Entenda como funciona a graduação em História EAD

  • 16/abr/2018

Entenda como funciona a graduação em História EAD

Muitas pessoas querem fazer uma faculdade de História, obter um diploma de licenciatura e ter uma trajetória profissional de sucesso nessa área tão rica em possibilidades. Porém, costumam surgir diversas dúvidas a respeito das exigências e características dessa modalidade de ensino, como a diferença entre o bacharelado e o licenciado e, também, como funciona, de fato, a graduação em História EAD.

Por esse motivo, preparamos um post que vai responder todos os seus questionamentos e esclarecer aspectos que envolvem não somente o assunto, como também o mercado de trabalho e as expectativas que você pode ter depois de formado. Preparado? Então vamos lá!

Como funciona a graduação em História EAD e qual a diferença entre bacharelado e licenciatura?

A graduação em História EAD é estruturada de forma bastante similar a um curso presencial. Ela segue um plano pedagógico, tem uma matriz curricular bem definida, conta com atividades complementares e estágio supervisionado e, é claro, demanda a defesa de um trabalho de conclusão de curso para você obter seu diploma.

Quanto a duração, o tempo médio é entre 3 e 4 anos. Além disso, também há a possibilidade de você cursar o bacharelado (para quem deseja atuar em pesquisas ou na academia, por exemplo) ou a licenciatura (para quem deseja ser professor) como a mesma estrutura de uma instituição física, entretanto, num ambiente virtual. 

A principal diferença entre a modalidade presencial e a distância consiste no formato de acesso às aulas e a interação tanto com professores quanto com os demais alunos que ocorrem virtualmente por meio de uma plataforma. Assim, você tem mais flexibilidade de horário e autonomia para desenvolver seu aprendizado.

Quais matérias o aluno estuda na licenciatura?

Além das matérias que envolvem as construções socioculturais em diferentes períodos históricos e os reflexos delas na atualidade, o aluno que busca obter essa graduação ainda se aprofunda em disciplinas voltadas para o desenvolvimento das habilidades e práticas necessárias para atuar em sala de aula como professor. Abaixo, nós reunimos algumas delas:

  • Metodologia do Ensino de História;

  • Metodologia da Pesquisa em História;

  • Historiografia;

  • Políticas Educacionais;

  • Psicologia da Educação;

  • Educação e Diversidade Cultural;

  • História Antiga;

  • História do Brasil (I e II);

  • História Medieval;

  • História da América (I e II);

  • História da África (I e II).

Qual é o mercado para quem se forma na área?

Aqueles que escolhem o bacharelado podem atuar em diversas áreas, como produção literária e didática, preservação de patrimônio arquitetônico, acervo de museus e exposições, assessoria histórica e consultoria em produções audiovisuais.

Quem obtém o grau de licenciatura, por sua vez, pode lecionar em colégios tanto para alunos que estão no ensino fundamental quanto para aqueles que estão no ensino médio. Já para ser professor universitário, é necessário que você invista em uma pós-graduação do tipo stricto sensu, como o mestrado e/ou doutorado — salvo, é claro, os casos em que se atua como docente substituto.

Qual a faixa salarial de um profissional formado?

De acordo com o Radar Nº27, uma pesquisa elaborada pelo Ipea e o governo federal, a média salarial para quem se forma em História é de R$ 2.304,05 para uma média de 36,97 horas semanais.

Contudo, para quem investe na docência (seja em escolas públicas, seja em escolas particulares), de acordo com levantamento do Love Mondays — portal especializado em classificados de vagas de mais de 100 mil empresas em território nacional —, o valor pode chegar até R$ 3.636,00. Lembrando, é claro, que, para a carreira acadêmica, os valores aumentam ainda mais devido ao nível de especialização alcançado.

Como é o ingresso em um curso a distância?

Há várias formas de ingresso para quem quer fazer História a distância. Uma delas é por meio de uma avaliação redacional, que conta com a entrega de uma redação pelo candidato. Outra possibilidade é com a nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) — que deve estar de acordo com a pontuação mínima exigida pela universidade.

Além dessas opções, é possível fazer uma transferência — caso esteja realizando o curso em outra instituição (independentemente de ser ou não presencial) — e desfrutar de algumas facilidades para quem já é portador de um diploma, como a isenção de prestar vestibular para fazer uma segunda graduação.

Como ocorrem as avaliações e demais atividades?

Conforme norma do Ministério da Educação, os cursos a distância não contam somente com aulas e atividades online. Ao contrário, fora o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), você tem, no mínimo, um encontro presencial durante o semestre.

Além disso, as avaliações, as defesas de trabalhos e os estágios, por exemplo, são realizados no polo mais próximo da sua residência. É nesse espaço, inclusive, onde será possível ter acesso a laboratórios e bibliotecas — ambos, respectivamente, com equipamentos e materiais didáticos fundamentais para complementar o seu aprendizado.

O diploma EAD é reconhecido igual ao presencial?

Quem pensa em fazer não apenas graduação em História EAD, como também em qualquer outra área (Língua Portuguesa, Pedagogia, Marketing etc.) costuma ter essa dúvida. Por isso, é importante saber que não há um com mais peso ou importância do que o outro, e quem repassa informação contrária a isso está bastante equivocado!

A verdade é que ambos são igualmente reconhecidos pelo Ministério da Educação e são válidos para você ingressar no mercado de trabalho e iniciar sua carreira profissional. Portanto, pode se despreocupar!

Quais as exigências o aluno EAD precisa atender?

As exigências consistem, basicamente, em três pontos. O primeiro é ter o equipamento necessário para assistir às aulas e ter acesso aos conteúdos com os mais diferentes formatos disponibilizados na plataforma (vídeos, áudios, documentos PDF etc.). Ele pode ser um computador ou um notebook, por exemplo.

O segundo é contar com uma boa conexão à internet. Do contrário, não será possível carregar nem muito menos baixar os arquivos e materiais didáticos para estudar. Já o último aspecto é que, para se matricular em uma graduação a distância, é necessário ter o diploma do ensino médio.

E então, tirou todas as suas dúvidas sobre a graduação em História EAD e o que esperar do mercado depois de se formar? Pois não perca mais tempo e invista já no seu futuro profissional para ter uma carreira bem-sucedida e promissora fazendo aquilo que gosta!

Por isso, aproveite para se informar sobre o nosso curso a distância de licenciatura em História EAD e assinar nossa newsletter para ficar por dentro de todas as informações acerca dessa área!

 






Nossos Apps

Nossas Redes Sociais