Professor de cursinho: saiba como seguir essa carreira!

  • 06/mar/2020

Professor de cursinho: saiba como seguir essa carreira!

Tempo de Leitura: 5 minutos

Mesmo que você não tenha feito um curso preparatório para vestibular, já deve ter ouvido falar sobre os diferenciais de um professor de cursinho. Esses profissionais são conhecidos por serem eficientes, superdidáticos e muito divertidos. Até mesmo na internet, ganham os corações de muitos jovens com vídeos de aulas nada convencionais.

Provavelmente, você já teve contato com alguma paródia musical usada para ajudar os alunos. Sim! A profissão de professor de cursinho é bastante descontraída, mas exige responsabilidade na mesma medida. Afinal, os alunos que se preparam para o vestibular podem ser muito mais exigentes — é o grande sonho de entrar na faculdade que está em jogo.

Para que você possa entender melhor sobre essa atuação, preparamos este post com as principais informações sobre o assunto: os diferenciais e os desafios das aulas em cursinhos, além dos principais passos para quem quer se aventurar nessa área. Continue a leitura!

O que faz um professor de cursinho?

Em linhas gerais, a atuação de um professor de cursinho em nada difere de outras áreas de ensino. O que motiva esses profissionais é o desejo de ensinar. Para isso, precisam dar aulas, preparar atividades, organizar o conteúdo da disciplina e tirar as dúvidas dos alunos.

É comum que os professores comecem a lecionar no ensino regular: escolas da rede pública ou privada da Educação Básica. No entanto, podem se aventurar pelos cursos preparatórios em busca de um ambiente de trabalho em que possam ter mais autonomia.

Para dar aula em cursos preparatórios para vestibular ou concursos, normalmente não é exigido o grau de mestre ou especializações, como no ensino regular. Por isso, muitos recém-formados ou mesmo alunos que ainda estão na graduação veem nesses espaços uma grande oportunidade de adquirir experiência profissional.

Como ele se diferencia de outros professores?

Apesar de ter um exercício muito semelhante ao de professores do ensino regular, os profissionais que se dedicam aos cursinhos vivenciam um dia a dia de trabalho com grandes diferenciais. Veja a seguir alguns deles!

Alta descontração

É claro que não é uma regra, mas a tendência é que as aulas nessa área de ensino sejam mais descontraídas. Até porque a turma está mais engajada na busca pelo aprendizado, então, muitas vezes o professor não precisa de uma postura tão firme para demonstrar autoridade e conseguir atenção.

Mais autonomia

Como esses espaços normalmente não têm um currículo pedagógico para seguir à risca, como ocorre em instituições regulares de ensino, o professor de cursinho pode atuar com mais autonomia. Assim, tem mais liberdade para desenvolver métodos alternativos de ensino, elaborar atividades mais dinâmicas etc.

Ensino mais focado

Nos cursinhos, o ensino é totalmente focado na aprovação dos estudantes em vestibulares, Enem e concursos. Portanto, o professor consegue estruturar suas aulas de forma menos abrangente do que ocorre no ensino regular e, com isso, ter um trabalho mais imersivo.

Menos cobrança

Diferentemente do que acontece nas escolas, o professor de cursinho praticamente não precisa cobrar os alunos. Afinal, o perfil de estudante, nesse caso, é de grande interesse pelo aprendizado: há muita coisa em jogo! Então, o dia a dia na sala de aula costuma ser mais colaborativo.

Relação horizontal com os alunos

Embora muitos professores da escola possam marcar a nossa vida para sempre, a tendência é que, no ensino regular, haja uma diferença hierárquica mais acentuada. Nos cursinhos, seja pela possibilidade de uma diferença de idade menor, seja pela própria descontração das aulas, os professores e alunos podem ter uma relação mais aberta e acessível.

Quais são os principais desafios da profissão?

