Connect with us

Carreiras na Pós

6 motivos para você se especializar na área de Jornalismo Esportivo

6 motivos para você se especializar na área de Jornalismo Esportivo

Índice

Trabalhar com jornalismo esportivo é uma grande realização profissional para muita gente que estuda e se forma em Jornalismo. Afinal, essa área permite que a pessoa trabalhe imerso nas práticas de esporte, acompanhe grandes eventos regionais, nacionais e internacionais e, inclusive, tenha contato direto com atletas amadores e profissionais.

Além disso, é um segmento que proporciona visibilidade na mídia, reconhecimento público pelas atividades realizadas e que gera uma forte rede de contatos no mercado. Ideal para praticar networking e obter indicações para projetos audiovisuais.

Portanto, se você ficou interessado e quer conhecer mais sobre o segmento, em especial os motivos para ingressar nele, acompanhe o nosso post!

1. Mercado de trabalho aquecido

O jornalista esportivo encontra diferentes opções de ocupação e local de atuação. Por exemplo, você pode integrar uma equipe tradicional de redação de jornal, televisão e/ou rádio ou fazer parte de canais e produções voltadas para o universo esportivo. Também é possível ser contratado por portais e plataformas multimídias.

Para completar, ele pode exercer atividades de cobertura jornalística, produção de matérias audiovisuais, narração e apresentação de eventos e correspondência internacional durante campeonatos com seleções e/ou atletas do Brasil e do mundo. Tudo isso pode ser feito de forma individual ou simultânea, a depender dos acordos firmados com os veículos de comunicação.

Vale mencionar ainda que há casos onde o profissional presta serviço de assessoria para clubes esportivos, contribuindo para fortalecer os canais de comunicação deles com o público, a mídia e os parceiros/investidores.

2. Cenário vasto de trabalho internacional

Os canais esportivos, principalmente os de TV e internet, têm investido em equipes de jornalistas para cobrir grandes competições que acontecem ao redor do mundo.

Por exemplo, as olimpíadas, a Copa do Mundo ou mesmo os campeonatos continentais — como é o caso do futebol que é uma das modalidades mais populares e tem anualmente a Sul-Americana, a Libertadores, a Premier League, a Liga dos Campeões etc.

Esse tipo de atuação é por temporada, mantendo o seu vínculo laboral no Brasil. Contudo, durante esse período você tem a oportunidade de morar no exterior, viver outra cultura, aperfeiçoar outros idiomas e muito mais. Um cenário que é muito valioso não só para a sua experiência profissional, mas também a sua vivência pessoal.

3. Acesso a bons salários

A faixa de remuneração de um jornalista é de R$ 3.602,44, como destaca a rede Salário. Porém, não pense que esse valor não pode ser alterado, ok? Isso porque, de acordo com a empresa, o tipo de serviço prestado e até mesmo as atividades autônomas realizadas, você pode ganhar muito acima dessa média.

4. Ampla área de atuação

Outra razão é a área de atuação dos jornalistas esportivos. Afinal de contas, você tem a opção de acompanhar diferentes modalidades para coberturas gerais dos meios de comunicação. Algo muito comum, por exemplo, em blocos de jornais televisivos ou cadernos de esportes em jornais impressos.

Porém, também há outro caminho: o de se especializar na cobertura de uma modalidade específica para produções audiovisuais destinadas a ela e ao público que consome material acerca dela. É o caso do futebol, natação, basquete, vôlei, futebol americano etc.

Nesse caso, você se torna uma referência no segmento que promove discussões e previsões acerca de equipe técnica, contratações de atletas, disputas de campeonatos/competições, investimentos e aportes financeiros em clubes/times e muito mais.

5. Diversidade de atuação autônoma

Fora as opções no mercado de trabalho que trouxemos aqui, não podemos deixar de mencionar a atuação autônoma como uma das alternativas em alta para quem segue carreira no jornalismo esportivo. Isso porque cada vez mais profissionais do ramo têm investido nas redes sociais como fonte principal de atuação.

Há quem faça material para perfis no Facebook, Tik Tok, Twitter e Instagram, quem mantenha um canal de coberturas jornalísticas em plataformas de vídeo e quem investe na alimentação de blogs e sites próprios de comunicação esportiva.

Tudo isso com foco em um trabalho mais dinâmico, com atividades remotas e com foco no público digital que procura por conteúdos rápidos e acessíveis. Não raramente, esses jornalistas realizam parcerias com colegas, produzem publicações patrocinadas por empresas do setor de esportes e estão à frente de diversos projetos simultaneamente.

6. Oferta de especialização de qualidade no mercado

Por fim, a área ainda conta com vários cursos de especialização que ajudam você a ampliar suas competências profissionais de comunicação com o público e coberturas de eventos, além de dominar conhecimentos específicos sobre o jornalismo na era digital. É o caso da pós-graduação em Jornalismo Esportivo da Unyleya.

Ela dura cerca de 10 meses, tem TCC opcional e disponibiliza acompanhamento personalizado com docentes para garantir o seu aprendizado e preparação para o mercado.

Além disso, por ser 100% digital, você define a forma como vai acompanhar todas as aulas, adequando as suas atividades acadêmicas à sua agenda semanal. Ou seja, total flexibilidade para conciliar faculdade e trabalho. Entre os conteúdos abordados na pós, você tem disciplinas como:

  • Crise de Imagem e Comunicação Social;
  • Novas Mídias e Novas Tecnologias;
  • Marketing Esportivo;
  • Ética e Jornalismo;
  • Cobertura Jornalística de Eventos Esportivos;
  • Comunicação e Relacionamento com a Imprensa.

Porém, as vantagens de estudar na Unyleya não acabam aí, viu? Isso porque os alunos da instituição obtêm descontos especiais em cursos de inglês, o que é fundamental no mercado de trabalho atual. Acima de tudo, quando o profissional visa atuar com projetos internacionais, como coberturas e correspondências para veículos locais.

Para completar, você tem acesso a cursos de extensão EAD que atualizam o seu currículo e lhe capacitam melhor no desenvolvimento de habilidades para o trabalho audiovisual.

Como mostrado, o jornalismo esportivo é um ramo no qual vale a pena investir, pois a empregabilidade está em alta, o setor dispõe de diferentes formas de atuação e você ainda consegue se manter sempre atualizado e com a educação continuada — afinal, os cursos da Unyleya são pensados para ampliar cada vez mais a sua qualificação profissional.

Quer saber mais sobre a pós-graduação em Jornalismo Esportivo? Então, não perca tempo e venha conferir mais detalhes sobre como iniciá-la com ótimo custo-benefício!

Avalie post

Comentários

QUER SABER SOBRE OS MAIS DE 1.800 CURSOS A DISTÂNCIA?

Saiba mais sobre os cursos de Pós-Graduação EAD

Saiba mais sobre os cursos de Graduação EAD