Afinal, você sabe o que é Big Data? Entenda para que ele serve!

  • 08/jan/2020

Afinal, você sabe o que é Big Data? Entenda para que ele serve!

Quem vivencia o mundo digital, usando aplicativos ou comprando online, por exemplo, pode até não saber o que é Big Data, mas certamente já está participando. Os registros de operações e atividades pela internet formam bancos de dados valiosos, dentro dos quais é possível extrair padrões e tendências.

Nesse sentido, já existem profissionais especializados nessa tarefa, que contribuem com decisões empresariais, melhorias de software, pesquisas científicas etc. Logo, você também pode, com a qualificação adequada, construir uma carreira de sucesso nesse segmento da Tecnologia da Informação (TI).

Quer aprender mais sobre o que é Big Data e o mercado de trabalho para os profissionais da área? Continue a leitura e confira este conteúdo feito especialmente para quem procura oportunidades e gostaria de atuar no segmento!

O que é Big Data?

A expressão é utilizada para designar grandes volume de dados. Imagine que você mantém um e-commerce: todos os dias milhares de compras serão registradas, formando um bloco gigantesco de informações. Logo, com o devido tratamento, você pode identificar que produtos são comprados pelos mais jovens ou pelos mais idosos, por exemplo.

Consequentemente, dentro da TI, existe um segmento especializado em desenvolver e manter os serviços destinados a realizar essa análise. O profissional de Big Data está entre as novas profissões do mercado, sendo o responsável por tratar os dados e fornecer informações úteis para pesquisa científica, negócios, avaliação de riscos etc.

Para usarmos uma definição mais formal, veja o que diz o verbete do Lexico, dicionário online da universidade Oxford, em tradução livre: “Conjuntos de dados extremamente grandes que podem ser analisados computacionalmente para revelar padrões, tendências e associações, especialmente relacionadas ao comportamento e interações humanas”.

É interessante notar que a tecnologia necessária para tratar os dados está mais acessível do que nunca. Hoje, mesmo uma pequena empresa pode contar com softwares e serviços em áreas-chave, como comercial, fiscal e RH, para tomar decisões mais embasadas.

Outro ponto é que existe uma grande intimidade entre Big Data e Inteligência Artificial. Isso porque as ferramentas que simulam características humanas — como raciocínio e aprendizado — conferem ainda mais precisão às avaliações realizadas em grandes blocos de informação.

Quais são os 3 Vs do Big Data?

Não é qualquer conjunto de informações que interessa aos estudiosos e profissionais de Big Data. Existem certos princípios, os chamados 3 Vs, que guiam as atividades relacionadas à análise — do desenvolvimento de softwares até a aplicação de soluções digitais aos negócios.

Volume

As ferramentas de Big Data atuam sobre grandes volumes de dados, e existe uma justificativa em termos de metodologia científica para isso.

Você provavelmente está familiarizado com as pesquisas eleitorais, em que, por meio de uma amostragem, chega-se ao resultado esperado no dia da votação. Ocorre que, quanto maior for essa amostragem, maiores são as chances de acerto.

Consequentemente, se você deseja saber se são os homens ou as mulheres quem estão mais satisfeitos com um produto, por exemplo, o resultado pode ser bastante confiável se foram abrangidos milhões de registros.

Velocidade

Outro princípio é usar a capacidade de computação existente para encontrar os resultados de maneira ágil. Afinal de contas, a tomada de decisões nas empresas precisa ser tempestiva, ou seja, não se pode perder o momento de implementar uma medida ou mudança.

Variedade

Por fim, a ideia de variedade corresponde ao tipo de dado que pode ser utilizado, como vídeo, áudio, texto e código de programação etc. Assim, os softwares de Big Data precisa lidar com diferentes formatos.

Qual é a importância do Big Data?

A Big Data vem ganhando cada vez mais espaço porque permite melhorar a confiabilidade e a abrangência do conhecimento de empresas e instituições.

Powered by Rock Convert

O embasamento em dados assegura que as tendências e padrões revelados não são mero achismo, mas informações com os dois pés fincados na realidade.

