A faculdade desenvolve o conhecimento intelectual?

  • 21/jun/2017

A faculdade desenvolve o conhecimento intelectual?

 

Ultimamente há uma grande discussão sobre a importância de medir o retorno sobre investimento de uma faculdade. Nessa perspectiva, o objetivo de uma educação superior é a obtenção de resultados quantificáveis ou o crescimento pessoal e a conquista de conhecimento intelectual? Neste post você vai descobrir a resposta para essas indagações. Acompanhe!

Qual a importância do conhecimento intelectual?

Esta pergunta tem idade semelhante à das instituições de ensino modernas: devemos preparar alunos para a força de trabalho ou expandir seus horizontes para que continuem aprendendo ao longo da vida? E, por mais estranho que possa parecer, a resposta é sim! O papel do ensino superior é, ao mesmo tempo, promover o conhecimento intelectual e preparar estudantes para o mercado de trabalho.

Conhecimento intelectual é o raciocínio elaborado, que vai além da mera comunicação entre o corpo e o ambiente. Quando um inseto reage ao meio em que vive, ele não está seguindo um pensamento ou uma lógica, apenas respondendo a um estímulo. Por sua vez, no momento em que um ser humano dá uma resposta ao ambiente ao seu redor, ele pondera um sem número de variáveis a fim de escolher o melhor curso de ação.

O papel das instituições de ensino superior é fornecer aos alunos as ferramentas e habilidades necessárias para o emprego remunerado. Mas o que acontece da porta da faculdade para fora é um pouco mais complexo que isso. Novos graduados terão pelo menos três profissões diferentes ao longo de suas vidas.

Por isso, também é responsabilidade da universidade ensinar aos alunos como aprender, encontrar informações e trabalhar em colaboração com outras disciplinas e culturas. Em uma economia global — na qual nossas interações não estão mais limitadas à geografia — compreensão e comunicação transcultural são itens fundamentais.

Qual o papel da universidade na formação intelectual?

É durante o percurso na universidade que os alunos criam as bases intelectuais de suas carreiras e também têm a liberdade de explorar os caminhos que suas vidas podem tomar. Raros são os casos em que um estudante ingressa na faculdade com todas as respostas. Por isso, educadores devem colocar — de forma acadêmica e estruturada — escolhas à sua disposição.

A universidade deve ensinar aos alunos um corpo de conhecimento — os fatos — de uma disciplina, pois não é possível exercer nenhuma profissão sem compreender seus princípios. Todavia, as boas instituições de ensino são aquelas que conseguem encontrar um equilíbrio: os estudantes são livres para formar sua visão de mundo, enquanto adquirem o conhecimento e as habilidades necessárias para exercer uma profissão.

Não dá para forçar os alunos a escolherem entre conhecimento intelectual e experiências. Ambos precisam andar lado a lado numa formação de qualidade.

O ensino superior é uma oportunidade de desenvolver conhecimento intelectual?

O ensino superior é o espaço ideal para o desenvolvimento da inteligência em suas múltiplas formas. Ali, alunos preparam-se para as complexidades de um mundo que precisa de análises rigorosas e abordagens sintéticas. Isso significa estar apto a vislumbrar problemas em sua extensão e oferecer soluções simples e exatas.

Em que outro lugar jovens adultos poderiam desenvolver habilidades tão diversas, senão em um ambiente que os desafia e os apoia? Essa é a chance que eles têm para decidir como e quanto querem contribuir à sociedade, à economia e à comunidade ao seu redor.

Há diversos cursos universitários com diferentes propósitos e, desde que você escolha o mais adequado ao seu perfil, o ensino superior é um ótimo lugar para desenvolver o conhecimento intelectual. Pense no seguinte: nas ciências biológicas existem uma porção de carreiras, com elementos em comum e diferenças fundamentais. Um biomédico e um médico ambos trabalham em saúde, mas com abordagens completamente diferentes.

Como o conhecimento intelectual pode acelerar minha carreira?

O conhecimento intelectual é tão relevante que organizações de alto desempenho — como Apple, General Electric e IKEA — criaram suas próprias universidades corporativas. Centenas de organizações ao redor do mundo estão seguindo esse exemplo e iniciando programas internos de aprendizado. Afinal, essa é a melhor estratégia para aprimorar a aprendizagem organizacional.

Os desafios que executivos enfrentam para alinhar continuamente suas organizações a um mundo em constante mudança não são fáceis. Nesse sentido, as empresas vencedoras são aquelas que têm a capacidade de acompanhar os recursos de seus ambientes competitivos.

Para entender isso melhor, podemos olhar o exemplo da Apple. A empresa interpreta adaptabilidade como o poder de mudar o ambiente ao seu redor, não vice-versa. Entretanto, nem por isso ela deixa de responder às demandas do mercado quando interpreta essa resposta como oportuna.

A adaptação constante é um dos pilares de sua estratégia e, por isso, a Apple University — sua escola corporativa — é fundamental. Seu núcleo mantém viva a cultura de pensar diferente, focada no futuro moldado pelas pessoas da própria Apple.

Ela funciona não como uma fábrica de aprendizagem, gerando conhecimento intelectual sem aplicações práticas, mas como um veículo que permite que a organização se reinvente de maneira constante.

Como as empresas abordam a transmissão de conhecimento?

Para implementar seus programas de aprendizagem corporativa, a modalidade de Educação a Distância é uma opção que dá grandes resultados para as empresas e seus funcionários. Com menores custos e alto desempenho, a aprendizagem virtual é conveniente e rentável. Não é nenhuma surpresa, portanto, que mais e mais empresas estejam finalmente migrando para a EAD.

Podemos citar o exemplo da Cisco Systems: sua equipe assiste a vídeos na internet para aprender sobre novos produtos e serviços. E isso faz parte de seu regime de treinamento mensal.

Mas a Cisco não está sozinha. Muitas outras empresas optam pelos cursos a distância em vez de métodos de aprendizagem tradicionais, seja para economizar custos de treinamento ou porque há uma maior aceitação e facilidade no uso das plataformas. Quando bem estruturado, o ensino a distância oferece grandes resultados, reduz custos e aumenta o desempenho da aprendizagem.

Quais as vantagens da EAD para os negócios?

Ainda que o ambiente de sala de aula possa contribuir para o networking, geralmente, uma classe única deixa a desejar em vários aspectos. O número limitado de alunos que podem frequentá-la, por exemplo, torna inviável a execução de grandes treinamentos corporativos. Com a EAD, as conversas continuam em andamento mesmo depois de uma aula ou palestra, por meio dos fóruns de discussão.

Os ambientes virtuais de aprendizagem podem ser atualizados com facilidade e custam muito menos que os métodos tradicionais usados em sala de aula. O tempo necessário para treinar e atualizar colaboradores também é significativamente reduzido por isso.

Treinamentos internos ajudam empresas a atrair e reter pessoas e permitem que seus funcionários acompanhem novas informações. E uma universidade corporativa nem sempre é sinônimo de uma grande empresa. Muitas startups e médios negócios estão fundando suas próprias universidades, que oferecem programas contínuos de aprimoramento de habilidades para novos funcionários e veteranos.

Gostou de saber o que é conhecimento intelectual e como a universidade é importante para sua aquisição? Então, não se esqueça de compartilhar este post com seus amigos nas redes sociais!