Como saber qual graduação fazer?

  • Camila Serrat   /
  • 29/dez/2016

shutterstock_337964138

Existe um dilema comum a muitas pessoas: como escolher uma profissão quando nenhuma área parece atrair de fato? Antigamente, esse questionamento era mais frequente, pois os cursos de graduação eram mais restritos. No entanto, atualmente, os campos de atuação se diversificaram muito e ficou mais fácil encontrar afinidade com, pelo menos, um curso. Se antes as áreas se dividiam entre exatas, humanas e biológicas, hoje já se pode escolher entre diversos ramos onde se incluem tecnologia, comércio, cultura, entre outros. As opções se distribuem também nas modalidades de graduação: existem cursos de bacharelado, de licenciatura e tecnológicos. Em alguns casos, a graduação pode ser conquistada em até dois ou três anos. Para ajudar você a fazer a escolha certa, a Faculdade UnYLeYa traz algumas dicas.

Confira: A primeira providência é buscar informações e referências sobre as áreas que mais atraem sua atenção. Seja de amigos, de familiares ou (o mais indicado) de pessoas que atuam na área. Você deve também tentar se visualizar exercendo a carreira para tentar avaliar se seria feliz com tal rotina. Para isso, é recomendável refletir sobre sua própria personalidade, afinidades e habilidades. Então, busque a maior quantidade que puder de informações sobre as áreas que se adequam à sua personalidade. Procure assistir palestras, congressos, pesquisar na internet, seguir perfis de profissionais de destaque nas redes sociais etc. Esses dois passos darão uma boa noção de que área seguir. A segunda providência é começar a listar as profissões dentro da área escolhida. Pergunte a si mesmo em quais profissões as suas habilidades seriam mais pertinentes. Outros questionamentos importantes são:

  • Conheço de fato a profissão que pretendo seguir?
  • Já me informei sobre a grade curricular para ver as matérias que precisarei estudar?
  • Gosto dessas matérias (ou pelo menos da maior parte delas)?

Para ajudar, você pode responder em uma planilha (ou mesmo numa folha de papel) o seguinte questionário:

  • Quais atividades terei de desenvolver nessa profissão? Vou gostar delas?
  • Que atividades das quais não gosto terei de desenvolver nessa profissão?
  • Que atividades que eu gostaria de exercer não fazem parte dessa profissão?
  • Quais atividades das quais eu não gosto eu não teria de exercer nessa profissão?

Respondidas essas perguntas é hora de fazer uma análise de custo/benefício.

  • Comparados os prós e os contras, a profissão me parece mais ou menos atraente?
  • Me sentirei realizado se alguma de minhas habilidades não for usada?
  • E quanto às atividades que eu não gostaria de executar?
  • Elas se sobrepõem às vantagens?

Lembre-se que em qualquer profissão que você escolher haverá tarefas que você não gosta. E você terá de lidar com isso. Concentre-se no saldo positivo e serás bem sucedido em tua escolha 🙂

LEIA TAMBÉM: Reflexões de fim de ano






52 INSIGHTS PARA UMA CARREIRA VENCEDORA