Como pagar faculdade sem atrapalhar o planejamento familiar?

  • 20/ago/2018

Como pagar faculdade sem atrapalhar o planejamento familiar?

Para quem está com o orçamento apertado e não quer deixar de lado o desejo de fazer um curso superior, esta é uma dúvida muito comum: como pagar faculdade? Afinal, investir em qualificação é o melhor caminho para construir uma carreira e conseguir uma situação financeira mais estável, certo?

Então, como sabemos que essa missão não é fácil e requer muito planejamento, separamos algumas dicas para ajudá-lo. Confira!

O que considerar nesse momento?

Depois de escolher um curso e uma boa Instituição de Ensino, sua próxima preocupação deve ser o que fazer para viabilizar os seus estudos. Para isso, você vai precisar colocar no papel todos os custos que a sua escolha vai gerar.

Essa é uma etapa importante e decisiva para muitas pessoas. Ao comparar as opções que você tem em vista, talvez a questão financeira seja determinante no seu processo de tomada de decisão. Isto é, decidir entre um curso ou outro, uma faculdade ou outra, ou até mesmo avaliar a possibilidade de morar em outra cidade.

Esse planejamento é essencial para evitar surpresas e reduzir o risco de comprometer a sua saúde financeira (ou da sua família). Logo, nenhum fator relevante pode ficar de fora, sendo necessário fazer uma descrição completa de valores como:

  • mensalidade;

  • matrícula;

  • materiais de estudo;

  • transporte/deslocamento;

  • alimentação;

  • moradia (aluguel, contas fixas e variáveis).

Fazer essa estimativa é o primeiro passo para saber se as despesas se encaixam no seu orçamento ou não. Se a resposta for negativa — o que é muito comum — não há motivos para tanto desespero. Veja a seguir o que fazer para melhorar a situação!

Como organizar-se financeiramente?

A organização financeira é um fator indispensável para qualquer pessoa que está planejando fazer um investimento maior, como entrar na faculdade, comprar um carro ou até programar uma viagem.

Se o dinheiro não está sobrando, não há outra maneira de alcançar o seu objetivo a não ser ajustando os seus gastos e redefinindo as suas prioridades. Então, descubra dicas que podem ser úteis para isso:

1. Faça uma planilha de controle

Levar o dia a dia sem ter noção de todos os nossos gastos é um perigo, pois acabamos gastando em pequenas coisas e depois não somos capazes de dizer para onde foi o nosso dinheiro.

Sendo assim, o ideal é organizar o seu orçamento de forma bem clara, para que você consiga identificar quais são as despesas mais relevantes e quais podem ser evitadas.

Nesse caso, uma boa tática para facilitar esse controle é fazer uma planilha — seja ela escrita à mão ou no computador. O que importa é que seja feita uma descrição minuciosa de tudo o que você gastou (comida, contas, lazer, transporte etc.) para facilitar a visualização completa do seu dinheiro.

Se preferir, atualmente existem aplicativos que fazem isso de maneira mais prática e que até podem ser sincronizados com a sua conta bancária. O segredo é mantê-la sempre atualizada!

2. Reveja todos os seus gastos

Após conseguir estruturar todos os gastos, é hora de rever o que pode ser eliminado ou não das suas despesas mais comuns. Afinal, você tem um propósito maior que precisa ser cumprido, não é?

Fazer esses sacrifícios nem sempre é fácil, mas procure lembrar-se sempre do seu objetivo para tornar essa tarefa menos dolorosa. Talvez a pizza do domingo, o cinema do fim de semana ou algum outro item tenha que ser cortado.

Por exemplo, já pensou em comer menos fora de casa e carregar sua marmita? Isso é capaz de gerar uma boa economia!

Além disso, reveja também as contas fixas da sua casa. Será que não há algum provedor de internet com um preço melhor? As luzes andam ficando muito tempo acesas? Reduzir alguns benefícios do plano de celular pode ser outra opção.

A princípio, pode parecer bobagem poupar pequenas quantias. Porém, economizando um pouco de cada lado, você vai ver como o resultado final será vantajoso para ajudar a arcar com os custos da faculdade.

3. Estabeleça algumas metas

Agora que você já está com o seu orçamento mais enxuto, aproveite para estabelecer algumas metas. Isso quer dizer que você vai precisar definir o que poderá ou não poderá ser feito para manter os seus planos em dia.

A importância dessas metas é não deixar que o esforço para economizar seja em vão. Imagine que você conseguiu reduzir 150 reais das despesas mensais. Se não definir para onde esse dinheiro vai, ele pode acabar perdido em qualquer outra coisa.

No caso do planejamento familiar, vale sentar-se com todos os integrantes da família e conversar sobre o assunto para alinhar os objetivos. Pensem no que é possível poupar e criem medidas para não cair em tentação. Além do mais, tentem fazer uma reserva para imprevistos e emergências.

4. Encontre uma forma de fazer dinheiro

A vida de estudante universitário certamente vai trazer vários desafios, mas muitas pessoas conseguem conciliar os estudos com um trabalho durante esse período. É claro que o tempo fica mais apertado, só que a possibilidade de ter uma renda extra também é bastante vantajosa.

Portanto, comece a procurar oportunidades de contribuir com a renda familiar. Fazer estágio, dar monitoria, trabalhar como freelancer ou mesmo investir em um hobby são boas maneiras de ganhar um dinheiro e ajudar a pagar as contas.

O que pode facilitar essa missão?

Para finalizar, não deixe de buscar informações sobre alternativas que podem facilitar sua missão de pagar a faculdade. Normalmente, vale a pena procurar a própria instituição para conhecer suas possibilidades ou pesquisar na internet a respeito disso.

De toda forma, existem duas opções que você precisa verificar:

1. Bolsas de estudo

Conseguir uma bolsa de estudo é um grande benefício para ajudar no orçamento, pois mesmo que ela não seja integral o desconto já costuma aliviar os gastos. Para isso, é preciso consultar a faculdade sobre a existência de bolsas e os critérios para consegui-las.

A outra tentativa é recorrer ao Prouni (Programa Universidade para Todos), que é um programa do governo federal que concede bolsas para estudantes de baixa renda ingressarem no Ensino Superior em instituições privadas.

As bolsas de 100% são destinadas a quem tem renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. Já as bolsas de 50% são para aqueles com renda familiar per capita de até três salários mínimos. Mais detalhes podem ser conferidos no site do Prouni.

2. Financiamento estudantil

Se a sua condição financeira atual realmente não permite cursar uma faculdade como você gostaria, busque um financiamento para isso. Assim, você terá mais tempo para pagar esse montante.

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) é a opção mais conhecida e vantajosa para os estudantes brasileiros, principalmente pelas taxas baixas. Também é um programa do governo que visa facilitar o acesso ao Ensino Superior, estabelecendo alguns critérios para o aluno participar.

Como última dica: tome muito cuidado com as linhas de crédito fácil que têm altos juros e podem complicar ainda mais sua situação. Em suma, o mais importante é não desistir do seu sonho e fazer com que a dúvida de como pagar faculdade seja repensada!

Gostou do post? Então, aproveite para seguir as nossas redes sociais (Facebook, Twitter e LinkedIn) e manter-se sempre informado!

 






Nosso App

Nossas Redes Sociais