7 fatores levados em consideração na contratação de funcionários

  • 16/mar/2017

7 fatores levados em consideração na contratação de funcionários

A busca por uma colocação profissional não costuma ser uma tarefa fácil, mesmo para quem tem qualificação e experiência profissional. E as dificuldades para encontrar uma vaga no mercado de trabalho geralmente aumentam em tempos de crise. Contudo, há algumas formas de aumentar as chances de conseguir um bom emprego. Uma maneira inteligente é conhecer os fatores levados em consideração na contratação de funcionários pelas empresas.

Todas as vagas relativas aos mais diferentes cargos possuem pré-requisitos e contêm descrições das características profissionais desejadas. Sejam quais forem as especificidades de cada vaga, as empresas também esperam e levam em consideração alguns atributos mais gerais relativos ao perfil profissional. Para ajudar você a se inserir no mercado, vamos mostrar agora 7 fatores considerados pelos empregadores ao contratarem!

1. Formação acadêmica em uma instituição de qualidade

Ter um diploma, principalmente de curso superior, é um diferencial no currículo do candidato a uma vaga no mercado de trabalho. Além de atestar a obtenção de uma especialidade em determinada área do conhecimento, possuir uma graduação mostra que o profissional se preocupa com a sua qualificação e compreende a necessidade dessa formação para as diferentes corporações.

Em qualquer curso de nível superior, o estudante adquire, em sua formação, conhecimentos teóricos e práticos acerca de uma profissão. Além disso, as próprias exigências da faculdade faz com que ele desenvolva diferentes habilidades, tais como responsabilidade, organização e autonomia. Tanto os conhecimentos adquiridos quanto as habilidades desenvolvidas influenciam diretamente o desempenho do profissional.

No entanto, possuir apenas uma graduação não é o bastante para atrair a atenção do mercado. É fundamental que a instituição escolhida seja de qualidade, tendo credenciamento e reconhecimento pelo MEC, infraestrutura adequada, corpo docente qualificado e experiência no mundo educacional. Um profissional competente resulta da soma de seu esforço às condições do curso em que se graduou!

2. Visão sistêmica

Uma característica bastante valorizada pelos empregadores é a visão sistêmica, quer dizer, a capacidade de tomar decisões conforme a conjuntura, que deve levar em conta os variados fatores que influenciam o funcionamento de uma organização. Dotado dessa competência, o profissional é capaz de entender com precisão a dinâmica da corporação e, assim, tende a obter resultados bem acima da média.

A visão sistêmica é importante porque, com ela, o profissional consegue identificar sua função de maneira clara, desempenhando suas atribuições com eficiência e atuando de modo assertivo em prol do alcance dos objetivos estabelecidos no trabalho. O segredo para desenvolver esse atributo é conhecer a fundo a organização e o cenário mercadológico em que ela está inserida, assim como traçar estratégias de atuação.

3. Espírito empreendedor

O empreendedor é aquele que, ao conseguir enxergar o que ninguém vê, cria, ousa, tenta, executa, realiza, isto é, parte da ideia para a ação. Essa é uma característica bastante considerada pelo mercado, que necessita de profissionais que não apenas saibam desenvolver suas funções técnicas, mas tenham condições de inovar, buscar soluções e consequentemente contribuir para o crescimento da instituição.

Profissionais com o espírito empreendedor são mais dinâmicos e assertivos em sua prática profissional, encontrando oportunidades em todos os tipos de situações do cotidiano de trabalho. O desenvolvimento desse atributo exige imaginação, determinação, habilidade de organizar e competência para liderar pessoas, características estas que podem ser despertadas com foco, informação e qualificação.

4. Disponibilidade e proatividade

Estar à disposição e tomar a iniciativa são atitudes profissionais muito bem vistas pelas empresas, já que contribuem para o seu funcionamento e revelam traços de caráter do funcionário. Ter disponibilidade não significa somente que o profissional está presente quando é preciso, mas que ele tem presença funcional, ou seja, está preparado para resolver problemas, dá as devidas respostas, busca aprender, põe-se em alerta.

O profissional proativo caracteriza-se por antecipar-se às situações, uma vez que possui conhecimentos sobre sua área de atuação, entende a dinâmica de trabalho dos seus colegas e ainda adquire experiências com eles, otimizando o tempo de que dispõe. De modo geral, disponibilidade e proatividade são características que não exigem muito preparo do empregado, mas vontade de contribuir, o que chama a atenção do mercado.

5. Capacidade para lidar com imprevistos

Qualquer tipo de trabalho deve ser planejado, de maneira a se preverem todas as etapas e procedimentos relativos à sua execução. O problema é que, muitas vezes, a atividade desenvolvida não sai conforme o planejado, o que requer pessoas que saibam lidar com imprevistos, minimizando os problemas que podem ser ocasionados. Em função disso, as empresas avaliam esse atributo naqueles que pretender contratar.

Saber lidar com imprevistos envolve conhecimento técnico sobre o processo com que se trabalha, mas, também demanda algumas habilidades específicas, como raciocínio lógico e capacidade para analisar, resolver problemas e improvisar. O desenvolvimento dessas habilidades se dá principalmente por meio da observação atenta pelo funcionário dos setores, mecanismos e procedimentos da empresa.

6. Orientação para custos

Um dos objetivos principais de qualquer empresa é produzir mais gastando menos, o que tende a aumentar as suas margens de lucro. Para que essa conta dê certo, é preciso que todos os funcionários atuem de forma orientada para os custos, com práticas que visem tanto à economia, quanto à maximização dos resultados com os menores gastos possíveis. Profissionais com esse tipo de atuação são poucos, logo, muito valorizados.

A boa notícia é que esta é uma das características mais fáceis de ser desenvolvida, já que exige o raciocínio sobre os custos demandados, nos setores da empresa, e a prática de estratégias econômicas, tática que, aliás, pode ser levada para fora da empresa. Esse tipo de postura deve ser adotada em todos os cargos, de forma que as orientações para custos sofrerão variações que vão desde a economia de papel até o corte orçamentário.

7. Alinhamento dos objetivos profissionais com as necessidades da empresa

De nada adianta ter todos os atributos listados se os objetivos do profissional não estiverem alinhados às necessidades da companhia no momento da contratação. Por isso, é fundamental que, antes mesmo de se candidatar a uma determinada vaga, o futuro funcionário conheça a política, a missão, a filosofia, o atual cenário da empresa, bem como suas características quanto ao segmento de atuação.

Coloque em prática o que descobriu sobre a contratação de funcionários

Depois de ter conhecido os fatores que o mercado leva em conta na hora de fazer a contratação de funcionários, você já está pronto para dar início à sua busca pelos melhores postos. É fundamental que você se prepare com base nas demandas das empresas para que possa ser competitivo e garantir a sua vaga nas oportunidades mais atrativas. Com esse espírito, não deixe de se capacitar e trilhe com sucesso a sua carreira!

Agora que você já sabe mais sobre como entrar no mercado de trabalho, que tal compartilhar o post com seus amigos nas redes sociais?



Nosso App

Nossas Redes Sociais