Saiba como definir seu objetivo profissional no currículo

  • 07/ago/2018

Saiba como definir seu objetivo profissional no currículo

Depois da identificação, o objetivo profissional no currículo será o primeiro aspecto que prenderá a atenção do gerente de contratação. Bem delineado e escrito, esse propósito do candidato levará o avaliador a prosseguir com a leitura. Do contrário, seu currículo pode ir diretamente para a lata do lixo.

Parece injusto, não? Mas se coloque na posição de um recrutador, com inúmeros currículos em mãos. Se a triagem não começar de imediato — levando em consideração as ambições daquele candidato, se elas condizem com sua formação e trajetória e se estão alinhadas às da empresa contratante —, ele estará desperdiçando tempo, que poderia ser usado para selecionar os profissionais que se encaixam mais nos critérios da busca.

Nesse sentido, existem vários erros que você não deve cometer na hora de apresentar seus objetivos profissionais. Entre eles: usar o mesmo texto sobre os objetivos para várias aplicações de trabalho diferentes, falar apenas de você, ser muito vago e ignorar a concisão.

Para ajudar você, nos próximos tópicos, vamos ensinar a definir seu objetivo profissional no currículo. Isso vai fazer você se destacar em meio a um mundo de currículos! Confira!

Entenda o que é um objetivo profissional no currículo

Um bom currículo contém um resumo de suas realizações profissionais, ou seja, uma breve narrativa que leva o gerente de contratação a conhecer onde você já esteve e para onde quer ir.

Por isso, os objetivos profissionais já sintetizam muito do que você colocaria em sua seção de experiência profissional e em outros campos do currículo. Eles devem ser concisos e ir direto ao ponto, mas também devem ser abrangentes o bastante para cumprir seu papel.

Em vez de explicar o que fez em cada trabalho, você terá a oportunidade de resumir tudo isso em seu objetivo, por exemplo. Em seguida, explique como deseja usar sua experiência para promover sua carreira na empresa em que você pleiteia uma vaga. Isso é importante para deixar claro por que você é uma boa escolha.

Mostre seu valor ao futuro contratante

Por falar em ter o que oferecer ao seu futuro contratante, um dos maiores erros que um candidato a uma vaga de emprego pode cometer na hora de apresentar seu objetivo profissional no currículo é focar apenas sua própria carreira, sem considerar as necessidades da empresa.

Um objetivo bem-sucedido é também aquele adaptado para falar diretamente ao gestor de RH da companhia, explicando como sua experiência, qualificação profissional e o direcionamento de sua carreira beneficiarão a empresa. Para isso, é interessante também usar palavras-chave e linguagem similar à encontrada na chamada da vaga que você almeja.

Pesquise sobre a empresa antes de redigir seu objetivo

Você já sabe que, ao inserir um objetivo profissional em seu currículo, é preciso personalizá-lo de acordo com a vaga pretendida. Muitas vezes, os profissionais deixam de adicionar essa seção aos seus currículos, justamente, por não conhecerem efetivamente a vaga e a empresa que a oferece. No entanto, tenha a seguinte certeza: a oportunidade de customizar sua introdução para que ela fale diretamente ao gestor de RH fará toda a diferença para conseguir uma entrevista!

Quando você escreve um objetivo para uma empresa X, é de bom tom direcioná-lo claramente a ela. Busque ser preciso e evitar lugares-comuns. Por exemplo, não inclua entre seus objetivos “contribuir para o crescimento da empresa e colaborar com meus colegas de equipe”, pois são obrigações de qualquer profissional. Isso apenas vai dar a entender que você não tem o que dizer — que não tem objetivos reais e algo a oferecer à empresa.

Em vez de mencionar como você pode “ajudar seu negócio a ter sucesso”, uma boa dica é informar diretamente que você pode “ajudar a companhia X a ter sucesso na conquista de novos mercados na América Latina”.

Faça seu dever de casa e conheça bem a área de atuação de cada uma das empresas em que você se candidatar para trabalhar. Certifique-se de endereçar especificações sobre a posição à qual você está concorrendo.

Seja impessoal

Um bom objetivo profissional deve ser escrito em terceira pessoa. Muitos de nós projetamos objetivos que são escritos em primeira pessoa, o que é informal demais para um currículo. Tenha em mente que esse é um documento de negócios e deve refletir com precisão o nível de profissionalismo adequado à situação.

