O que é o Enade e como ele se aplica aos alunos EAD?

  • 08/out/2018

O que é o Enade e como ele se aplica aos alunos EAD?

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) é uma avaliação oficial do Ministério da Educação (MEC) que tem o objetivo de verificar a qualidade dos cursos superiores em diversas instituições de ensino do país, tanto na modalidade a distância (EAD) quanto na presencial.

É por meio dos resultados desse exame que os estudantes que estão querendo ingressar em uma instituição de ensino superior podem avaliar a qualidade dos cursos oferecidos por ela. Dessa forma, eles podem fazer a melhor escolha possível com base em critérios objetivos.

Se você ainda não sabe como funciona o Enade ou como ele se aplica à modalidade de educação a distância, confira o post que preparamos para tirar todas as suas dúvidas!

Como funciona o Enade?

Aplicado desde 2004 como forma de medir a qualidade do ensino superior no país, o Enade é elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), instituto também responsável pela aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A avaliação ocorre anualmente e envolve a aplicação de provas e questionários com o objetivo de medir o rendimento dos alunos de acordo com os conteúdos programáticos do curso avaliado. As áreas de ensino selecionadas para participar da prova variam ano a ano, na forma de um rodízio.

Ao contrário do Enem, o objetivo aqui não é apresentar uma avaliação individual do desempenho de cada estudante, mas sim uma visão geral sobre os cursos oferecidos pelas faculdades. Dessa forma, a nota do exame não é direcionada aos alunos, e sim aos cursos de cada instituição de ensino participante.

O que é o Conceito Enade?

Conceito Enade é o resultado do exame para cada curso. Ele é calculado com base na nota média dos alunos que fizeram o exame e nos questionários de avaliação respondidos por eles. Basicamente, atribui-se uma nota a cada curso participante.

Para consultar os resultados da avaliação, basta acessar o e-MEC, base de dados oficial do MEC sobre instituições de ensino superior, e pesquisar sobre a faculdade do seu interesse. As notas do exame variam entre 1 e 5, sendo que as notas 1 e 2 são consideradas insatisfatórias, e a partir de 3 o resultado é considerado satisfatório de acordo com as expectativas no MEC.

Para que serve o resultado do Enade?

Cursos com resultados insatisfatórios são colocados em observação e, caso o resultado se repita, podem até ser impedidos de abrir novas turmas. Vale ressaltar que a nota é direcionada ao curso e não à instituição como um todo.

Além disso, os resultados do Enade servem para produzir dados de referência sobre a qualidade do ensino superior em todo o país. Assim, é possível verificar as diferenças existentes no ensino superior em cada região geográfica, em estados e municípios. Tais resultados servem também para avaliar fatores externos ao próprio ensino que podem influenciar no rendimento dos estudantes.

Por meio dessas informações, o governo pode acompanhar o desempenho acadêmico pelo país, traçando estratégias e adotando medidas para melhorar a educação superior progressivamente.

Quais aspectos a avaliação do Inep engloba?

O Enade avalia as competências dos alunos concluintes em relação àquilo que é esperado que tenham para ingressar no mercado de trabalho. No entanto, não se trata apenas de saber se os alunos têm ou não tais competências.

Por meio dos questionários aplicados em conjunto com a prova o exame também avalia o contexto socioeconômico dos estudantes, o corpo docente e a organização do curso, além da infraestrutura da instituição de ensino.

Como funcionam os ciclos de avaliação?

O Enade acontece todos os anos, mas não avalia todos os cursos de uma só vez — ele é organizado em ciclos de avaliação. Esses ciclos são divididos de forma que cada curso seja avaliado de três em três anos.

Para começar, existem dois eixos de organização, os cursos de bacharelado e licenciatura e os cursos tecnológicos. Cada um desses eixos é dividido em três áreas do conhecimento.

Em 2017, por exemplo, foram avaliados os cursos de Ciências Exatas, Licenciaturas e áreas afins, no primeiro eixo, e os cursos de Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura e Produção Industrial no eixo tecnológico. Todos os cursos que integram essas áreas participaram das provas, e só serão avaliados novamente em 2020.

