Será que é possível gostar do trabalho?

  • 19/mar/2018

Será que é possível gostar do trabalho?

Muitas vezes, temos a mania de enxergar a nossa atividade profissional como uma obrigação totalmente desvinculada do prazer. Dessa forma, fica quase impossível gostar do trabalho, e isso faz com que nossa rotina se torne insuportável.

Existem muitas pessoas que já começam o dia com um péssimo humor, pois sabem que precisam se levantar para trabalhar. Essa insatisfação profissional pode estar ligada a diversos fatores e, por isso, vamos listar aqui alguns deles, indicando possíveis soluções para driblar esse cenário.

Quer saber mais? Então acompanhe o nosso post de hoje!

Insatisfação com a área de atuação

Uma das principais razões para tantas pessoas se sentirem insatisfeitas com seus trabalhos é o fato de não estarem atuando na área que gostariam. O problema é que são poucas aquelas que decidem mudar de vida, muitas vezes por uma crença em que está “tarde demais” para isso.

Quando escolhemos a nossa profissão — por volta dos 18 anos —, raramente temos maturidade suficiente para decidir o que queremos fazer pelo resto da vida. Dessa forma, é comum que muitos escolham um curso superior que não tem muita ligação com o seu perfil profissional.

Em outros casos, existem pessoas que já se inserem de imediato no mercado de trabalho, sem sequer cursar uma faculdade, seja por falta de tempo ou pela necessidade imediata de começar a trabalhar.

Nas duas situações, a conformação com a situação é muito comum, ainda que haja uma insatisfação em relação à profissão. Porém, para gostar do trabalho, é preciso sair dessa zona de conforto e correr atrás daquilo que realmente gera felicidade para você.

Ao contrário do que muitos pensam, nunca é tarde para começar um novo curso superior e mudar a sua área de atuação. Hoje em dia, com a popularização da educação a distância (EAD), ficou muito mais fácil voltar a estudar e conciliar a rotina de trabalho com a faculdade.

Portanto, se você se sente infeliz com a sua formação atual ou com a sua posição no mercado de trabalho, não hesite em mudar esse cenário e buscar atuar naquilo que realmente te satisfaz.

Busca da felicidade como um fim

A ideia de trabalhar para ser feliz é completamente equivocada. Apesar de esse ser o lema de muitos profissionais, a felicidade não deveria ser vista como algo finalístico, e sim como um meio. Desvincular uma coisa da outra contribui para a estatística de 72% das pessoas se sentirem insatisfeitas com seus trabalhos.

Em alguns casos, mesmo quando você gosta de trabalhar, essa ideia de felicidade como um fim acaba tirando todo o prazer do seu labor, pois ele passa a ser visto puramente como “obrigação”, e isso normalmente o transforma em algo maçante.

Para corrigir esse erro, é preciso passar a enxergar a sua atividade profissional como algo prazeroso. Não pense que a felicidade está “longe” do seu trabalho, pois, se você atua em uma área que lhe agrada, ela está ali mesmo. O trabalho não precisa ser algo enfadonho ou aborrecedor.

Rotina entediante ou exaustiva

Trabalhos mecânicos ou repetitivos tendem a ser muito monótonos, além de deixarem o profissional esgotado fisicamente. Nesses casos, é muito comum se sentir insatisfeito com o seu emprego, porém, existem duas soluções para reverter tal cenário.

Primeiramente, caso você sinta que a carga de trabalho está exaustiva, tente delegar tarefas para outros funcionários, de modo que o peso da atividade não fique inteiramente sobre os seus ombros. Se for necessário, converse com o seu chefe sobre a possibilidade de mudar de setor.

Em segundo lugar, no caso da rotina entediante, você precisa inovar no trabalho para que ele se torne mais atrativo. A ideia de mudar de setor também é interessante aqui, no entanto, mais do que isso, você precisa modificar o seu próprio perfil.

Buscar uma especialização na sua área de atuação pode ser uma excelente forma de inovar e até mesmo acrescentar algo novo à sua empresa. Lembre-se de que a proatividade e apresentação de novas ideias são sempre muito bem-vindas no mercado de trabalho.

Falta de reconhecimento

Por mais que algumas pessoas gostem daquilo que fazem e não tenham nada a reclamar em relação a rotina ou área de atuação, existe ainda outro fator que implica na insatisfação profissional: a falta de reconhecimento pela empresa.

Quando um profissional que se dedica de corpo e alma ao seu trabalho e não recebe um retorno equivalente pelo seu serviço, é inevitável que ele acabe ficando insatisfeito com o emprego, ainda que esteja atuando naquilo que o agrada.

Não estamos falando apenas do salário — que é importante —, mas também de outras formas de reconhecimento, como uma promoção, um bônus ou um simples elogio. Se alguém atua durante anos em uma empresa sem receber nada disso, vai acabar deixando de gostar do trabalho.

Para driblar essa situação, você pode dialogar com seus chefes, deixando clara a sua insatisfação de forma educada e formal. Investir no seu próprio currículo também é uma forma de se destacar, pois, muitas vezes, as promoções são destinadas aos funcionários com maiores títulos, como pós-graduação e especialização.

Problemas com o chefe ou colegas

Trabalhar em um ambiente nocivo é extremamente desmotivador. Querendo ou não, sua produtividade acaba caindo e, pouco a pouco, você perde o ânimo de levantar da cama todos os dias para ir trabalhar.

Isso, muitas vezes, é resultado de um chefe muito exigente e irritadiço ou de colegas de trabalho importunos. Em alguns casos, o profissional pode não se sentir à vontade na empresa em que trabalha justamente por ter problemas para interagir e socializar com os outros.

Na maioria dos casos, essa situação pode ser resolvida por meio do diálogo e do esforço mútuo entre os integrantes da empresa para tornar o ambiente mais agradável. Você deve se lembrar de que o trabalho também pode ser um lugar para se fazer amigos, portanto, esqueça a cordialidade excessiva e não tenha medo de ser você mesmo.

A partir do momento em que esse espaço se tornar mais descontraído, as pessoas terão ânimo para trabalhar, de modo que essa atividade deixa de ser exaustiva e passa a ser mais prazerosa.

Ser feliz na sua profissão e gostar do trabalho é possível, desde que você se esforce para corrigir os fatores que transformam essa ocupação em um fardo. Em todo caso, não tenha medo de investir na sua educação, seja para progredir na carreira, seja para tomar outros rumos profissionais!

Se você se interessou por este post, aproveite também para entender a importância de uma reciclagem profissional e como ela deve ser feita!

 



Nosso App

Nossas Redes Sociais