O que é clima organizacional e como este pode ser gerenciado?

  • 16/dez/2016

O que é clima organizacional e como este pode ser gerenciado?

Prof. Dr. Vilson Sérgio de Carvalho

Quando nos perguntamos sobre o que seria ter um emprego ideal, é provável que um alto salário ocupe um dos primeiros lugares em nossa lista de desejos. Contudo, muitos esquecem que um dos itens mais importantes de um local onde temos a pretensão de trabalhar chama-se “clima organizacional”. É extremamente difícil conseguir se realizar, mesmo com um bom salário, em um local de trabalho onde o clima organizacional é marcado por tensões constantes, desorganização, insegurança e um grau de competição de tal ordem que não apenas inviabiliza o trabalho em equipe – prejudicando seu desempenho e produtividade – como também, em alguns casos, chega a beirar o desrespeito aos colegas de trabalho.

Manter um ambiente de trabalho adequado, seguro, motivador e harmônico são tarefas associadas ao que se tendeu a chamar na Administração de “Gestão de Clima Organizacional”. Gerir o clima organizacional implica em buscar conhecer melhor uma realidade organizacional e o grau de satisfação de seus integrantes com relação a esta. Em termos práticos, isso implica em três níveis de ação interligados: O primeiro refere-se um olhar aprofundado da realidade interna da organização em termos de seus espaços, da sua cultura organizacional, de suas rotinas, de seus processos, de suas políticas e a forma como estes elementos afetam e são afetados por todos os que fazem parte da realidade organizacional. Para tal é preciso não somente uma observação sistemática do gestor a partir de determinados critérios pré-definidos, mas também o emprego de ferramentas de coletada de dados junto à equipe sobre as informações essenciais que favoreça esse diagnóstico (tais como: questionários, caixa de sugestões, fóruns, etc.). O segundo nível, após o diagnóstico, se traduz através da formulação de um plano de intervenção voltado para a melhoria do clima organizacional considerando todos os pontos a corrigir e a conservar. Por fim, o terceiro nível, diz respeito a ações de manutenção das duas etapas anteriores de forma planejada e contínua.

Diferentes autores e pensadores da Administração como Kotter (1997) e Barbosa (2002), sustentam que as organizações vivem sempre em constante mudança tal como defendia o filósofo Heráclito, ao afirmar que nunca nos banhamos duas vezes no mesmo rio, uma vez que mudamos de forma continuada assim como também o rio que se encontra em um fluxo contínuo. Analisando as organizações sobre esse prisma, podemos dizer que a gestão do clima organizacional favorece uma melhor compreensão dessas mudanças, e a partir desta a possibilidade de reagir às mesmas de forma a garantir um clima sustentável de trabalho e a satisfação dos empregados. Esta reação, por sua vez traz, também traz consigo uma renovação positiva de ideias, hábitos e processos que se podem se refletir em uma série de mudanças estruturais, estratégicas, operacionais e táticas.

Apesar da gestão do clima organizacional ter como foco esse olhar interno. Vale sempre ressaltar que o clima organizacional acaba afetando igualmente a relação da empresa com seus clientes, fornecedores e de um modo geral seus stakeholders. Assim sendo, zelar pela gestão do clima organizacional é zelar também para que a percepção da empresa seja igualmente favorável. Um funcionário motivado, por exemplo, tende a atender o cliente de forma motivada, que por sua vez disseminará a informação de que foi muito bem atendido gerando assim outros clientes em potencial. Trata-se de um ciclo que favorece não apenas a imagem da organização, mas do negócio da empresa como um todo.

Compreendendo melhor a importância estratégica do clima organizacional, cabe aos gestores, dentro de suas  possibilidades e limites de atuação, darem início ao gerenciamento adequado e necessário dessa realidade, já que uma vez instaurada, essa modalidade de gestão tem condições de promover um ciclo de mudanças onde todos só tem a ganhar, especialmente o próprio negócio.

 

TEXTO:

Professor e Doutor, Vilson Sérgio de Carvalho, coordenador de cursos da Faculdade UnYLeYa, dentre eles, o curso de Graduação a Distância em Gestão de Recursos Humanos.

LEIA TAMBÉM:

E-BOOK: As 9 áreas de atuação com maior demanda em 2017