6 dicas para conciliar trabalho e estudo para o vestibular

  • 15/mar/2017

6 dicas para conciliar trabalho e estudo para o vestibular

Um morador de rua que acaba de ser aprovado em 2º lugar para o curso de Administração em uma universidade federal. Um jovem do Capão Redondo, bairro da periferia de São Paulo, que foi aceito em 2014 no curso de Engenharia Física da Universidade de Stanford (EUA). O filho de uma diarista e de um vendedor que iniciará seus estudos na Universidade de Yale, uma das mais importantes do mundo. Os casos de sucesso no vestibular em meio às adversidades da vida não faltam e deixam claro que conciliar trabalho e estudo é possível, desde que haja método e estratégia inteligente na administração do tempo.

Partindo de testemunhos de histórias vencedoras como essas, você verá, a partir de agora, 6 dicas para conseguir ser aprovado no vestibular, mesmo tendo parte do dia comprometido com trabalho, afazeres domésticos, filhos etc. Afinal, como diria o pensador inglês Samuel Johnson, “poucas coisas são impossíveis para a persistência e para a habilidade!”

Preparado?

Ter um cronograma de estudos com base no tempo disponível

Segundo a Fuvest, em 2009, 29,4% dos candidatos disseram não ter feito nenhum curso preparatório, enquanto em 2013, esse número aumentou para 37,5%.  Ou seja, é cada vez maior a quantidade de estudantes que descobrem como organizar seus estudos com eficiência, sem a necessidade de acompanhamento por meio de de cursinhos. Esse êxito tem relação direta com a organização de um cronograma de estudos que favoreça a compreensão dos tópicos das disciplinas.

Se você não sabe por onde começar a estudar para o vestibular, faça o seguinte: calcule qual a quantidade de dias que você terá disponível para se preparar até a data da prova. Em seguida, divida esse número pela quantidade de disciplinas (Ex: 20 dias X 12 meses = 240 dias. 240 dias ÷ 8 disciplinas = 30 dias por matéria).

Por fim, utilize uma caneta marca-texto em um calendário, destacando (com cores diferentes) cada disciplina a ser estudada, bem como suas datas de início e fim. Cada conteúdo programático deve ser ajustado dentro do período definido.

Buscar formas alternativas de estudo como vídeos e áudios

Não dispõe de muito tempo para se preparar para o vestibular porque tem que conciliar trabalho e estudo? Perceba que boa parte de seu dia é desperdiçada em trânsito: fila do banco, congestionamento, caminhada até o trabalho, tempo residual após o almoço. Que tal ocupar esses espaços estudando o conteúdo do Enem/vestibular tradicional por meio de vídeos e áudios? Existem inúmeros materiais na internet, muitos dos quais podem ser baixados gratuitamente para seu celular ou tablet!

Utilize essa ferramenta como um canal auxiliar de estudo, aproveitando a vantagem de que, diferentemente do acontece numa aula presencial, você pode repassar muitas vezes o mesmo conteúdo, o que facilita seu processo de aprendizado!

Formar grupos de estudos para auxílio mútuo

Experimente digitar no Google “formas mais fáceis de memorizar conteúdo para vestibular/concurso público” e você encontrará inúmeras pesquisas que mostram que as discussões facilitam imensamente o processo cognitivo da aprendizagem. Dessa forma, uma maneira mais rápida de memorizar a infinidade de fatos históricos, classificações botânicas e fórmulas matemáticas de que você terá que dar conta na hora da prova é por meio de reuniões com amigos que também estão se preparando para o Enem/vestibular tradicional.

Até mesmo pelas redes sociais é possível encontrar estudantes que precisam debater os temas estudados para fixar mais facilmente seu conteúdo. Então, organize sessões de estudo em conjunto! Essa estratégia já foi adotada por alguns dos mais bem-sucedidos estudantes dos melhores vestibulares do país.

Redação se aprende na prática

Sem desenvolver a capacidade de expressar seus pensamentos por meio da escrita, sua missão de ser aprovado no vestibular vai ficar muito mais difícil. Isso porque a redação, por si mesma, possui um peso altíssimo em todos os exames admissionais das principais universidades do Brasil (em alguns casos, chega a 30% da nota global). Para piorar, se seu vestibular possui segunda fase (aquela dissertativa), mesmo na resolução de questões de Física, você será exigido nesse quesito.

Ou seja, não dá para escapar: quem quer conciliar trabalho e estudo deve ser, sobretudo, estratégico em suas escolhas. E a redação deve ocupar papel de destaque em sua rotina de estudos.

Faça ao menos 2 textos por semana. Sente-se sozinho em algum local silencioso, com um relógio marcando o mesmo tempo-limite da prova que fará, desenvolva suas ideias no rascunho (com o mesmo número de linhas exigidos na prova) e depois passe sua redação a limpo. Esse processo de simulação é essencial para condicionar seu cérebro a dar respostas rápidas às propostas temáticas. Você pode, inclusive, acessar bancos de dados de redações já exigidas em vestibulares anteriores.

Converse com seu chefe

Se você trabalha e estuda, precisa de um horário flexível, que lhe permita concentrar maior carga horária possível para sua preparação para o vestibular. Vale a pena então conversar com seu chefe, expor a situação e buscar um acordo. Por exemplo, você pode não fazer o horário de almoço (informalmente) e sair uma hora mais cedo. Ou sair um pouco mais cedo e compensar esse período em outro momento.

Por fim, em um período de tamanha responsabilidade, pense na possibilidade de fazer um estágio ou trabalhar como freelancer, uma vez que, nesses dois cenários, você terá mais tempo diário para concentrar esforços no alvo que vai mudar a história da sua vida: ser aprovado no vestibular de uma universidade de ponta!

Não abra mão do seu descanso e de práticas esportivas

Acredite: existe um limite de intensidade de rotina, a partir do qual nosso rendimento começa a cair. Ou seja, não adianta forçar mais do que seu tempo permite (por exemplo, ficando sem dormir nas madrugadas e indo trabalhar na manhã seguinte), uma vez que isso só vai culminar em problemas laborais e baixa capacidade de retenção de informações.

Sua mente produzirá melhor e com mais eficiência se você conseguir manter sua vida minimamente equilibrada. Dessa forma, não abra mão de ao menos 7 horas diárias de sono, além de reservar parte de seu final de semana para sair com seus amigos, namorar e desfrutar de seus hobbies (música, teatro, esportes etc.). Vale lembrar que, durante o sono, ocorrem diversos processos metabólicos que recuperam sua mente para aprender com maior facilidade, além de fixar informações com mais velocidade.

É importante destacar também o poder do esporte nesse processo. Existem inúmeros estudos (um deles, feito por neurocientistas da Universidade de Illinois, EUA), que mostram que praticantes de atividades esportivas possuem rendimento melhor nos estudos do que os sedentários. Segundo a pesquisa da universidade norte-americana, crianças e adolescentes que praticam atividades físicas, por exemplo, apresentam performance escolar 20% superior do que outros alunos não ligados a essas atividades. A explicação para isso é que, quando nos exercitamos, nossa produção de neurônios aumenta. A atividade física ajuda no desenvolvimento de células cerebrais, criando novas conexões interneurais, o que eleva, inclusive, a capacidade de concentração.

Compartilhe nosso conteúdo nas suas redes sociais e continue acompanhando todas as novidades sobre como conciliar trabalho e estudo, cursos de destaque no mercado e muito mais!



Nosso App

Nossas Redes Sociais