Gestão de pessoas, de RH ou departamento pessoal: quais as diferenças?

  • 13/abr/2018

Gestão de pessoas, de RH ou departamento pessoal: quais as diferenças?

As expressões “gestão de pessoas”, “gestão de RH” e “departamento pessoal” são, muitas vezes, tratadas como sinônimas. Isso porque, de uma forma ou de outra, os três conceitos estão intimamente relacionados aos colaboradores de uma empresa.

No entanto, esse vínculo entre as atividades não as tornam idênticas. Cada uma lida com um aspecto do capital humano de uma organização, exigindo formações próprias. Tratam-se, na verdade, de áreas distintas, porém complementares.

Se você tem interesse em se especializar em uma dessas funções, continue lendo este post para entender como elas se diferenciam e qual é a formação mais adequada para estar preparado para o mercado de trabalho. Boa leitura!

O que é gestão de pessoas?

Gestão de pessoas é a parte da ciência da Administração responsável pela organização do capital humano. Assim como um médico pode atuar com matérias específicas (Oftalmologia, Ortopedia, Angiologia etc.), o gestor precisa desenvolver um conhecimento diferenciado para administrar cada divisão de uma entidade.

Nesse sentido, a gestão de pessoas se vale de muitos conhecimentos de Recursos Humanos, sem contar que, muitas vezes, os responsáveis por essas áreas atuam em conjunto para atingir metas comuns, como reduzir o turnover, potencializar o capital intelectual, aumentar a satisfação dos colaboradores etc.

Contudo, isso não significa que os trabalhos sejam iguais. Por exemplo, um cirurgião e um anestesista ambos visam a recuperação do paciente, mas cada um realiza uma atividade distinta. É o que ocorre com a gestão de pessoas e a de RH.

Gestão de pessoas em empresas privadas

Muitas vezes, as organizações vivem realidades distintas, de modo que uma pequena empresa pode não ter recursos. Por isso, em alguns casos, um mesmo profissional acumula funções de gestão de pessoas e de RH, embora isso não seja o mais indicado.

Contudo, nas entidades em que as funções estão minimamente separadas das de RH, é possível identificar os seguintes focos de atuação:

  • integração com a direção da empresa, em alguns casos, participando de decisões estratégicas;

  • gerenciamento dos orçamentos de recursos humanos, escolhendo as ações prioritárias para as intenções da companhia;

  • participação nas atividades de Recursos Humanos, com recrutamento, avaliação, treinamento, políticas de incentivo etc.;

  • interação com outros departamentos, como marketing, comercial, produção e afins.

Gestão de pessoas em órgãos públicos

A gestão de pessoas nos órgãos públicos se diferencia do trabalho realizado em empresas privadas, porque seu foco é o cumprimento de regras. Por exemplo, se uma norma interna determinar a ocupação de um cargo com profissionais com a formação “x”, o gestor deve seguir a diretriz, ainda que divirja do requerimento.

Por outro lado, os cargos de direção nem sempre são ocupados com profissionais de carreiras. Em muitos casos, a indicação do ocupante da função de gestão está inserida na liberdade que o governante tem para organizar a administração pública.

A situação pode ser um pouco diferente nas empresas públicas e sociedades de economia mista. Essas instituições são constituídas para atuar em regime de direito privado, submetendo-se a práticas menos burocráticas. Logo, o gestor de pessoas pode ter um dia a dia mais próximo do que teria em uma organização particular.

O que é gestão de RH?

Gestão de RH é a parte da ciência de Recursos Humanos que desenvolve ações para potencializar o capital humano, deixando a instituição e os colaboradores mais próximos de seus objetivos. Enquanto o administrador define como as coisas precisam estar organizadas para alcançar os fins do empreendimento, esse segundo profissional traz a metodologia necessária para que essa organização, de fato, aconteça.

Por exemplo, o gestor de pessoas pode identificar a necessidade de aumentar a satisfação dos funcionários para, com isso, facilitar o cumprimento de metas. Já o profissional de RH deve propor as técnicas para aumentar essa satisfação, ou seja, o conjunto de ações que, uma vez criado, produzirá o efeito desejado.

