Connect with us

Dicas de Estudo

Conheça 7 doenças tratadas com canabidiol

doenças tratadas com canabidiol

O uso de plantas medicinais está sendo cada vez mais pesquisado na área da Farmacologia. O resgate de saberes ancestrais é um movimento na ciência, que busca compreender como o uso de ervas pode ajudar na promoção de saúde e bem-estar. Nesse contexto, até então, são várias descobertas sobre doenças tratadas com canabidiol.

Essa é uma substância que está na folha da Cannabis sativa, uma espécie de planta cultivada nas mais variadas regiões do mundo e que se destaca pelo grande potencial terapêutico para várias doenças.

Quer saber mais sobre o que pode ser tratado com Cannabis medicinal? Acompanhe este post e fique por dentro do assunto!

O que é canabidiol?

O canabidiol, conhecido também como CBD, é um dos compostos encontrados na planta Cannabis sativa. Os artigos científicos publicados nos últimos anos com estudos em torno dessa substância revelaram um grande potencial terapêutico e uma série de aplicações no tratamento de diversas patologias.

Um dos principais motivos pelos quais isso ocorre é a capacidade que o CBD tem de ultrapassar a barreira hematoencefálica e atuar no sistema nervoso. Como o corpo humano tem receptores canabinoides, produzidos pelo próprio organismo, para substâncias como o canabidiol, essa interação é ainda mais simples e direta.

Alguns achados apontam o efeito de neurogênese do CBD. Isso traz novas perspectivas para as pesquisas em torno do assunto, pois indica que a substância pode estimular o surgimento de novas sinapses, o que seria um grande avanço para o tratamento de doenças neurodegenerativas.

Qual a diferença entre canabidiol e maconha?

Ao se falar de Cannabis medicinal, existe toda uma discussão em torno do assunto, muitas vezes levada pela confusão entre uso médico e recreativo. A Cannabis sativa é a mesma planta de onde surge a maconha, uma droga de abuso, que altera o estado psicológico.

No entanto, é importante saber que os efeitos psicotrópicos e perturbadores da maconha são causados por outros componentes encontrados na planta, como é o caso do tetrahidrocanabinol (THC).

O canabidiol se difere da maconha, pois é apenas um dos compostos da planta originária e não é conhecido por seus efeitos neurotóxicos ou psicotrópicos. Sendo assim, o uso medicinal não provoca a perturbação do estado da consciência, nem se torna uma droga de abuso.

Como o canabidiol é extraído?

Existem diversas maneiras de extrair compostos de uma planta e manter os bioativos prontos para investigação ou produção de fármacos. Dentre as principais técnicas de extração, é possível citar:

  • hidrodestilação;
  • destilação a vapor;
  • extração por solvente orgânico;
  • extração a frio;
  • extração por ultrassom;
  • extração por micro-ondas;
  • maceração.

Quais doenças podem ser tratadas com canabidiol?

Como visto, os estudos com a Cannabis medicinal se destacam, principalmente, pela diversidade de doenças que podem ser tratadas com o uso de doses reguladas e controladas de CBD. 

A seguir, confira 7 exemplos de patologias que têm respostas positivas no tratamento com o canabidiol!

1. Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa que afeta, principalmente, o sistema motor, gerando um grave enfraquecimento para os músculos de todo o corpo. O físico Stephen Hawking é uma das pessoas mais conhecidas do mundo e que trouxe mais visibilidade para esse transtorno.

Até o momento, os estudos na área da saúde apontam resultados positivos no uso do CBD para a qualidade de vida de pacientes com ELA, principalmente no que diz respeito à melhora do sono e diminuição das dores. 

2. Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição que afeta, principalmente, a cognição social. Nesse caso, o CBD atua com o alívio da agitação física e mental, principalmente nos momentos de crise em espectros mais graves. A substância também traz melhorias para a qualidade do sono, o que também é fundamental para a diminuição da ansiedade nos pacientes.

3. Dores crônicas

O canabidiol tem a capacidade de gerar efeitos analgésicos, muitas vezes, mais interessantes que outros medicamentos, devido ao menor índice de efeitos colaterais. Por conta disso, também é estudado para o tratamento de dores crônicas e em pacientes que não respondem bem às terapias tradicionais.

4. Glaucoma

Outro quadro que o CBD apresenta efeito terapêutico é o glaucoma. Esse é um problema que afeta o nervo ocular, gerando cegueira progressiva. Aqui, o canabidiol atua com a diminuição da pressão intraocular, o que ajuda a diminuir a progressão da doença.

5. Alzheimer

Lembra do efeito de neurogênese do canabidiol? Um dos estudos da área foca o tratamento do Alzheimer, que é outra doença neurodegenerativa causada pela morte celular de neurônios e o acúmulo de proteínas beta-amiloides, que afetam a memória e a cognição dos pacientes.

Nessa doença, o uso terapêutico do CBD consiste no estímulo às novas sinapses, com o objetivo de atrasar os sintomas de demência e promover maior qualidade de vida aos pacientes. Além disso, o canabidiol pode ajudar a prevenir a formação dessas proteínas. 

6. Ansiedade

Os efeitos calmantes que o CBD promove para o sistema nervoso têm uma boa contribuição para o controle de sintomas do transtorno de ansiedade. Como essa é uma doença sistêmica e que pode afetar vários órgãos, como o sistema cardiovascular, o efeito ansiolítico é benéfico para todo o organismo.

Outro ponto positivo do CBD é a baixa capacidade de provocar dependência. Sendo assim, surge como uma alternativa aos medicamentos disponíveis para o tratamento da doença e promoção da saúde mental.

7. Endometriose

A CBD pode atuar como um ótimo analgésico, o que é benéfico para várias doenças. No caso da endometriose, a substância auxilia na diminuição das dores, na melhoria do humor e na promoção da qualidade de vida aos pacientes.

Os medicamentos com canabidiol são aprovados pela Anvisa?

Os tratamentos com canabidiol são permitidos no Brasil e alguns produtos já passaram pela aprovação da Anvisa. Para o uso medicinal, é necessário prescrição médica por profissionais habilitados para terapias canabinoides.

Como você viu, essa é uma área em alta, promissora e com vários estudos em desenvolvimento no país e no mundo. Sendo assim, é possível esperar um grande crescimento nos próximos anos dos medicamentos à base de CBD e de profissionais especializados.

É por esse motivo que uma pós em Cannabis é uma excelente ideia, seja na área da Farmácia, seja no campo do Direito. Assim, é possível contribuir para um segmento importante do cuidado com o bem-estar e expandir os conhecimentos sobre as doenças tratadas com canabidiol.

Gostou deste post? Acompanhe mais conteúdos interessantes pelas nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube!

4.2/5 - (27 votes)
Comentários

QUER SABER SOBRE OS MAIS DE 1.800 CURSOS A DISTÂNCIA?

Saiba mais sobre os cursos de Pós-Graduação EAD

Saiba mais sobre os cursos de Graduação EAD


Copyright Unyleya ©. Todos os direitos reservados.