Quem deve participar da prova?

O Enade pode ser obrigatório para todos os alunos concluintes dos cursos que participarão do ciclo de avaliação daquele ano. Por exemplo, se o curso de Administração for avaliado em 2018, todos os estudantes que estão perto da conclusão do curso naquele ano deverão participar. No entanto, em alguns anos, o Inep pode escolher aplicar as provas por amostragem, selecionando apenas uma determinada porcentagem dos alunos finalistas.

Como concluintes o MEC entende aqueles alunos que já cursaram 80% ou mais da carga horária do curso, no caso das licenciaturas e bacharelados, e 75% ou mais no caso dos cursos superiores de tecnologia.

Em algumas edições do exame também podem ser selecionados para participar alunos ingressantes, que estejam começando a faculdade e tenham cursado de 0 a 25% da carga horária do curso. Para aqueles que estão terminando a faculdade, a participação no exame é condição essencial para a emissão do diploma, ou seja, não pode ser recusada.

Além dos estudantes selecionados — para os quais a participação é obrigatória — é possível também que outros alunos que tenham interesse em fazer o exame se candidatem para tal. Apesar de suas notas entrarem na composição da avaliação, a participação nesse caso é voluntária.

O que acontece com quem falta no dia do exame?

Caso sua participação seja obrigatória, o estudante que deixar de comparecer no dia do exame ficará em situação irregular perante o Enade. Após a data de realização das provas, o aluno que estava inscrito e não compareceu terá um prazo para justificar sua ausência. Seu histórico ficará prejudicado e ele não poderá obter o diploma enquanto não regularizar sua situação.

É possível ter que fazer o Enade duas vezes?

Isso pode acontecer em dois casos: se um aluno participou do Enade no início do curso, como ingressante, e se no próximo ciclo em que seu curso for avaliado novamente ele ainda estiver matriculado e atender aos critérios para ser considerado um concluinte.

Da mesma forma, caso mude de curso ou comece outra graduação, o estudante poderá ter que participar novamente da prova se seu novo curso estiver no ciclo de avaliação.

Como saber se preciso participar da prova?

Quando um curso está entre os que serão avaliados naquele ano, geralmente cabe à instituição de ensino informar aos estudantes habilitados sobre os detalhes de sua participação. Em 2018, serão avaliados 14 cursos de bacharelado e 13 cursos de tecnologia, que podem ser conferidos na página do Inep.

Cabe à faculdade verificar os alunos que atendem aos critérios de participação e inscrevê-los no exame na data determinada pelo Inep.

É preciso fazer inscrição?

Não é necessário que o aluno se inscreva para participar da prova, já que essa responsabilidade cabe à instituição de ensino. No entanto, nos últimos anos o Inep tem pedido que os estudantes acessem o portal do Enade para conferir ou atualizar dados. Também cabe ao estudante pedir atendimento especial, caso seja necessário.

É possível se formar sem ter que participar do Enade?

Como a avaliação dos cursos é trienal, de acordo com seu ano de entrada na faculdade é possível que um aluno nunca tenham que participar da prova obrigatoriamente, nem como ingressante, nem como finalista. Caso isso ocorra, não há problema e o estudante não fica em situação irregular.

Vale ressaltar, no entanto, que é possível participar da prova como voluntário, e que ela é uma excelente chance para revisar o conteúdo aprendido durante toda a faculdade.

Por que participar do Enade?

O Enade é a chance que os estudantes têm de avaliar seu curso perante o MEC — essa é a principal função dos questionários avaliativos que devem ser preenchidos pelos participantes da prova. Além disso, a nota alcançada pelos estudantes de agora será parâmetro de escolha para futuros alunos que tem interesse naquele curso.

Assim, os participantes ajudam a garantir o sucesso da instituição ou, caso o resultado não seja satisfatório, contribuem para que o MEC possa analisar a situação de forma adequada e tomar as medidas necessárias para solucionar os problemas encontrados e garantir a qualidade da educação superior.

