Aprenda a superar seu medo de provas!

  • 23/fev/2018

Aprenda a superar seu medo de provas!

Você pensa em fazer uma graduação para ter uma trajetória profissional mais bem-sucedida, mas fica receoso por conta do medo de provas e da rotina de estudos? Pois saiba que isso não é motivo para atrasar ou mesmo desistir de investir na sua formação!

Afinal de contas, as notas não são o único quesito responsável por avaliar o seu desempenho acadêmico. E é para mostrar como superar esse receio que preparamos este post especial com 6 passos simples e fáceis de colocar em prática. Acompanhe!

1. Lembre-se de que as provas não são um atestado de falhas

Para começar, tenha sempre em mente de hoje em diante que nenhuma prova é um atestado de falha nem muito menos uma medição do seu potencial, especialmente no que diz respeito à sua carreira. Justamente por isso, é preciso colocar a avaliação e o resultado dela em perspectiva. Sempre.

“Como assim?”, você deve estar se perguntando. Bem, acontece que diversos fatores podem influenciar na sua nota, não apenas o quanto você estudou e se dedicou em compreender a matéria, como:

  • o formato das questões (se são discursivas ou objetivas);

  • o conteúdo que foi cobrado que pode ter sido, em sua maioria, ligado àquela aula que você faltou;

  • as poucas horas de sono no dia do exame que afetaram sua capacidade de concentração e raciocínio;

  • em casos mais sérios, o falecimento de um ente querido ou um amigo especial que abalou o seu emocional;

  • uma doença, como uma gripe ou uma virose que diminuiu sua disposição, causou fadiga mental e ainda gerou uma série de sintomas.

Portanto, não se desespere ao receber uma nota aquém do esperado se você tiver se preparado para o teste. Ao contrário, procure compreender o que deu errado e, assim, evitar que isso volte a interferir no seu resultado.

2. Identifique a causa dos seus medos

Seguiu o primeiro passo, mas, ainda assim, sente que o medo de provas continua a angustiá-lo e a atrapalhar sua rotina de estudos? Então é o momento de identificar quais são as causas dele para, só então, poder lidar diretamente com a raiz do problema.

Por exemplo, há estudantes que temem uma ou mais reprovações no semestre, outros que se preocupam com a possibilidade de ter que atrasar a graduação por conta de alguma disciplina e aqueles que se afligem por achar que um mau desempenho em um par de provas vai prejudicar a futura carreira deles e por aí vai.

Por esse motivo, é fundamental que você faça um exercício de autoconhecimento para avaliar quais os fatores servem como motor para o medo e se eles realmente têm fundamento de existir ou se você está hiperdimensionando-os (e, com isso, sofrendo por antecedência).

3. Converse com seus professores

Outro passo necessário é conversar com os professores. É muito importante que você não os veja como seus carrascos, pois essa não é a função deles nem muito menos o que desejam — pode acreditar!

Eles estão abertos para lhe passar conhecimento, apresentar novidades da sua área de formação, ajudá-lo a despertar e ampliar o raciocínio crítico e contribuir para que você se torne um profissional ímpar no mercado de trabalho.

Por isso, ao ter dificuldade em um conteúdo ou um tipo de avaliação, não hesite em procurá-los e pedir orientação sobre como melhorar seu desempenho e superar aquilo que se tornou um obstáculo para bons resultados.

4. Aprenda a lidar com a ansiedade

A ansiedade é um problema psicológico que também afeta o seu físico, gerando desconfortos e mal-estares, e pode, quando não administrada adequadamente, evoluir para um transtorno crônico sério — como é o caso da TAG, o transtorno de ansiedade generalizada.

Para se ter ideia, ela já afeta 18,6 milhões de pessoas só no Brasil, conforme divulgado em relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Por conta da gravidade disso, é indispensável que você mude sua rotina e estilo de vida para diminuir o efeito dela sobre si e, assim, ganhar em bem-estar, saúde e desenvolvimento pessoal. E não se engane: não se trata de nada mirabolante. Na verdade, são ações simples, como:

  • realizar uma atividade física para liberar hormônios que promovam o relaxamento e a sensação de tranquilidade, como a endorfina e a serotonina;

  • ter um horário diário de sono (de, no mínimo, 8 horas) para permitir um adequado descanso à mente e ao corpo e diminuir os níveis de cortisol no corpo;

  • ter uma alimentação balanceada e saudável que forneça ao organismo os nutrientes necessários para um funcionamento adequado.

5. Adote técnicas para vencer o nervosismo que só aumenta o medo de provas

Além de lidar com a ansiedade, é necessário manejar o nervosismo que só maximiza o medo das provas, especialmente na hora em que você as realiza. Para isso, há diversas técnicas que podem ser adotadas tanto antes quanto durante esses momentos para garantir que você se mantenha calmo e relaxado.

Um exemplo é a resolução de exames simulados, nos quais é possível treinar sua capacidade de resolver diferentes questões no mesmo limite de tempo que o teste real terá. Inclusive, essa é uma forma simples de medir a sua velocidade e quais assuntos estão demandando mais a sua atenção.

Outra técnica é o controle da respiração — que pode ser aplicada assim que você recebe a prova. Ao inspirar por 7 segundos e expirar pelo mesmo período, aumenta-se a quantidade de oxigênio no cérebro e no organismo — o que ajuda a diminuir o estresse, a pressão arterial e os batimentos cardíacos.

6. Estabeleça metas para se organizar e otimizar seus estudos

Por fim, mas não menos importante, estipule metas que o ajudem quanto aos estudos. Elas podem fazer parte de um planejamento semestral que vai facilitar sua adaptação à vida acadêmica, especialmente quando você precisa conciliar a faculdade com o trabalho, os filhos, os compromissos sociais e afins.

Algumas sugestões são:

  • o estabelecimento dos melhores dias e horários para realização de trabalhos e tarefas,

  • a montagem de um cronograma semanal para leitura e imersão nas matérias,

  • a elaboração de grupos de estudo,

  • a definição de um dia tira-teima com professores para sanar suas dúvidas etc.

De quebra, essa organização ainda pode contribuir para você se preparar para realizar concursos públicos.

Seguindo nosso passo a passo, você não apenas vai superar o seu medo de provas, como também vai desfrutar mais da sua rotina acadêmica e o que ela tem a oferecer na construção da sua trajetória profissional. Por isso, não deixe de colocá-lo em prática!

Aproveite o tema deste post e confira alguns dos motivos para investir na faculdade depois dos 30!

 



Nosso App

Nossas Redes Sociais