Afinal, vale a pena trabalhar com recursos humanos? Saiba neste post

  • 26/abr/2019

Afinal, vale a pena trabalhar com recursos humanos? Saiba neste post

 

Você já considerou a opção de trabalhar com Recursos Humanos? Saiba que essa é uma carreira promissora, já que o gestor de RH é um profissional indispensável para as organizações. É ele quem gerencia as relações da empresa com os colaboradores, por meio de diversas atribuições, como veremos ao longo deste post.

Continue a leitura e entenda quais são as atividades desenvolvidas pelo gestor de RH. Saiba também quais são as competências necessárias para esse profissional e quais os requisitos para atuar na área. Esclareça ainda outra questão que gera muita dúvida, sobre as diferenças entre Recursos Humanos e Departamento Pessoal. Quer conferir tudo isso e mais um pouco? Vamos lá!

Quais as atribuições e competências do profissional de RH?

As responsabilidades do profissional de recursos humanos são inúmeras e vão bem além das conhecidas ações de recrutamento e seleção — claro que essa também é uma das atividades mais importantes para a empresa. Contudo, além de coordenar os processos para contratação de novos funcionários, o gestor de RH também ajuda no treinamento e desenvolvimento dos antigos colaboradores.

A rotina desse profissional inclui desde as etapas burocráticas das funções administrativas até a elaboração de programas de incentivo aos hábitos saudáveis. Afinal, colaboradores com mais qualidade de vida ficam mais motivados e engajados, o que resulta no aumento da produtividade e na melhora do clima organizacional.

E as atribuições de quem trabalha com recursos humanos não param por aí. Veja a lista de atividades que esse profissional pode desenvolver:

  • recrutamento e seleção de candidatos — incluindo triagem de currículos, realização de entrevistas, aplicação de testes e dinâmicas etc.;

  • treinamento e integração de novos funcionários;

  • treinamento, desenvolvimento e capacitação dos colaboradores em geral;

  • elaboração de planos de carreira e programas de retenção de talentos;

  • pesquisa e análise de remuneração e benefícios;

  • pesquisas de clima organizacional e satisfação dos colaboradores;

  • avaliação de desempenho individual e coletivo e gerenciamento de estratégias;

  • administração de conflitos na equipe;

  • elaboração de estratégias de motivação, engajamento e incentivo à qualidade de vida;

  • movimentação de pessoal entre setores;

  • processos administrativos relacionados aos direitos trabalhistas e previdenciários;

  • análise e gerenciamento de risco;

  • relacionamento com sindicatos.

Além da alta qualificação necessária para corresponder às atribuições da profissão, o gestor de RH também precisa ter ou desenvolver certas habilidades e competências que não podem faltar a quem trabalha com gestão de pessoas, como: comunicação eficiente; organização; responsabilidade; visão estratégica; raciocínio rápido; flexibilidade; paciência; espírito de equipe e carisma.

Existe diferença entre Recursos Humanos e Departamento Pessoal?

Sim! São dois departamentos com responsabilidades distintas. Mas é comum que as pessoas se confundam em relação às tarefas executadas nesses dois setores. Isso acontece porque em algumas empresas os profissionais das duas áreas trabalham juntos, em uma única repartição, e acabam exercendo funções semelhantes.

As pequenas empresas, com frequência, não dispõem de um setor específico para as atividades de departamento pessoal e os cálculos necessários ficam a cargo de um contador. Já em organizações de médio porte pode acontecer de os dois setores dividirem espaço e compartilharem tarefas.

As grandes corporações, por sua vez, normalmente trabalham com departamentos segmentados e exclusivos para cada ramo de atividade. Assim, o DP se concentra em determinados processos administrativos, enquanto o RH volta sua atenção à gestão de pessoas.

Se você também tinha essa dúvida, veja quais são as diferenças entre as áreas!

Departamento Pessoal

Os profissionais que trabalham nessa repartição da empresa ficam encarregados de administrar a parte mais burocrática das relações trabalhistas. Isso inclui as seguintes tarefas:

  • assistência ao funcionário nas etapas de contratação — solicitação de documentação, encaminhamento para exame médico admissional, entre outras ações;

  • cálculo de folha de pagamento, considerando horas extras, faltas e atrasos na marcação de ponto, atestados e licenças médicas, entre outros pontos que interferem na remuneração total de cada contratado;

  • avaliação de benefícios, como vale-transporte, vale-refeição, convênio médico etc.;

  • observação às leis e direitos do trabalhador, como descanso semanal remunerado, férias e 13º salário;

  • elaboração de rescisão contratual e cálculo dos valores envolvidos no desligamento do funcionário — aviso prévio, proporcional de férias e de décimo terceiro etc.

Recursos Humanos

A área de Recursos Humanos é bem abrangente. As tarefas exercidas pelo profissional de RH já foram descritas um pouco acima, neste post. Recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, implementação de programas motivacionais, pesquisas de clima organizacional e diversas outras atividades são desenvolvidas nesse setor.

De modo geral, trabalhar com recursos humanos significa reunir uma série de competências, políticas e estratégias para gerir os comportamentos da equipe de colaboradores e promover melhorias internas. Afinal, fortalecer o capital humano ainda é o melhor método para elevar o desempenho da organização como um todo.

O que é necessário para trabalhar com recursos humanos?

Nos últimos tempos, a área de RH tem passado por várias transformações em decorrência das inovações do mercado de trabalho. A partir disso, foram atualizadas até as exigências quanto ao perfil do profissional de recursos humanos. Ter conhecimento técnico sobre os processos básicos do setor já não é um indicativo de que o gestor de RH esteja alinhado ao planejamento da empresa.

Isso não significa que as funções tradicionais — processos de contratação, análise de remuneração e benefícios etc. — deixaram de ser necessárias para a organização. Claro que todas as ações do departamento de recursos humanos ainda são indispensáveis para o funcionamento geral da empresa. Contudo, o diferencial do profissional dessa área está na visão estratégica e na habilidade de apresentar soluções para os diferentes obstáculos organizacionais.

Hoje, o profissional de RH deve unir dois pontos fundamentais: a capacidade de gerir pessoas e o amplo entendimento sobre negócios e rentabilidade empresarial. Mas como alcançar esse nível de eficiência? O curso de Gestão de Recursos Humanos é o primeiro e decisivo passo para consolidar carreira nessa área.

Outros caminhos para ampliar o conhecimento na profissão e se tornar um gestor de RH cada vez mais preparado é a troca de experiências. Portanto, participar de fóruns, feiras e outros eventos vai facilitar a abertura de novas portas.

Além disso, trata-se de uma carreira que possibilita um rápido crescimento. Em pouco tempo, os assistentes mais capacitados podem ocupar cargos de analista ou supervisor — só depende do empenho de cada um! Para atingir o ápice da qualificação profissional e chegar a níveis elevados, um curso de especialização pode fazer toda a diferença.

Para concluir, a resposta que você procura neste post é: sim, vale a pena trabalhar com recursos humanos! A demanda do mercado é crescente em diferentes setores e as empresas buscam colaboradores cada vez mais capacitados, o que garante muito trabalho ao gestor de RH. Portanto, se essa é uma das suas opções de curso, não tenha receio. O sucesso profissional está à sua espera!

Agora, aproveite a visita à nossa página e baixe um de nossos materiais imperdíveis, como o e-book que explica por que a educação a distância pode ser a sua melhor escolha para seguir com os estudos. Aproveite!

 

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você

Nosso App

Nossas Redes Sociais