Por outro lado, ao cobrar conteúdos relativos à grade curricular obrigatória do curso, a prova serve como uma boa revisão de conteúdo para o aluno concluinte. É uma excelente chance para relembrar assuntos e sair da faculdade com tudo na ponta da língua, pronto para participar de concursos de trabalho, programas de trainee ou de uma seleção de mestrado, por exemplo.

Que diferença a nota do Enade faz na carreira?

Quanto mais bem avaliada for a instituição de ensino, melhor sua reputação no mercado de trabalho e, consequentemente, maiores as chances de boa colocação de seus alunos ou ex-alunos.

Muitas empresas podem usar a nota dos cursos no Enade como critério de desempate entre candidatos, principalmente em programas de trainee. Essa é uma forma de avaliar a qualidade das instituições e buscar os candidatos com melhor formação sem cair em preconceitos ou discriminações.

Como o Enade é aplicado na educação a distância?

Os cursos na modalidade EAD também são avaliados pelo Enade da mesma forma que os presenciais. Afinal, não seria possível para o MEC reconhecer o desempenho de algumas faculdades a distância se elas não participassem da avaliação.

Devemos lembrar aqui que tanto o curso superior quanto a instituição de ensino devem ser credenciados pelo MEC para que tenham validade. Dessa forma, caso não haja o reconhecimento do ministério em relação a algum curso, o diploma obtido por ele não terá legitimidade no mercado de trabalho.

Uma instituição não credenciada pelo MEC, seja presencial ou EAD, obviamente não participará do Enade, pois, em teoria, ela sequer existe. Já as instituições EAD devidamente reconhecidas participarão do exame da mesma forma que qualquer outra faculdade presencial.

Os alunos serão selecionados entre os que estão matriculados no primeiro e no último ano do curso, de acordo com a carga horária já cursada e os critérios estabelecidos para a prova daquele respectivo ano, e serão obrigados a prestar o exame.

Nesse caso, mesmo para os alunos EAD não há a possibilidade de fazer a prova a distância. É necessário se apresentar pessoalmente no lugar definido pelo Inep no dia designado, portando um documento de identidade com foto. A participação do estudante é comprovada por meio da sua assinatura na lista de presença a partir do momento em que ele entra na sala designada para aplicação do exame.

Qual é a sua importância para a EAD?

Apesar de a educação a distância estar se tornando cada vez mais popular, ainda existe um grande preconceito em relação a essa modalidade de ensino. Muitas pessoas acreditam que os cursos EAD têm qualidade inferior em relação aos presenciais. Nesse ponto, o Enade serve como um excelente parâmetro para comprovar que essa informação é falsa.

Desde 2007, os dados estatísticos divulgados pelo Censo Estudantil vêm demonstrando que os cursos a distância, em geral, conseguem apresentar um conceito superior no Enade em relação aos cursos presenciais.

Estudantes EAD apresentam um rendimento superior em diversos pontos do exame quando comparados aos presenciais. Não é à toa que diversas faculdades estão investindo cada vez mais nessa modalidade de ensino e que o número de alunos é cada vez maior.

Ao avaliar a qualidade de um curso ou de uma instituição, as pessoas não devem precisar usar a modalidade de ensino oferecida como um critério de exclusão. Primeiramente, como já mencionamos, é preciso verificar se os cursos são credenciados pelo MEC. Em segundo lugar, a própria avaliação do ministério e o conceito no Enade é que devem ser utilizados como parâmetro para definir se um curso é de boa qualidade ou não.

Pouco a pouco, o crescimento da EAD e o seu destaque no Enade vão suprimir esse preconceito, deixando claro para todos que a modalidade a distância tem apenas vantagens a oferecer, principalmente para os estudantes que não têm condições de arcar com um curso presencial ou tempo para frequentá-lo.

Já que você está interessado no assunto, aproveite para conhecer o nosso guia gratuito sobre a educação a distância e descubra as diversas vantagens que essa modalidade de ensino tem a oferecer!



Nosso App

Nossas Redes Sociais