Entre as aplicações à tomada de decisão, existem quatro tipos diferentes de análise, que podem conceder o embasamento necessário para fazer escolhas mais adequadas:

  • análise diagnóstica — permite identificar e mapear uma determinada situação ou problema;
  • análise descritiva — esclarece cenários, situações, problemas e questões;
  • análise preditiva — ajuda a projetar cenários futuros;
  • análise prescritiva — identifica medidas que possam ser implementadas e propostas de solução de problemas.

Aos poucos, não por acaso, as ferramentas ganham espaço nas empresas. O RH utiliza para entender a satisfação dos colaboradores com o ambiente de trabalho, o jurídico para mapear tendências em decisões, o comercial para identificar os critérios de compra e assim por diante.

Como está o mercado de trabalho para Big Data?

O segmento de Tecnologia da Informação é estratégico dentro das empresas de hoje. Não dá para pensar a competitividade sem buscar formas de automatizar processos e de aplicar as inovações dentro do negócio.

Em relação ao profissional de Big Data, os espaços podem ser encontrado na área de Business Intelligence (BI), que utiliza as análises de grande volumes para fundamentar as estratégias empresariais.

Hoje, segundo o Guia Salarial da Robert Half de 2020, para se ter uma ideia, o analista de BI júnior ganha de R$ 3.850,00 a R$ 7850,00, em média, variando conforme o número de meses na empresa. Já o profissional pleno recebe entre R$ 6.200,00 e R$ 12.550,00, enquanto o sênior de R$ 8.500,00 a R$ 17.300,00.

A consultoria de RH também lista duas funções de topo de carreira, dentro do item Big Data. O especialista de BI tem média salarial de R$ 10.550,00 a R$ 20.450,00, e os ganhos do cientista de dados variam de R$ 13.100,00 a R$ 26.000,00.

Em geral, as posições de analista júnior, pleno ou sênior estão mais ligadas ao aspecto operacional, de executar as avaliações sob o volume de dados e mapear os padrões. Já os cargos de especialista e cientista costumam ter função de liderança, além de serem consultivos, atuando em conjunto com a administração para elaborar estratégias e mudanças.

Também é possível verificar uma exigência cada vez maior desses profissionais no RH. A People Analytics se tornou uma tendência no setor, sendo usada para triar candidatos em processos seletivos, entender o clima das organizações, verificar as necessidades de treinamento, entre outras funções.

Como trabalhar na área?

O plano de carreira para atuar na área depende do estágio em que você se encontra. Se já for graduado em áreas como Ciências da Computação, Tecnologia da Informação, Administração de Empresas, Contabilidade, Gestão Pública e Economia, entre outras, o passo seguinte é buscar uma especialização.

Pela própria maneira como funciona uma pós-graduação, a especialização apresenta a vantagem de o conhecimento ser transmitido em um programa de desenvolvimento. Quem estuda Big Data e TI sem apoio terá dificuldades para fazer as informações conversarem entre si, porque sabe um pouco de cada assunto, mas não tem o quadro geral.

Além disso, é importante realizar o curso específico em Big Data, aprofundando os conhecimentos e recebendo uma preparação própria para funções de analista e cientista de dados.

No entanto, não basta ter o diploma ou certificado. Nos processos seletivos, o profissional é submetido a testes práticos de seus conhecimentos, sendo eliminado caso não mostre pleno domínio de sua área. Procure, portanto, uma formação de boa qualidade, com um corpo docente de excelência e referências positivas dos ex-alunos.

Já se você precisa trabalhar e estudar, a pós-graduação a distância será a saída para se dedicar ao máximo e preparar-se com excelência. A modalidade possibilita o estudo online, nos horários em que o profissional tem à disposição. Logo, não se perde nada em razão de demandas ou imprevistos de emprego.

Sendo assim, você reúne todas as condições para se qualificar e buscar uma oportunidade nessa área estratégica para as empresas. Afinal, além de saber o que é Big Data, conhece os passos necessários para desenvolver as competências exigidas pelo segmento.

Se quiser aprender mais sobre a carreira de cientista de dados, acesse o guia completo e tire todas as suas dúvidas!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você