Além disso, sempre revise seu conteúdo uma ou duas vezes. Assim, seu futuro empregador não corre o risco de topar com erros gramaticais ou de digitação. Vamos falar com mais detalhes sobre as falhas na elaboração do currículo — em todas as partes, e não apenas no objetivo — ainda neste post. Acompanhe!

Seja conciso

Um objetivo profissional deve ser escrito em no máximo um parágrafo. Algumas pessoas cometem o erro de redigir testamentos, que são sumariamente ignorados.

A declaração deve ser sucinta e direta ao ponto, deixando para as demais seções de seu currículo a tarefa de impressionar. Pense no objetivo como uma manchete de jornal: exata, intrigante e concisa.

Inspire-se

Seguindo as orientações deste post para escrever um currículo, você certamente terá sucesso ao elaborar seus objetivos profissionais! Para te ajudar ainda mais, preparamos alguns exemplos de declarações que podem servir de inspiração:

  • obter uma posição de nível de entrada em uma editora líder de mercado, como a X;
  • “seu nome” busca uma posição de vendas que ofereça oportunidades de prospectar, construir relacionamentos com clientes e fornecer um atendimento de excelência;
  • assim como a Construtora Y tem o objetivo de ser sinônimo de qualidade em tudo o que faz, “seu nome” acredita em trabalho duro e que a excelência permite atingir metas e resultados;
  • profissional de marketing experiente em aumentar a consciência e visibilidade de marcas em sua comunidade, busca gerenciar uma equipe inovadora de mídias digitais.

Saiba destacar o melhor da sua experiência no CV

O objetivo profissional no currículo não é o único item que merece cuidado e atenção. O campo da experiência profissional é sempre uma pedra nos sapatos de quem busca um emprego. Afinal, as pessoas com muita bagagem sofrem para escolher o que vão colocar. Por outro lado, os novatos têm dificuldades para preencher essa lacuna.

Iniciantes

É totalmente possível incluir no currículo informações de trabalhos voluntários, de estágios, de atividades complementares à vida universitária etc. O importante é que essa vivência traga valor para a vaga que está em disputa.

Se você está concorrendo a um posto de vendedor de eletrodomésticos, não precisa colocar na sua experiência que já atuou em uma clínica veterinária. Apresente valores e aptidões que sejam de relevância para esse cargo.

Veteranos

Já quem tem muita experiência precisa ser seletivo e, da mesma forma, mostrar habilidades pertinentes à vaga em questão. A ideia é seguir aquilo que mencionamos durante a explicação sobre como formular o objetivo profissional no currículo: exibir os seus feitos!

Desse modo, a dica para os mais experientes é focar mais os resultados do que as responsabilidades da função. Imagine que ainda esteja em jogo a mesma vaga em uma loja de eletrodomésticos. Você pode mencionar — desde de que seja verdade — que integrou uma equipe de vendas que dobrou o faturamento da “loja X” em seis meses.

Na hora em que bater aquela dúvida do que colocar ou não, lembre-se de direcionar para dados que mostrem o quanto você fez a diferença. Outro ponto importante: é preciso jogo de cintura para mostrar as suas qualidades sem se gabar.

Pondere sobre o layout do currículo

Assim como o objetivo profissional no currículo, o layout também chama bastante a atenção dos recrutadores. Mais uma vez, será preciso pensar sobre o perfil da vaga e da profissão.

A menos que você atue em áreas mais criativas — como marketing, design ou artes —, prefira uma estrutura básica e sóbria. Nesse contexto, o fundo deve ser branco, as margens têm de estar fixadas, e as fontes devem ser as clássicas. A cor mais recomendada é o preto.

Lembre-se de que, na atualidade, as pesquisas na Internet são corriqueiras. Com isso em mente, tente encontrar as palavras-chave mais mencionadas em sua área de atuação.

No LinkedIn, há uma funcionalidade que filtra as qualificações mais procuradas de acordo com determinada área. Desse jeito, você fica sabendo quais são as habilidades mais requisitadas pelo seu setor.

Veja dicas para descrever sua formação

Separe uma parte exclusiva no currículo para abordar a sua formação escolar e/ou acadêmica. Nesse trecho, cite diplomas, certificados, especializações, cursos etc. É preciso muita concisão, isto é, fornecer o máximo de informação com o mínimo de palavras. Por isso, redija essa categoria de uma forma bem objetiva.

Coloque o nome da escola ou instituição, o curso em questão e a data de início e de conclusão dessa atividade. Na formação, você também pode mencionar sobre os cursos extras, como os de idiomas ou de informática. Para ter um currículo profissional impecável, jamais minta nem exagere.

