11 atitudes empreendedoras valorizadas no mercado de trabalho

  • 25/ago/2020

11 atitudes empreendedoras valorizadas no mercado de trabalho

Tempo de Leitura: 5 minutos

Embora aspectos como formação acadêmica, ética profissional e experiência de trabalho sejam requisitos importantes e bastante avaliados nos processos seletivos, cada vez mais é comum encontrar empresas que também analisam se os candidatos têm atitudes empreendedoras.

Ou seja, se esses profissionais limitam a própria atuação ao que é repassado pelos superiores ou se eles apresentam uma postura combatente e de execução, garantindo que tanto negócios ativos quanto novos projetos da companhia sejam agenciados, planejados e realizados sem a necessidade de ordens ou cobranças prévias.

Pensando nesse assunto, reunimos 11 atitudes empreendedoras que você deve ter para se destacar no mercado e conquistar uma transição de carreira sólida. Acompanhe!

1. Flexibilidade

A primeira delas é a flexibilidade. Isso porque o mercado atual é volátil e exige que o profissional esteja apto a lidar com novos cenários de trabalho e seja capaz de solucionar as demandas geradas neles. Alguns exemplos são a prestação virtual de serviços ao consumidor, a realização de atividades laborais em regime remoto, a atuação múltipla em franquias de comércio, a supervisão e implementação de filiais no exterior etc.

2. Coragem

Já a coragem é imprescindível para quem busca reconhecimento profissional. Afinal, os departamentos das empresas costumam conceber muitos projetos para a expansão dela e o fortalecimento da marca, mas poucos são levados a diante e apresentados à diretoria.

Para isso acontecer, é preciso assumir riscos, ficar responsável por uma série de ações, lidar com entraves jurídicos e financeiros, realizar pesquisas mercadológicas e conseguir reconhecer quando o trabalho produzido não foi produtivo e representou um mau investimento. Sem coragem, nada disso é possível.

3. Resiliência

A resiliência, por sua vez, é a capacidade que um indivíduo tem de lidar com pressões profissionais, cobranças por resultados, reestruturações internas da empresa, impasses dentro da própria equipe e dificuldades para a realização do trabalho sem se deixar abalar ou afetar negativamente.

Ao contrário, mesmo diante das piores adversidades, ele consegue, como diz o ditado, fazer dos limões uma limonada. Ou seja, mantém uma postura exemplar e até mesmo inspiradora para todos os colegas de como superar os desafios.

4. Iniciativa

Por meio da iniciativa, o profissional tem a oportunidade de se fazer notar no ambiente de trabalho, participar mais ativamente das atividades desenvolvidas internamente na empresa, explorar segmentos de atuação de outras áreas, praticar networking, desenvolver uma aproximação com fornecedores e parceiros comerciais e ser considerado um colaborador-chave para o andamento do setor.

5. Disciplina

Ter disciplina no trabalho é outra atitude bastante cobrada pelo mercado. O motivo disso é que ela molda a sua conduta profissional, assegurando, por exemplo, a assiduidade na jornada laboral, o seu comprometimento com reuniões de equipe e conferências do setor, o cumprimento dos prazos estabelecidos, a realização de medidas e ações para o alcance de métricas de performance e muito mais.

6. Proatividade

Como você já podia imaginar, a proatividade também está nesta lista de atitudes empreendedoras. Isso porque ela traduz exatamente o que é o empreendedorismo: buscar alternativas de melhoria e avanço para o trabalho que você realiza, sem esperar que antes aconteça problemas dentro da companhia, capazes de afetar o produto ou serviço oferecido aos clientes, crises de mercado ou situações de forte concorrência. É estar sempre um passo à frente da adversidade para contorná-la e superá-la antes que os prejuízos batam na porta.

7. Inovação

A inovação está ligada ao potencial de pensar e propor soluções que facilitem e otimizem não só o seu trabalho, mas também o das pessoas que atuam ao seu lado. Podem ser ideias envolvendo o escritório, as regras e normas organizacionais, o período da jornada laboral ou os equipamentos e recursos tecnológicos disponíveis para os colaboradores.

8. Liderança

A liderança, por outro lado, é uma característica que mostra o seu potencial não só para delegar tarefas de maneira justa, promover tomadas de decisão democráticas entre os membros da equipe e assumir a supervisão e o controle das atividades dos demais, mas também para exercer o comando de negociações e novas empreitadas organizacionais.

Todas essas ações requerem alguém dinâmico e dedicado, com alta capacidade de gestão e senso apurado de equidade e justiça no ambiente corporativo.

9. Persuasão

A persuasão é um aspecto muito próximo da liderança, da iniciativa e da inovação. Isso porque ela está relacionada à sua capacidade de se comunicar de forma efetiva com pessoas em diferentes posições na hierarquia da organização, convencer colegas sobre ideias e sugestões inovadoras para o setor, negociar atividades, funções e projetos para se destacar e, simultaneamente, favorecer o crescimento e o reconhecimento da equipe.

10. Paixão

Fora o que já foi dito, a paixão pela área em que você atua é essencial para ser bem-sucedido no mercado. Um profissional que não ama a própria profissão dificilmente vai se comprometer, se dedicar e lutar com unhas e dentes pelo trabalho que realiza.

Ao contrário, será apenas mais um contratado no quadro de colaboradores da empresa, não fazendo diferença no escritório, sem contribuir para o desenvolvimento da equipe nem para o crescimento da organização.

11. Automotivação

Por fim, a automotivação. A razão dela é simples: mesmo em categorias profissionais estáveis, você lidará com momentos na carreira que vão exigir da sua parte uma capacidade de se reinventar e se aperfeiçoar para não acabar estagnado. Logo, saber se automotivar para crescer na profissão, independentemente dos problemas presentes, é algo que faz a diferença.

Agora que você conhece as atitudes empreendedoras indispensáveis para um profissional se destacar no mercado, foque em duas ações importantes para desenvolvê-las — trabalhá-las no dia a dia e dominá-las. Para isso, você deve passar por um processo de autoconhecimento contínuo e aprimorar o seu nível de inteligência emocional. Desse modo, estará melhor preparado para lidar com os desafios que vão surgir na sua carreira e, assim, obter o sucesso desejado na área de atuação escolhida.

Gostou do post? Então compartilhe este texto nas suas redes sociais para inspirar e motivar os seus amigos a também adquirirem essas atitudes empreendedoras!

inscrição graduaçãoPowered by Rock Convert

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você