na direção de instituições de saúde, vamos enumerar pontos específicos de cada um dentro desse contexto.

Médicos na Gestão Hospitalar

Médicos podem ser excelentes gestores, com capacidade de decisão em momentos críticos e sob pressão, tenacidade para avaliar cenários futuros e preparar o contexto para evitar imprevistos e ainda aperfeiçoar as competências objetivando demandas ainda latentes.

Entretanto, qual o foco do médico? A saúde do paciente. Seu olhar visa principalmente o paciente, a preservação de sua vida e as orientações para alcançar melhor qualidade de vida. Por mais que ele saiba tudo que um profissional da saúde precisa para fazer bem o seu trabalho, sua prioridade sempre será o paciente — depois a estrutura.

Administradores na Gestão Hospitalar

Foco? Administrar! Proporcionar resultados, perenizar a instituição, gerando lucro, permitindo reinvestimentos e gerando satisfação aos pacientes, profissionais envolvidos no trabalho da instituição e corpo diretor.

O profissional de administração tem seu foco em gestão de indicadores e pessoas, e, ainda que envolvido na melhoria de processos e evolução da instituição de saúde, seu foco sempre será na estrutura, recursos e materiais necessários ao bom funcionamento da máquina administrativa.

Profissional de Gestão Hospitalar

Do que será capaz um agente de transformação, bom comunicador, dotado de visão sistêmica e alto nível de profissionalismo que se dedica a estudar matérias tais como Sociologia da Saúde, Economia da Saúde, Qualidade em Saúde e Sistemas de Informação em Saúde?

Ao se formar e ser inserido no mercado de trabalho, o profissional de Gestão Hospitalar terá foco em saúde. Saúde da instituição que administra, dos profissionais envolvidos na operação e direção, e, principalmente, na saúde dos clientes — os pacientes.

Perspectivas no mercado

Um profissional dedicado e com vontade de continuar aprendendo encontra o seu lugar no mercado. Especificamente em Gestão Hospitalar, o graduado, seja em curso presencial ou a distância — que são igualmente reconhecidos pelo MEC —, poderá atuar nas seguintes instituições:

  • casas de repouso para idosos;

  • clínicas médicas;

  • clínicas odontológicas;

  • clínicas cirúrgicas;

  • hospitais privados;

  • hospitais e postos de saúde públicos;

  • SPAs.

Se você está decidindo qual carreira seguir ou buscando melhorar o currículo para alcançar melhores salários, sua carreira só será impulsionada pela formação e conhecimento, independentemente da idade.

Rotina apertada, compromissos com a família e pouco tempo disponível não podem ser obstáculos para impulsionar sua carreira.

Satisfação profissional, prestígio social, salário digno e, principalmente, mais qualidade de vida para sua família podem ser acessados por meio de alguns cliques.

A modalidade EAD permite que milhares de pessoas reescrevam suas histórias de vida, tornando seus objetivos alcançáveis e reais.

Ficou curioso e quer saber mais? Então, aproveite para conhecer o perfil do aluno do curso de Gestão Hospitalar?