O que é segurança da informação e por que ela é tão importante?

  • 04/mar/2020

O que é segurança da informação e por que ela é tão importante?

Tempo de Leitura: 5 minutos

Com os negócios e as relações servindo-se dos meios digitais, manter pessoas e dados protegidos se torna uma especialidade fundamental. Mas será que você sabe realmente o que é segurança da informação?

Para quem atua com tecnologia da informação ou é um usuário de serviços digitais, conhecer a área pode trazer grandes benefícios. Essa é uma excelente maneira de continuar os estudos e também de minimizar riscos em empresas, escritórios e demais organizações.

Por isso, reunimos e explicamos os conceitos mais importantes da matéria a seguir. Ao longo do conteúdo, você entenderá o que é segurança da informação e qual a importância do assunto nos dias atuais. Não deixe de conferir!

Afinal, o que é segurança da informação?

É o segmento de TI que cuida da preservação da integridade, autenticidade, disponibilidade e confidencialidade dos dados. Consequentemente, desenvolve métodos e técnicas de gerenciamento de riscos, bem como de prevenção e combate às violações propositais e acidentais dos sistemas.

A área é fundamental no mundo de hoje. À medida que nossas relações pessoais, profissionais e comerciais são cada vez mais desenvolvidas pela internet, a proteção de indivíduos e organizações nesse contexto se torna uma prioridade.

Para se ter uma ideia, em sua pesquisa global de segurança da informação, a PwC ouviu mais de 10 mil executivos sobre o assunto. O resultado foi que 59% dos entrevistados apontaram um aumento nos gastos com a segurança da informação, graças ao avanço da transformação digital. E 61%, a maioria, usam serviços para gerenciar cibersegurança e privacidade. 

Outro ponto é que a legislação também vem sofrendo alterações para se adequar à necessidade de segurança digital. No Brasil, a Lei dos Crimes Cibernéticos e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) são grandes exemplos dessa preocupação.

Quais são os 4 pilares da segurança da informação?

As iniciativas relacionadas à segurança da informação se baseiam na preservação de atributos essenciais: integridade, autenticidade, disponibilidade e confidencialidade. Nesse sentido, é importante conhecer cada um desses pilares para entender o papel da área mais a fundo.

Integridade

O primeiro atributo corresponde a manutenção da informação. Isto é, se ela não foi modificada de maneira indevida. Assim, fraudes e adulterações são exemplos de violações da integridade.

Autenticidade

Outro pilar é a garantia de que somente as pessoas autorizadas podem modificar o dado. É algo diferente da integridade: se um colaborador autorizado destrói uma informação, haverá autenticidade, mas a integridade do dado estará perdida, por exemplo.

Disponibilidade

Também é necessário preservar o acesso aos usuários. O ransomware, por exemplo, é um vírus que afeta esse elemento. Basicamente, o programa malicioso criptografa o conteúdo do dispositivo de informática, enquanto o atacante solicita um valor de “resgate” para desfazer a ocultação das informações.

Confidencialidade

Certas informações apresentam níveis mais elevados de sensibilidade, havendo o interesse de limitar o acesso. É o caso, por exemplo, da senha do banco, do registro biométrico, dos segredos empresariais etc.

Vale ressaltar que muitos autores indicam a agilidade como elemento essencial nos dias de hoje, em que as mudanças são rápidas e frequentes. Igualmente, a legalidade — conformidade com a lei — é mencionada em algumas publicações.

Por que ela é tão importante para as empresas?

Antes de tudo, é importante destacar que a Lei Geral de Proteção dos Dados definiu a responsabilidade pelos dados coletados a respeito das pessoas. Logo, com a norma que passa a valer em agosto de 2020, o investimento em segurança da informação não será opcional para a maioria das empresas.

Além disso, o caminho natural para o crescimento de negócios são os investimentos em tecnologia da informação. Computação em nuvem, consumo digital, internet das coisas, inteligência artificial, tudo isso está cada vez mais presente nas organizações, requerendo boas práticas de segurança.

