Segunda graduação: preciso fazer vestibular de novo? Descubra aqui!

  • 15/out/2018

Segunda graduação: preciso fazer vestibular de novo? Descubra aqui!

Com a alta competitividade do mercado, é fundamental que os profissionais busquem cada vez mais por qualificações, de modo a suprir as necessidades e demandas das empresas. A educação contínua é a chave para se acelerar uma carreira de sucesso e crescer profissionalmente, e isso pode ser feito por meio de pós-graduações, especializações e até mesmo uma segunda graduação.

Ao contrário do que muitos possam imaginar, a escolha de um primeiro curso de nível superior não determinará a sua vida profissional para sempre. Nunca é tarde para adquirir conhecimentos valiosos; nesse sentido, voltar ao universo acadêmico, além de possibilitar a entrada em uma nova carreira, é um reflexo do mundo atual — que está em constante mudança.

Se você já conta com seu diploma de ensino superior, mas gostaria de ingressar em outra formação, saiba que este post foi feito para você. A seguir, entenda se vale a pena fazer uma segunda graduação, quando é o momento para investir, como escolher o curso e se é preciso fazer um novo vestibular. Acompanhe!

Vale a pena fazer outra graduação?

A resposta aqui é uma só: sim! A formação em um novo curso é algo que sempre valerá a pena, uma vez que promove a conquista de objetivos profissionais e pessoais, além da abertura de novas portas e possibilidades de carreira.

Os motivos para voltar ao ensino superior são diversos. Muitas vezes, as oportunidades do mercado para determinadas áreas podem ser escassas. Em outros casos, pode ser que ingressar em uma segunda graduação forneça conhecimentos válidos, que possam agregar muito ao seu emprego atual. Há também aqueles que não estão felizes com a carreira que seguiram após a primeira graduação e desejam retomar os estudos para traçar novos caminhos.

Abaixo, reunimos os principais motivos que fazem valer a pena optar por uma segunda graduação:

Desenvolvimento e crescimento profissional

O profissional que conta com duas graduações apresenta um potencial redobrado, podendo contribuir em diferentes aspectos dentro de uma mesma função. Isso aumenta as suas chances de se destacar dentro de equipes e conquistar promoções específicas — o que certamente faz valer a pena todo o esforço nos estudos, não concorda?

Mais facilidade para encarar a rotina universitária

Não há dúvidas de que, hoje, ingressar em um curso de nível superior está cada vez mais fácil. Além dos cursos de curta duração (como os tecnólogos, que duram, em média, 2 anos), é possível optar pela modalidade a distância, conquistando um diploma de mesmo peso que o disponibilizado em cursos presenciais.

Entrando em uma segunda graduação, passar novamente pelo universo acadêmico torna-se algo muito mais simples. Você já conhece a estrutura de funcionamento de um curso superior, os métodos de avaliação, entre outros aspectos. Além disso, pode conseguir equivalência de disciplinas, eliminando aquelas matérias que já cursou e diminuindo o tempo de formação.

Mais chances de conseguir uma boa colocação

Encontrar uma vaga que esteja de acordo com seu perfil e objetivos profissionais torna-se muito mais fácil quando se tem duas graduações, mesmo que uma formação complemente a outra.

Na hora de participar de um processo de seleção, por exemplo, todas as habilidades necessárias contam — e quem tem mais a oferecer à organização certamente se sobressai. Além disso, o mercado e suas demandas atuais valorizam cada vez mais o profissional que consegue exercer mais de uma função.

Quando é o melhor momento para investir?

Embora a segunda graduação seja vantajosa, sabemos que começar outro curso superior do zero não é uma tarefa tão simples assim. Para essa nova etapa, é preciso ter em mente que o investimento pode durar de dois a cinco anos (a depender da sua escolha). Sendo assim, trata-se de uma decisão que deve ser feita após uma avaliação.

De modo geral, a escolha por uma segunda graduação é interessante quando:

  • não houve identificação com a primeira (ou atual) graduação;

  • não houve adaptação à rotina da profissão;

  • a segunda graduação pode complementar a anterior (por exemplo, o psicólogo que deseja estudar medicina, o administrador que quer estudar ciências contábeis etc.).

É bastante comum, sobretudo quando a situação econômica do país não é favorável, que exista certa dificuldade para encontrar oportunidades de emprego, uma vez que as empresas tendem a não realizar novas contratações.

Passar pela experiência de enviar currículos e não obter resposta é definitivamente frustrante, contudo, é preciso ter em mente que uma vaga que se encaixa em seus objetivos pode ainda aparecer.

Pensar que uma mudança de carreira por meio de uma segunda graduação pode ser a solução perfeita é certamente tentador, mas é necessário entender que cada área apresenta suas dificuldades específicas. Dessa forma, uma dica relevante é ponderar todos os aspectos referentes a essa escolha, caso essa seja a sua situação.

Como escolher a segunda graduação?

Agora que você já entende como fazer uma segunda graduação é algo vantajoso, deve estar se perguntando sobre como escolher um novo curso, não é mesmo? Saiba que essa é uma dúvida bastante comum, porém, fácil de ser resolvida. Para isso, é preciso que você pense em uma série de fatores relevantes para a decisão, como:

  • Com qual área você apresenta mais afinidade?

  • Qual área vai ao encontro de suas preferências e aptidões?

  • Qual curso agregaria mais valor à sua vida profissional e aos seus objetivos a curto, médio e longo prazo?

  • Quais são as profissões que permanecem em alta, mesmo com o cenário de instabilidade econômica?

Tendo tudo isso em mente, é preciso, então, selecionar os cursos que mais se relacionam às suas respostas, fazendo uma pesquisa completa sobre possibilidades de atuação, grade curricular, entre outros aspectos que podem ser determinantes para você.

Quem deseja obter uma segunda graduação com praticidade, flexibilidade e melhor custo x benefício, por exemplo, tem a modalidade de educação a distância (EAD) como opção mais favorável. É possível estudar de casa ou de qualquer outro lugar com acesso à internet, montando os seus próprios horários de acordo com seu tempo disponível e sem precisar se deslocar diariamente à instituição.

É necessário fazer outro vestibular?

Quem já tem um título de nível superior (bacharelado ou licenciatura) e deseja realizar a segunda graduação não precisa participar de outro processo de admissão: basta entrar em contato com a instituição de ensino e se informar sobre a obtenção de um novo título.

Cada uma tem seus próprios critérios para o ingresso em uma nova graduação, mas, no geral, os processos são bem simples. Em alguns casos, o candidato pode ter que fazer um processo seletivo para a educação a distância, em outros, apenas reunir os documentos necessários e efetuar a matrícula.

Como você pode perceber, a segunda graduação é uma opção interessante tanto para quem deseja complementar os conhecimentos que já possui, incrementando assim o seu currículo, quanto para aqueles que querem trilhar caminhos diferentes dos traçados em sua primeira formação.

E então, gostou deste artigo? Se você tem interesse em fazer uma segunda graduação, não deixe de entrar em contato conosco agora mesmo e conhecer as nossas opções. Vamos adorar conversar com você!

 

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você