Suas oito horas de trabalho são realmente produtivas?

  • 24/nov/2016

Suas oito horas de trabalho são realmente produtivas?

O que realmente faz a diferença é você planejar seu dia entre tarefas e pausas para descanso.

O presidente da Talent Smart, uma empresa especializada em treinamentos com foco em inteligência emocional, sediada na Califórnia (EUA), Travis Bradberry, publicou neste mês, um artigo no site Entrepreneur no qual afirma que a jornada de oito horas é desatualizada e ineficiente. De acordo com o texto, um estudo recentemente conduzido pelo Draugiem Group usou um programa de computador para rastrear os hábitos de trabalhadores. O programa mensurou quanto tempo as pessoas gastam em diversas tarefas e comparou com seus níveis de produtividade.

O processo de mensuração das atividades das pessoas mostrou um resultado surpreendente: a jornada de trabalho não importa tanto. O que faz a diferença é como as pessoas organizam seus dias. Aqueles que são rigorosos em fazer pequenas pausas são muito mais produtivos do que os que trabalham por longas horas sem descanso.

O tempo ideal de concentração no trabalho é de 52 minutos seguidos de 17 minutos de descanso. As pessoas que mantêm esse padrão têm melhores níveis de foco em suas tarefas. Durante o período de trabalho, essas pessoas tendem a estar 100% dedicadas à tarefa a ser cumprida. Ao se sentirem fatigados (normalmente após uma hora de esforço concentrado), fazem uma pequena pausa na qual não se envolvem com o trabalho. Isso os ajuda a voltar à tarefa com a mente mais arejada, para mais uma hora de trabalho realmente produtivo.

Após uma hora de trabalho, seu cérebro precisa de pelo menos 15 minutos de descanso

As pessoas que já descobriram essa estratégia de produtividade são mais eficientes porque atendem a uma necessidade fundamental da mente humana: o cérebro funciona naturalmente em picos de alta energia seguidos de períodos menos produtivos quando nos cansamos e estamos mais suscetíveis a distrações. E a melhor maneira de superar a exaustão e as consequentes distrações é ser pragmático em relação à jornada. Em vez de trabalhar por mais de uma hora tentando travar uma batalha contra distrações e fatiga, quando a produtividade começa a afundar, devemos entender como um sinal de que está na hora de uma pausa.

As pausas para o descanso podem ser tiradas com menos culpa quando sabemos que farão do nosso dia mais produtivo. As pessoas geralmente se deixam fatigar porque continuam insistindo na tarefa mesmo quando já perceberam a perda de energia e foco. Além disso, muitas vezes os descansos não são reais: checar e-mails e assistir vídeos no You Tube não ajudam a recarregar as baterias tão bem como uma breve caminhada ou alguns minutos contemplando o horizonte.

Aproveite melhor sua jornada de oito horas

A jornada diária de oito horas pode ser bem mais produtiva se você quebrar seu tempo em intervalos estratégicos. Uma vez que você alia sua energia natural com seus esforços, as coisas começam a transcorrer mais facilmente. Veja a seguir algumas dicas para encontrar e estabelecer o ritmo perfeito para você.

Reparta sua jornada em intervalos de hora em hora

As pessoas costumam planejar o que precisam cumprir até o final do dia, da semana, ou do mês. No entanto, somos muito mais eficientes quando focamos no que pode ser feito no momento. Além de ajudar você a encontrar o ritmo certo, planejar seu dia em intervalos a cada hora simplifica tarefas que parecem complexas repartindo-as em partes mais gerenciáveis. Se você quer seguir a dica à risca, o ideal são intervalos a cada 52 minutos, mas fazê-los a cada hora funciona do mesmo jeito.

Respeite sua hora

A estratégia do intervalo só funciona porque nós usamos nossos picos nos níveis de energia para alcançar um nível de foco extremamente alto por um período relativamente curto. Quando você desrespeita sua hora de trabalho trocando mensagens no Whatsapp, checando e-mails ou dando aquela olhadinha no Facebook, você perde todo o propósito da estratégia.

Descanse de verdade

No estudo feito pela Draugiem Group (mencionado no início do texto), concluiu-se que colaboradores que fizeram pausas de descanso ainda mais frequentes do que uma a cada hora, ainda eram mais produtivos do que os que não descansavam. Da mesma forma, aqueles que fizeram de suas pausas realmente relaxantes, se saíram melhor do que os que tinham dificuldades de se desvincular do trabalho durante o descanso. No período de descanso, ficar longe do seu computador, do seu celular e da sua lista de tarefas é essencial para impulsionar sua produtividade. Atividades como dar uma caminhada, bater papo e até uma leitura pitoresca são as mais eficientes para recarregar as baterias porque elas transportam sua mente para longe do trabalho. Num dia atribulado, pode ser tentador lidar com e-mails ou fazer telefonemas de trabalho durante seu tempo de descanso. Não é uma boa ideia, portanto, não ceda e respeite seu descanso.

Não espere até seu corpo dizer que precisa de um descanso

Se você espera até se sentir cansado para fazer sua pausa, já é tarde demais – você já terá perdido sua oportunidade do pico de produtividade. Ser fiel ao seu horário assegura que você trabalhe nas horas que está mais produtivo e descanse nos períodos que seria improdutivo. Lembre-se de que é mais eficaz descansar por pequenos períodos do que se manter trabalhando quando você está cansado e distraído.

Trocando em miúdos

Quebrar seu dia em períodos de trabalho e descanso que combinam com seus níveis naturais de energia trará grandes benefícios. Fará você se sentir bem, seu dia passar mais rápido e impulsionará sua produtividade.

Com informações do site Entrepreneur.com

LEIA TAMBÉM: Cinco dicas para abandonar hábitos nocivos ao seu desenvolvimento






Nosso App

Nossas Redes Sociais