Por que um diploma de curso superior faz diferença no currículo?

  • 25/abr/2017

Por que um diploma de curso superior faz diferença no currículo?

Atualmente, o diploma de curso superior tende a ser visto menos como um diferencial e mais como uma exigência pelas empresas. Então, devido à competitividade do mercado de trabalho, a qualificação é um fator decisivo para o sucesso dessa empreitada.

Inclusive, segundo dados do IBGE, a taxa de desemprego entre aqueles que concluíram uma graduação é 50% menor em relação aos que não têm formação superior — sem contar que os diplomados tendem a ocupar cargos mais altos e receber salários superiores.

Assim, fica fácil concluir que um curso universitário traz boas vantagens para o seu currículo, não é mesmo? Então, continue acompanhando o post para entender melhor sobre essa etapa tão importante na construção da sua carreira!

Razões para investir em uma graduação

Para começar, se você ainda tem algum tipo de dúvida sobre os diversos benefícios que fazer um curso superior é capaz de proporcionar para sua vida pessoal e profissional, não deixe de ler os tópicos a seguir!

Importância das reflexões teóricas

Com a graduação, você terá contato com inúmeras reflexões acerca das especificidades da sua profissão. Isso possibilita maior amplitude no entendimento do seu campo de atuação, além de favorecer suas escolhas no mundo prático.

Essa bagagem teórica é muito importante, pois permite uma preparação bem fundamentada para enfrentar as situações concretas de uma maneira muito mais efetiva. E, como sabemos, resoluções criativas, inovadoras e rápidas são qualidades muito desejadas pelas empresas.

Desenvolvimento de uma visão estratégica

O curso superior, ao abordar diferentes aspectos de uma determinada área, também proporcionará o desenvolvimento de uma visão estratégica do mercado. O conhecimento adquirido faz com que o aluno consiga perceber os rumos de certos negócios com maior antecipação e facilidade.

Isso evita que o profissional corra riscos desnecessários e tome decisões equivocadas. É claro que alguns imprevistos acontecem, mas a formação acadêmica consegue oferecer uma base melhor para suas escolhas.

Esse olhar estratégico permite, ainda, que o profissional trace objetivos e planeje o futuro do lugar onde trabalha, o que certamente impactará de forma positiva a trajetória de sua carreira.

Capacidade de avaliação crítica

Outro ponto relevante é a aquisição de um vasto repertório para resolução de problemas. Na prática, ter essa experiência significa não se empolgar demais com uma boa oportunidade e nem se desesperar ao enfrentar uma grande dificuldade.

A capacidade de se distanciar um pouco da questão e fazer uma avaliação crítica sobre ela deve ser trabalhada nos cursos, sendo estimulada em sala de aula. Assim, o estudante aprende a focar aquilo que realmente importa, analisando o panorama de forma mais realista.

Aquisição de experiência supervisionada

Um lado bom de fazer faculdade é acumular uma boa experiência, mas sem os malefícios gerados por uma aquisição de conhecimento não dirigida, própria do autodidatismo.

Por isso, o contato com os professores é tão importante, sobretudo porque eles são preparados para ajudar seus alunos a enfrentar problemas utilizando uma metodologia apropriada — não por acaso, eles estudam didática.

Assim, na supervisão das tarefas, o docente pode mostrar falhas comuns e como evitá-las. Isso gera uma reflexão mais ampla e dinâmica dos distintos processos que compõem sua profissão, permitindo ir muito além das tarefas operacionais.

Aplicação prática do conhecimento

O curso superior também é capaz de promover um conhecimento mais prático, especialmente por meio de estágios e simulações do ambiente de trabalho. Tais oportunidades são essenciais para cada um aplicar o que aprendeu e perceber a importância desse saber na tomada de decisões.

Além disso, o estágio em empresas costuma ser a principal forma de ingresso no mercado de trabalho. Aproveitando bem essa chance, você já pode sair da faculdade com melhores perspectivas para sua carreira, seja com um emprego garantido ou pelo menos com um bom networking.

Possibilidade de especialização e atualização

Sem um diploma universitário, sua ascensão na carreira estará fortemente limitada. Já com o título em mãos, você poderá investir em uma especialização (como uma pós-graduação ou extensão), tornando-se um profissional sempre atualizado e atento às principais tendências do seu mercado de atuação.

Aliás, a qualificação continuada muitas vezes é um pré-requisito para determinadas vagas. Existem vários processos seletivos que exigem ou dão preferência aos candidatos que têm alguma especialização. Ou seja, é melhor não ficar de fora dessa possibilidade.

Currículo muito mais interessante

Considerando as vantagens citadas como um todo, é possível perceber como o curso universitário agrega ao currículo do profissional, trazendo aprendizados e abrindo inúmeras portas.

É um período em que o foco do estudante é adquirir conhecimento, desenvolver habilidades, conhecer o mercado, descobrir sua vocação, entre outras atividades que servem para deixá-lo cada vez mais completo.

Com isso, você certamente se torna um profissional mais interessante para os recrutadores, o que faz toda a diferença para que ocupe aquela vaga que deseja.

Além disso, todo esse processo ajuda a torná-lo mais confiante e seguro no exercício da sua profissão, o que aumenta sua capacidade argumentativa e suas competências comunicacionais.

Esse conjunto de fatores é extremamente benéfico para sua formação e para que você conquiste melhores oportunidades, como cargos mais sólidos, com maiores remunerações e em posições de liderança.

Os diferentes perfis de cursos

Consciente da importância de investir em uma graduação, chega a hora de entender as diferenças entre os cursos para fazer sua escolha. Afinal, esse é o momento de avaliar os seus objetivos profissionais e encontrar meios para alcançá-los.

É comum surgirem várias desculpas, como a rotina apertada, criação dos filhos, pouca grana ou muito tempo longe dos estudos. No entanto, precisamos parar para pensar que isso é exatamente o que nos distancia de realizar alguns sonhos.

O que temos que fazer é organizar a nossa rotina para perceber como será possível encaixar os estudos nela. E a boa notícia é que muitos cursos já oferecem maior flexibilidade para os alunos, principalmente quando falamos em educação a distância (EAD).

Depois de identificar a oportunidade e uma área de interesse, é preciso optar pelo tipo de graduação desejado. No Brasil, existem três principais formas de obter o diploma superior:

  • graduação tecnológica: forma profissionais que vão atuar em setores bem específicos do mercado de trabalho. Esses cursos têm uma duração mais curta (2 ou 3 anos) e prática, sendo fortemente ligados às áreas de gestão e administração;
  • bacharelado: tem uma duração média de 4 ou 5 anos, ofertando uma formação mais robusta e generalista da profissão. Para isso, sua grade curricular mescla matérias de cunho prático e teórico. A maioria dos cursos superiores no Brasil se dá por essa modalidade;
  • licenciatura: dura em torno de 4 anos e permite ao profissional atuar em Instituições de Ensino como docente. Assim, ela é indicada para aqueles que querem ser educadores, e sua grade abrange disciplinas e práticas pedagógicas.

Todas essas formações estão disponíveis também na modalidade a distância, que tem as mesmas atribuições de um curso presencial e traz as mesmas vantagens para o seu currículo.






Nosso App

Nossas Redes Sociais