Afinal, qual é a diferença entre hacker e cracker?

  • 22/nov/2019

Assim como outras áreas, o mundo digital conta com diversos termos que não são totalmente conhecidos pelo público. Ao tratar desse tema, é comum que as pessoas não saibam a diferença entre hacker e cracker.

As duas palavras se referem a indivíduos com alto nível de conhecimento e habilidades para encontrar brechas de segurança em sistemas de computadores e dispositivos móveis. Entretanto, os objetivos de cada um deles é o que os dividem, dando origem aos dois termos.

Apesar de vivermos em uma era de integração com o mundo virtual, é bastante comum que muitas pessoas não conheçam essa diferença. Por conta disso, falaremos neste post sobre suas definições e tipos, além de como se proteger de ataques dessa natureza. Quer saber mais? Então confira o que preparamos para você!

Qual é a diferença entre hacker e cracker?

Ambos os termos são utilizados para falar de pessoas com habilidades avançadas em segurança digital e computadores, mas o intuito dessa utilização é bem diferente.

Os hackers utilizam seus conhecimentos para melhorar sistemas e encontrar brechas de segurança para que elas possam ser corrigidas, sem a intenção de prejudicar terceiros.

Enquanto isso, os crackers agem de forma diferente. Eles visam burlar a segurança eletrônica para obter alguma vantagem ou prejudicar pessoas e empresas. São vistos como cibercriminosos, já que utilizam seu conhecimento de forma ilegal.

A definição de cracker foi criada em 1985 pelos hackers, como o propósito de se defenderem e para que essa confusão entre os dois tipos de pessoas fosse eliminada, ajudando a mídia e pessoas leigas no assunto.

Assim, os que utilizam seu conhecimento em prol da melhoria dos sistemas não seriam mais confundidos com pessoas mal-intencionadas e que praticam crimes online.

Ainda assim, há quem prefira não dividir os grupos entre “bons e maus”, uma vez que se acredita que tanto os hackers quanto os crackers têm habilidades avançadas e a mesma capacidade de fazer o bem ou o mal.

O que é um hacker?

De forma sucinta, um hacker é um indivíduo com capacidade profunda e que pode dedicar tempo para modificar sistemas, equipamentos e redes de computadores por conta do seu alto nível de conhecimento.

Suas habilidades são utilizadas para detectar falhas de segurança e desenvolver soluções para elas, além de criar funcionalidades novas e realizar experimentos e feitos fora do comum na área da informática.

Diferentemente do que muitas pessoas pensam e do que é noticiado, os hackers não são criminosos, já que não visam prejudicar terceiros, mas sim utilizam seus conhecimentos de forma benéfica, ainda que tenham acesso ou conhecimento para agir de forma ilegal.

Por conta do crescimento no número de hackers nos últimos anos, empresas de todos os tamanhos costumam contratar esses profissionais para detectar falhas em seus sistemas e sugerir alternativas antes que cibercriminosos tirem vantagem das vulnerabilidades encontradas.

Quais são os principais termos utilizados nessa área?

Além das definições citadas, existem outros termos úteis para diferenciar os que fazem parte de cada grupo.

White hats

São os hackers com interesse na área de segurança e que utilizam suas habilidades para beneficiar empresas. São profissionais éticos e que geralmente são contratados como analistas de sistemas, especialistas em TI ou vagas similares.

É comum que empresas de sistemas operacionais, navegadores e outros tipos de software lancem atualizações de segurança para corrigir vulnerabilidades, e essas brechas frequentemente são descobertas por hackers dessa categoria.

Black hats

Os hackers black hats são indivíduos que burlam sistemas e são especialistas em invasões de sites, entretanto, com intenções questionáveis. Suas ações os fazem ser malvistos pelos outros grupos, sendo, portanto, associados aos crackers.

Gray hats

O terceiro subgrupo é o dos gray hats. Esses indivíduos são tão bem intencionados quanto os white hats, entretanto, seus métodos nem sempre são éticos. Assim, acabam por realizar, por exemplo, testes de confiabilidade em sistemas e redes de computadores, mas sem necessariamente ter a autorização do proprietário para isso.

Newbies

Esse termo pode ser visto de várias formas pela internet: newbie, noob ou com a sigla NB. Essas são pessoas em processo de aprendizado na área de hacking. Costumam ter bastante curiosidade e vontade de aprender e fazem muitas perguntas. Por conta disso, os noobs são ignorados ou ridicularizados, além de não terem, ainda, uma personalidade definida.

Lammers

Os lammers são indivíduos que não têm conhecimento nenhum sobre hacking — ou que sabem pouco — e utilizam recursos desenvolvidos por outros para executarem ataques.

Phreakers

São crackers especializados na área de telefonia e dispositivos móveis.

O que é um cracker?

Os crackers são indivíduos que possuem um conhecimento elevado na área de tecnologia da informação, mas que utilizam suas habilidades em benefício próprio ou para prejudicar outras empresas e pessoas.

O que atrai pessoas para esse grupo muitas vezes é a possibilidade de roubar bancos, dados pessoais ou obter fama ao invadir determinado serviço ou tecnologia. Existem diversos casos de prisões desses indivíduos feitas pela polícia, mas os dados ou dinheiro roubados por eles normalmente não são mais encontrados.

Como o cracking é combatido?

Existem diversas medidas que podem ser úteis para evitar ataques de crackers. Abaixo, mencionamos as principais delas.

Evite redes públicas

As redes públicas são fontes de dados pessoais bastante ricas, por isso são o principal foco dos crackers. Por meio delas, eles conseguem roubar senhas e outras informações de quem acessa seus serviços online.

Desse modo, ao utilizar uma rede pública, é importante evitar inserir informações como senhas, CPF e endereços. A dica nesse caso é utilizar a internet da sua operadora de telefonia móvel. Quando indisponível, priorize as redes que exigem senha, já que oferecem menor risco.

Tenha cuidado com e-mails estranhos

E-mails são um dos principais meios de ataque utilizados pelos crackers. A prática é conhecida como phishing e visa roubar dados pessoais por meio de formulários falsos. Além disso, os cibercriminosos utilizam anexos via e-mail com programas que, quando executados, instalam trojans ou keyloggers na máquina do usuário.

Assim, é fundamental ter bastante atenção ao remetente da mensagem e à extensão dos arquivos recebidos como anexo — as extensões do tipo .exe são as principais suspeitas.

Conte com um bom antivírus

Além disso, contar com um bom antivírus pode ser uma forma eficaz de garantir a defesa cibernética. Vale lembrar, entretanto, da importância de mantê-lo atualizado para que possa detectar novos meios de ataque utilizados pelos criminosos.

Por fim, nota-se que conhecer essa diferença é de grande utilidade nos dias de hoje, sobretudo para que se saiba que existem profissionais da área que auxiliam o aprimoramento das tecnologias que utilizamos no dia a dia.

Compreendeu a diferença entre hacker e cracker? Ficou com alguma dúvida ou conhece outros termos interessantes da área? Então deixe seu comentário e compartilhe conosco!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você