Lean Hospital: o que é, como funciona, como implementar e mais!

  • 29/nov/2017

Lean Hospital: o que é, como funciona, como implementar e mais!

Talvez você já tenha ouvido falar no termo Lean Hospital, mas ainda não saiba exatamente o que ele significa. Trata-se de uma tendência aplicada nos últimos tempos na gestão de hospitais, principalmente em países como EUA, Canadá e Inglaterra.

No Brasil ainda é uma metodologia recente e inovadora, o que não deixa de ser um grande atrativo para as empresas e pessoas que trabalham nessa área, não é mesmo?

Então, para conhecer mais sobre o assunto e saber que tipos de vantagens o Lean Hospital é capaz de proporcionar, não deixe de ler o post a seguir!

Afinal, o que é Lean Hospital?

Em primeiro lugar, o conceito de “lean” vem de uma metodologia de trabalho que se baseia na redução de desperdícios e, ao mesmo tempo, na maximização do valor para o cliente. Ou seja, a ideia é sempre produzir mais com menos, buscando melhorias contínuas e a otimização dos recursos e dos resultados.

Tal abordagem surgiu do sistema de manufatura enxuta (Lean Manufacturing) da Toyota — a fabricante automotiva japonesa — e passou a ser utilizado em outras áreas. Nesse caso, o Lean Hospital é como se fosse a sua vertente hospitalar.

Outro termo semelhante é o Lean Healthcare, que também utiliza os princípios básicos da metodologia nos serviços de saúde para otimizar a qualidade dos atendimentos prestados à população — até porque estamos falando em saúde, em vidas e em bem-estar, o que deve ser uma prioridade de todos os envolvidos nessa questão.

Enfim, podemos considerar como alguns dos pontos fundamentais da filosofia Lean:

  • a busca constante pela qualidade;

  • a minimização do desperdício de todos os tipos de recursos (material, pessoal, de tempo etc);

  • a flexibilidade;

  • a resolução de problemas de maneira sistemática para superá-los;

  • o ganho de eficiência para a instituição.

Como ele pode ser implementado?

De acordo com a literatura sobre o tema, os exemplos de implementação que temos no mundo normalmente ocorrem por meio da promoção de atividades que seguem os princípios Lean, como oficinas, palestras, treinamentos, eventos etc.

Por aqui, uma prática já conhecida nas empresas é o 5S, que também tem origem japonesa e engloba os conceitos de utilização, organização, limpeza, higiene e disciplina. Sua ideia segue os preceitos Lean ao incentivar a melhoria dos produtos e serviços aliada à redução dos desperdícios.

Outra proposta é o mapeamento do fluxo de valor, conhecido como VSM (Value Stream Mapping). A técnica funciona como uma ferramenta visual para entender melhor o fluxo dos pacientes, dos suprimentos necessários e de toda a administração do serviço hospitalar, sempre com o intuito de melhorar o atendimento oferecido.

As oficinas básicas de apresentação dos valores da filosofia Lean também são importantes para envolver todas as pessoas no mesmo propósito. Geralmente elas são conhecidas como oficinas Kazen, que são como um workshop de um dia para explorar melhor o assunto.

Enfim, implementar a metodologia significa investir em soluções de gestão que sejam mais eficientes e facilitem a melhoria dos processos. Para isso, pode-se apostar em ferramentas tecnológicas, consultorias especializadas ou pequenas práticas adotadas no dia a dia da empresa — no caso, do hospital.

Quais benefícios ele é capaz de oferecer?

Como o Lean Hospital não pode fugir do propósito inicial da potencialização dos resultados, toda prática adotada na empresa deve ser realizada com o objetivo de trazer ganhos para a instituição — caso contrário, ela não fará sentido.

As experiências Lean vividas em alguns ambientes hospitalares indicam benefícios como:

  • redução do tempo de espera de atendimento;

  • maior eficiência dos procedimentos médicos, chegando a aumentar a quantidade de serviços realizados e de pacientes atendidos;

  • redução das horas extras dos funcionários;

  • redução de estoque, sem o risco de haver falta de material;

  • melhora da qualidade dos serviços prestados;

  • redução de erros médicos e infecções em cirurgias, por exemplo.

É interessante perceber como os resultados beneficiam de forma geral todo o sistema de saúde, não só os pacientes como também as pessoas que trabalham nele. A satisfação dos pacientes é crucial, já que nenhum negócio sobrevive sem a sua clientela.

Mas não dá para negar que o contentamento dos funcionários ao fazerem parte de algo que realmente funciona e está em constante evolução também conta muito. Esse é um fator que ajuda a reter bons profissionais e a manter a qualidade do serviço.

Portanto, aqueles que estiverem mais envolvidos na metodologia e dispostos a contribuir provavelmente terão melhores oportunidades na carreira hospitalar.

Que lições podemos aprender com essa metodologia?

Embora fabricar carros seja bem diferente de prestar serviços de saúde, a metodologia Lean nos ensina que é possível trabalhar a melhoria contínua em qualquer segmento de atuação.

Quando esse é o foco da equipe, certamente ela trabalhará para resolver todo tipo de problema, divergência, desperdício, atraso, distração ou qualquer outra adversidade que interfira na sua capacidade produtiva e também na percepção do cliente sobre a qualidade do seu serviço.

Assim, o aprendizado deve ser individual e coletivo, de forma que todos estejam envolvidos — ou seja, todo mundo precisa comprar a ideia no melhor sentido “top-down”, que significa desde os mais altos cargos até os mais básicos.

Somente assim o Lean Hospital pode funcionar efetivamente em uma instituição, para que ela opere de maneira enxuta e eficiente.

Sobretudo, em um ambiente como um hospital, em que normalmente o paciente passa por várias etapas e setores, esse trabalho conjunto é muito importante para oferecer um resultado geral positivo (por exemplo, não adianta atender sem atrasos se não atender com qualidade, e vice-versa).

Nesse sentido, os líderes e gestores fazem toda a diferença para motivar toda a equipe a ter melhores práticas diariamente. Aliás, esse é outro aprendizado da filosofia Lean. Dificilmente você conseguirá implantá-la do dia para a noite seja em um hospital, em uma empresa, em uma loja ou qualquer outro tipo de negócio.

Por mais comprometida que a equipe seja, é a prática diária que permite aprender novas soluções. E, a partir disso, esses ensinamentos devem servir de referência para os próximos acontecimentos e novas habilidades serão conquistadas e reforçadas dia após dia.

No começo pode parecer difícil ou desastroso fazer um mapeamento de todas as falhas, mas deixá-las visíveis será como o primeiro passo para percebê-las de fato e, então, corrigi-las. Muitas vezes, as origens dos problemas não são tratadas e acabam passando despercebidas na rotina corrida do entra e sai dos pacientes.

E aí, conseguiu entender um pouco mais sobre o que é o Lean Hospital? Se você ainda tem alguma dúvida sobre o tema ou deseja compartilhar sua opinião, não se esqueça de deixar um comentário!