Nesse sentido, algumas decisões são compartilhadas pelos profissionais, enquanto outras recebem um tratamento mais individualizado. Por exemplo, a ideia de realizar um recrutamento normalmente é fruto de orientações administrativas e de recursos humanos, ao passo que as técnicas de seleção são dominadas a fundo apenas por essa segunda ciência.

A origem da gestão de RH

No início do século XX, havia um cenário de instabilidade social, envolvendo empregadores e empregados, principalmente na área da indústria. Essa época marca a origem da área de Recursos Humanos, cujo principal desafio era pacificar as relações de trabalho.

No entanto, já em meados do século passado, diversas outras responsabilidades foram agregadas à prevenção e solução de conflitos internos, passando pelo cumprimento da legislação trabalhista e desenvolvimento do potencial do capital humano até chegar ao contexto atual.

Hoje em dia, o RH é visto como uma divisão estratégia da companhia, de modo que o impacto nos colaboradores é uma preocupação, até mesmo, das decisões da diretoria das empresas.

O papel do profissional de RH

O profissional de RH aplica técnicas e metodologias para potencializar o capital humano da organização, o que se desdobra em diferentes atividades. Por exemplo:

  • recrutar e selecionar pessoas;

  • avaliar o desempenho dos colaboradores;

  • desenvolver treinamentos;

  • trabalhar por um ambiente de trabalho ameno;

  • estruturar planos de cargos e salários;

  • elaborar políticas de incentivo e planos de carreira.

Sendo assim, trata-se de um profissional de suma importância dentro de uma organização. Isso porque, além de ajudar a indicar as pessoas certas para cada função, o gestor de RH realiza todo o acompanhamento dos funcionários, oferecendo condições para que eles estejam motivados, satisfeitos e desenvolvam suas competências.

O que é departamento pessoal?

Departamento pessoal é a unidade administrativa responsável pelas rotinas burocráticas relacionadas aos colaboradores de uma organização. As principais funções desse setor são as seguintes:

  • produzir e arquivar a documentação exigida pelas leis trabalhistas;

  • acompanhar a frequência dos colaboradores;

  • manter os registros da vida do profissional na organização;

  • gerir o gozo de licenças e férias;

  • formalizar os novos vínculos de trabalho e as demissões;

  • emitir folhas de pagamento.

Com essas atribuições, o setor centraliza as informações sobre o capital humano da organização, logo, muitas vezes, concede subsídios às práticas dos gestores de pessoas e de RH. Sem contar que outros setores, também, se aproveitam da base de dados do departamento pessoal, como o jurídico e o contábil, por exemplo. Trata-se, portanto, de uma divisão fundamental para manter as atividades do cotidiano das empresas.

Como se qualificar em cada área?

Como você já deve ter percebido, os três setores acima realizam funções diferentes, embora complementares. Logo, a formação necessária para desempenhar as atividades de gestão de pessoas, RH e departamento pessoal são distintas. Veja a opção ideal em cada caso.

Gestão de pessoas

Para atuar na área, o ponto de partida é o bacharelado em Administração de Empresas, o qual pode ser complementado futuramente com o MBA em Gestão de Pessoas.

Vale ressaltar que, o curso superior traz um módulo específico, dissecando a aplicação das práticas de gestão à organização do capital humano das empresas.

Gestão de RH

Nesse segundo caso, a formação passa pelo curso superior tecnológo em Gestão de RH, no qual o aluno adquire o conhecimento teórico e prático para desempenhar as atividades da área.

Departamento pessoal

As rotinas do departamento pessoal são realizadas por profissionais com curso técnico ou profissionalizante em Administração, geralmente no cargo de assistente administrativo.

No entanto, o gerenciamento do setor exige uma formação mais completa, bem como cargos com maior remuneração. Assim, a melhor opção pode ser a realização dos superiores mencionados anteriormente.

Pois bem, agora que você já sabe o que fazer para atuar nas áreas de gestão de pessoas, gestão de RH e departamento pessoal, basta escolher a formação com que você mais se identifica e iniciar os estudos.

Falando em formação, aproveite para baixar gratuitamente nosso e-book sobre gestão de RH e entender um pouco mais sobre a área e quais são as perspectivas para o futuro do profissional!