Também é importante mencionar os prejuízos causados por violações de dados. Um Estudo da IBM Security em parceria com o Instituto Ponemon revela que as violações maliciosas custam em média U$ 1 milhão às empresas. No Brasil, o valor é ainda maior: U$ 1,35 milhão.

Sendo assim, a segurança da informação deve ser uma prioridade nas empresas. Ataques hacker e cracker, bem como violações acidentais, podem trazer graves prejuízos financeiros, sem esquecer logicamente dos danos à imagem da organização.

E por que é relevante para os usuários?

O ponto central para os usuários é a proteção contra delitos e a manutenção da privacidade. Ambos os aspectos são preocupações fundamentais a ponto de, como visto, terem dado origem a legislações específicas para o mundo digital.

Destaque-se que o trabalho de segurança para o usuário está frequentemente ligado à educação. A todo momento, somos expostos a ataques baseados em engenharia social, como e-mails falsos, tentativas de extrair informações e ofertas que redirecionam para sites maliciosos. Nesse caso, treinar o comportamento do usuário é tão importante quanto os investimentos em tecnologia.

No ambiente de trabalho, a segurança da informação afetará igualmente a produtividade. Quando mantemos atributos como integridade, autenticidade, agilidade e disponibilidade preservamos a qualidade da comunicação interna, influenciado o desempenho dos colaboradores.

Por fim, o consumo pela internet já é uma realidade, e boa parte do trabalho nessa área depende de políticas adequadas por parte das empresas e de cuidados por parte dos usuários dos serviços.

Como está o mercado de trabalho para segurança da informação?

O segmento é carente de profissionais qualificados. Por isso, entre outros motivos, as empresas vêm enfrentando dificuldades para implementar políticas de prevenção e defesa cibernética, bem como para alcançar o máximo de maturidade na área.

Para se ter um exemplo, em seu relatório sobre escassez de talentos, o ManpowerGroup lista a área de TI, especialmente a segurança cibernética, como uma das 10 com mais dificuldades para encontrar pessoas qualificadas. 

Resumidamente, o mercado de trabalho de segurança da informação é carente de profissionais qualificados. Por isso, você encontrará boas oportunidades caso desenvolva as competências técnicas e comportamentais necessárias para atuar no segmento.

Como trabalhar na área?

O melhor caminho é buscar o estudo sistemático dos assuntos por meio de uma pós-graduação a distância. O motivo é que, sem o devido acompanhamento, o profissional sofre para aprender com informações desconexas e não tem confiança de que o conteúdo realmente traz uma informações válidas, tampouco saberá quais são as prioridades de estudo.

Igualmente, entre outras vantagens da pós, a especialização entrega a experiência de quem já atua na área. O ambiente virtual de aprendizagem possibilita a interação com professores, tutores e colegas, por chats e fóruns, sendo bastante diferente de estudar sozinho.

Atualmente, podemos citar três opções de cursos bastante interessantes da Faculdade Unyleya. A pós-graduação em Defesa Cibernética é indicada para os profissionais de TI que desejam expandir ou migrar a atuação para prevenção e combate às violações de dados. Já o MBA Executivo em Segurança Cibernética é ideal para quem deseja uma posição de liderança no setor. Por fim, a pós-graduação em Perícia Cibernética prioriza atividades consultivas e investigativas dentro do segmento.

Uma dica é consultar a grade curricular de cada curso e comparar com as competências dos cargos que você pretende exercer no futuro. Igualmente, nas respectivas páginas, você encontrará informações sobre o público-alvo e os objetivos das pós-graduações.

Sendo assim, agora que você já sabe o que é segurança da informação, não deixe de buscar mais informações e refletir sobre a sua identificação com a área. Afinal, o segmento está aberto a profissionais qualificados e será uma excelente opção de carreira.

Para complementar este conteúdo, leia o nosso post sobre a valorização do EAD no mercado e entenda por que essa é a modalidade ideal para continuar os estudos!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você