Por que a área da saúde mental está em evidência?

  • 13/mar/2018

Por que a área da saúde mental está em evidência?

Nos dias de hoje, vivemos em uma realidade que requer cada vez mais das pessoas. Em um cenário de extrema competitividade, estresse e correria, somos comparados com padrões e bombardeados com exigências por todos os lados, e nem sempre conseguimos lidar com isso da melhor forma possível. Como consequência, surgem problemas graves na área da saúde mental.

Para se ter uma ideia, a depressão, por exemplo, é a maior causa de incapacitação no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a mesma fonte, o número de pessoas atingidas pela condição aumentou em 20% em uma década, o que corresponde a um sinal de alerta gravíssimo.

Sabemos que é preciso falar sobre transtornos mentais, mas, já parou para pensar nos outros motivos pelos quais o tema se encontra em total evidência? Conhece o trabalho de um profissional da área? É sobre isso que falaremos a seguir. Vamos lá?

O que faz um profissional da saúde mental?

Chamamos de profissionais da saúde mental aquelas pessoas devidamente capacitadas e que oferecem serviços voltados para melhoria das condições mentais de um indivíduo. Entre eles, estão:

  • psicólogos;

  • psiquiatras;

  • psicanalistas.

O psicólogo é o profissional formado em Psicologia — cujo curso de bacharelado que tem a duração média de cinco anos. Ele conta com o conhecimento técnico e com as habilidades necessárias para a prática da psicoterapia.

Já o psiquiatra se formou em Medicina e se especializou em Psiquiatria, completando a residência médica de três anos. Esse profissional está habilitado para exercitar a psicoterapia, possuindo o conhecimento necessário para realizar o diagnóstico, tratamento, prevenção e reabilitação em saúde mental.

Além disso, ele é capaz de identificar aqueles diagnósticos diferenciais e os fatores relacionados ao surgimento do transtorno mental, como uma possível infecção, disfunção hormonal ou até mesmo casos mais sérios, como a presença de tumores.

Dessa forma, ele consegue prescrever um tratamento adequado (com psicoterapia, remédios e procedimentos) e personalizado.

O psicanalista, por sua vez, é um profissional que estudou e se capacitou na área da Psicanálise, campo clínico independente da Psicologia que visa a investigação teórica da psique humana.

Desenvolvida por Sigmund Freud, médico neurologista austríaco, a Psicanálise, de modo geral, é dedicada à compreensão e à análise do ser humano enquanto sujeito do inconsciente. Ela engloba três áreas:

  1. investigação da mente e seu funcionamento;

  2. sistema teórico sobre o comportamento e vivência humana;

  3. método de tratamento psicoterapêutico.

Além de ser procurada por pessoas que sentem a necessidade de tratar algum transtorno específico, ela é também vista como uma forma de buscar o autoconhecimento, seja emocional ou intelectual.

Por que a saúde mental está em evidência?

1. Aumento do registro dos casos de transtornos mentais

É crescente o número de pessoas diagnosticadas com transtornos mentais como depressão, ansiedade, bipolaridade e o transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). No geral, somam-se mais de 400 milhões de pessoas afetadas por essas e outras condições ao redor do mundo.

Para a OMS, esse crescimento se dá especialmente em países de baixa renda, uma vez que neles a população está aumentando e, consequentemente, mais pessoas alcançam as idades nas quais os transtornos mentais são mais frequentes.

Para completar, o Brasil é recordista mundial no que diz respeito à prevalência da ansiedade. São 18,6 milhões de pessoas sofrendo com o problema, ou seja, 9,3% da população do país.

Tendo em vista dados como esses e entendendo que os números definitivamente não param por aí, colocar o tema em evidência é um passo importante para a conscientização e a promoção do tratamento.

2. Visibilidade na mídia

Reconhecendo a necessidade de se falar sobre saúde mental, a mídia vem cedendo cada vez mais visibilidade ao assunto das mais variadas formas.

Recentemente, a série norte-americana 13 Reasons Why (Os 13 Porquês), adaptação da obra de mesmo nome do autor Jay Asher, levantou toda uma discussão sobre o tema, abordando uma questão que também merece atenção redobrada: o suicídio.

Além disso, a campanha Setembro Amarelo, que desde 2015 ocorre anualmente no mês de Setembro, captou a atenção de milhares de internautas, que divulgaram a hashtag #SetembroAmarelo com o objetivo de promover a conscientização sobre o suicídio e os cuidados com a saúde mental.

3. Aceitação de que essas condições podem acontecer com qualquer um

Você provavelmente já se deparou alguma vez na vida com o ditado “quem vê cara, não vê coração”, não é mesmo? Pois saiba que ele se encaixa perfeitamente no contexto da saúde mental.

Qualquer um está sujeito a sofrer com transtornos psiquiátricos, independentemente de gênero, opção sexual, raça, idade, aparência ou condição social. Isso desmistifica o estigma de que os portadores dessas condições são “loucos” ou “diferentes”.

Por fora, o indivíduo pode exibir uma apresentação impecável, muitas vezes, com um sorriso sempre à mostra, mas, por dentro, pode enfrentar batalhas com a própria mente que ele nem ao menos sabe explicar.

Em determinadas situações, a pessoa pode até mesmo não saber que está lidando com um quadro psiquiátrico que exige tratamento, daí a importância da conscientização e de manter o assunto sempre em pauta, impulsionando esses indivíduos a procurarem por ajuda.

4. Difusão das especializações na área

As instituições de ensino de qualidade também já estão considerando a relevância do tema da saúde mental, e, cada vez mais, oferecendo especializações na área, de modo a capacitar profissionais aptos a diagnosticarem, tratarem e resolverem esses problemas.

É válido ressaltar que, ao contrário do que se possa imaginar, esses cursos não estão exclusivamente voltados aos médicos, enfermeiros, psiquiatras e psicólogos — a exemplo da especialização na área de Psicossocial, que tem como público-alvo nutricionistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, educadores físicos e outros tipos de profissionais de nível superior com atuação ou interesse em saúde mental.

Pronto: agora você já sabe por que o tema saúde mental está em evidência nos dias de hoje e entende o papel do profissional da área quanto ao tratamento dos transtornos psiquiátricos. Nesse sentido, é fundamental que quem atua no campo esteja sempre atualizado, de modo a lidar com demanda crescente dos últimos anos.

E, por falar em especialização, não deixe de conferir agora mesmo quais opções de pós-graduação a Unyleya oferece para a área de saúde mental!

 






Nossos Apps

Nossas Redes Sociais