Suponha que você tenha colocado no currículo que é fluente em inglês, mas, na verdade, seu nível é o intermediário. O risco de passar um vexame será enorme, uma vez que o recrutador poderá fazer perguntas na língua inglesa durante a entrevista. Deu para imaginar o tamanho do mico?

Ofereça referências profissionais

No final do currículo, faça uma lista com a indicação de três antigos superiores que possam falar bem de você. É de bom tom pedir a esses profissionais autorização para isso. A intenção é fazer com que essas pessoas sejam uma forma bem prática de o recrutador confirmar as informações relatadas.

Com essa atitude, você sai à frente dos outros candidatos, porque demonstra transparência e nenhum medo de que seu passado profissional seja vasculhado. Outra dica: vale colocar links para portfólios ou trabalhos realizados, desde que eles também obedeçam àquela velha regrinha de levarem a arquivos relacionados ao cargo pleiteado.

Fuja dos equívocos

Na hora de elaborar um currículo, muitos erros acabam sendo cometidos. A começar pela escolha de um processo seletivo. Você sabia que o candidato também escolhe onde quer atuar? Nesse contexto, é sempre bom não se esquecer de que gostar do trabalho é muito importante.

Por esse motivo, antes de enviar um CV para uma seleção, tenha a certeza de que realmente quer aquela chance. Depois disso, dê uma olhada em seu currículo e preste atenção a eventuais erros. Confira a seguir as falhas mais corriqueiras na confecção desses documentos.

Erros de escrita

Não é novidade para ninguém que a tecnologia está dominando o mercado de trabalho. Mas você já parou para pensar em como isso está aumentando o uso da linguagem escrita no cotidiano?

Afinal, todos os dias, os profissionais trocam e-mails, mensagens no WhatsApp e demais redes sociais, compartilham e criam documentos em nuvem etc. Entre amigos, tudo bem cometer erros na comunicação online. Não se pode dizer o mesmo dos diálogos com fornecedores e clientes, concorda? É muito feio escrever errado em uma negociação, por exemplo.

Nessas circunstâncias, escrever bem é uma habilidade muito apreciada pelos recrutadores. Por isso, tome cuidado para não deixar erros passarem despercebidos. Use o corretor de ortografia e gramática do Word, dê algumas horas de intervalo para fazer uma última correção e peça ajuda de alguns amigos para que eles também revisem.

Exagero de informações

Colocar muitos dados no currículo é um grave erro porque pode levar o entrevistador a descartar a sua candidatura logo de cara. Não por acaso, o tempo é um item raro em qualquer segmento. Desse modo, envie fotos apenas quando for pedido. Não precisa colocar o RG e o CPF. Se você for contratado(a), o RH pedirá esses dados posteriormente.

Mantenha um endereço de e-mail profissional, sem apelidos, sem números, como datas de nascimento, sem adjetivos nem diminutivos. Use no e-mail palavras neutras e fáceis de serem lembradas.

Ausência de dados

Nunca deixe de colocar um dado obrigatório só porque ele é desfavorável. Por exemplo: você quer informar que já trabalhou para uma famosa rede de cosméticos. Como ficou apenas um mês nesse emprego, simplesmente, resolve “pular” no currículo a parte em que deveriam estar descritas as datas de entrada e saída.

Cuidado para não incorrer nessa ingenuidade. O recrutador vai perceber porque ele tem experiência no trato com as pessoas. A honestidade é sempre o melhor caminho.

Displicência nas redes sociais

Tem sido cada vez mais comum que os selecionadores usem as páginas sociais de candidatos — como Facebook, Twitter e Instagram — para conferir dados sobre o perfil apresentado no CV. Por essa razão, tenha cuidado com brigas e discussões online, com opiniões políticas exageradas e com as suas fotos na Internet.

O candidato que está desempregado ou tem urgência em encontrar uma nova chance deve modificar as configurações das redes sociais para os módulos de privacidade. Assim, você restringirá o acesso a essas páginas.

Como você pôde notar, para pessoas com mais experiência, a abordagem que mostra resultados é o caminho! Mas, para os candidatos a um emprego que estão mudando de carreira, com vistas a um trabalho específico que nunca desempenharam ou nos quais ainda não tenham experiência, uma declaração é uma maneira de garantir atenção.

Gostou dessas dicas para definir seu objetivo profissional no currículo? Então não se esqueça de curtir nossa página no Facebook!






Nossos Apps

Nossas Redes Sociais