Apesar dos diferenciais muito interessantes, a profissão do professor de cursinho também encara grandes desafios. Conheça alguns deles abaixo:

  • salas cheias — se na escola as salas costumam ter entre 30 e 40 alunos, nos cursinhos, os professores podem lidar com turmas muito maiores, de até 150 alunos;
  • atualização constante — os alunos de cursinho são mais exigentes, tiram muitas dúvidas e pedem orientações. Com isso, os professores precisam se atualizar constantemente para ter sempre o conteúdo na ponta da língua;
  • aulas puxadas — o professor precisa condensar toda a matéria do Ensino Médio em cursos de 6 a 12 meses, então, as aulas costumam ser bem puxadas e repletas de conteúdo;
  • menos segurança — por não serem concursados, os professores de cursinho acabam não tendo a mesma segurança na carreira do que os de escolas públicas ou universidades;
  • enorme responsabilidade — a faculdade ou a carreira pública é o grande objetivo de muitas pessoas que apostam todas as fichas no cursinho. Assim, os professores carregam a enorme responsabilidade de estarem atuando diretamente no sonho de muitos adolescentes e adultos.

Como é o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho para professores de cursinho não para de crescer. Para que você tenha uma ideia, de acordo com o Anuário Brasileiro da Educação Básica de 2019, o Brasil enfrenta um déficit de professores bastante expressivo. No Ensino Médio, há uma taxa de 29,2% de escolas sem profissionais licenciados para dar aulas.

Já nos anos finais do Ensino Fundamental, esse percentual é de 37,8%. Sem uma formação adequada, nem sempre quem está à frente de uma sala de aula consegue proporcionar o melhor aprendizado aos alunos. Com isso, muitos estudantes saem do ensino regular despreparados para processos seletivos do Ensino Superior.

E mesmo para quem teve uma trajetória de estudos de qualidade, é interessante recorrer aos cursinhos para revisar o conteúdo do Ensino Médio. Afinal, o Enem, os vestibulares e os concursos públicos cobram um currículo extenso de conteúdos. Diante de tudo isso, o professor de cursinho encontra um terreno de grandes oportunidades profissionais.

Como se tornar um professor de cursinho?

Para se tornar professor de cursinho, a primeira dica é se especializar em determinada disciplina. Você pode, por exemplo, ser professor de Letras e Literatura ou, ainda, partir para as Exatas e Biológicas. O importante é ter uma área de conhecimento em que você é um especialista apaixonado.

No entanto, o amor pela matéria não é suficiente. Você também precisa desenvolver habilidades e competências para preparar aulas e conduzir uma turma de alunos. Veja alguns passos importantes!

Faça uma graduação

Embora muitos cursinhos contratem pessoas sem formação superior, a graduação é essencial para que você possa adquirir um conhecimento aprofundado na matéria. Um professor de História que não se formou como historiador, por exemplo, pode passar informações inconsistentes e, assim, mais atrapalhar do que ajudar.

Lembre-se da grande responsabilidade dessa profissão! Além disso, o diploma garante ao profissional uma autoridade maior em sala de aula e, por mais horizontal que seja a relação com os estudantes, é muito importante ter essa superioridade hierárquica.

Ainda, a graduação é capaz de ensinar habilidades fundamentais para o exercício do ensino. Especialmente um curso de Pedagogia ou alguma licenciatura, pois trazem disciplinas sobre Psicologia Escolar, Didática, entre outros pontos.

Saiba preparar aulas

Pelo fato de ter mais autonomia, o professor de cursinho também precisa ser um expert em preparação de aulas. Dificilmente haverá um manual com orientações detalhadas sobre como conduzir a aula no curso. O profissional precisa, sozinho, pensar em formas eficientes de garantir o aprendizado da turma.

Leituras complementares, vídeos da internet, experimentos científicos, debates e apresentações teatrais, são alguns exemplos de atividades que podem ser interessantes para transmitir o conhecimento e garantir o engajamento dos alunos.

Tenha experiência em sala de aula

Por fim, não é tão simples assim lidar com uma turma grande e exigente como acontece nos cursinhos. Por isso, é interessante ter alguma experiência em sala de aula. A dica é participar de monitorias na faculdade, dar aulas particulares de reforço escolar e realizar trabalho voluntário em cursinhos populares.

Gostou de conhecer mais sobre a profissão do professor de cursinho? Como deu para ver, essa atuação não é tão convencional, mas pode render um trabalho muito prazeroso e recompensador. Por isso, se você se interessa por essa profissão, não deixe de seguir nossas dicas.

Para conhecer ainda mais sobre essa nobre carreira, leia nosso post e saiba como se preparar para ser professor!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você