Saiba o que é Design Thinking e como aplicá-lo

  • 29/jan/2020

Saiba o que é Design Thinking e como aplicá-lo

Powered by Rock Convert
Tempo de Leitura: 5 minutos

Saber o que é Design Thinking e como aplicá-lo ajudará você com as demandas de inovação, criatividade e agilidade no trabalho. Trata-se de um conjunto de etapas para levantar ideias e transformá-las em soluções, mudanças, produtos e serviços, entre outras utilidades.

A metodologia tem, ainda, o diferencial de ser um passo a passo. Não estamos falando de algo meramente conceitual e abstrato, mas de uma competência que pode ser reproduzida no seu dia a dia. Para isso, basta seguir o circuito proposto.

Se você quer aprender a aplicar o Design Thinking, continue a leitura deste conteúdo. Ao longo do texto, vamos mostrar as principais características da ferramenta e ensinar a aplicá-la. Confira!

Afinal, o que é Design Thinking?

O Design Thinking é um processo criativo que, a partir da imersão em uma situação, levantamento de ideais e experimentação, permite produzir inovações e desenvolver projetos. Em termos simples, é um passo a passo para ir do problema até a solução definitiva e implementada.

A metodologia se inspira no trabalho dos designers: diante de uma demanda, esses profissionais não agem de maneira aleatória, mas com um modo de pensar estruturado em etapas — e essas etapas podem ser transpostas para outras áreas.

Por que investir em Design Thinking?

Atualmente, o mercado exige que os profissionais sejam criativos, inovadores, ágeis e flexíveis, além de cobrar outros atributos. Isso se deve ao contexto da Era da Informação, em que os cenários são instáveis e as demandas mudam rapidamente. Mas como evoluir nesse sentido?

O Design Thinking é uma das respostas, porque se trata de um processo, ou seja, algo que pode ser replicado. Com treinamento, você pode transformar essa metodologia em uma competência profissional, aplicando ao seu dia a dia e tendo ganhos em relação ao trabalho. Veja, a seguir, alguns desses benefícios.

Melhorar as tomadas de decisões

Em um primeiro momento, os ganhos estarão ligados às tomadas de decisão. Por ser divido em etapas, o Design Thinking aumenta a concentração e direciona o esforço mental para um conjunto limitado de questões. Logo, você terá mais facilidade para considerar os pontos-chave, em vez de divagar em pensamentos aleatórios.     

Conseguir agilidade e flexibilidade

O processo também se caracteriza por ter um número enxuto de etapas. Assim, as decisões são tomadas com maior velocidade — o que, indiretamente, ajuda você a responder a mudanças e lidar com imprevistos.

Ser mais criativo e inovador

Uma das finalidades do Design Thinking é estimular a criatividade e a inovação. A ideia é se colocar em contextos favoráveis ao entendimento do problema, à identificação e combinação de ideias e ao aprendizado por meio da experiência. 

Desenvolver projetos

A metodologia pode, ainda, ser aplicada em um nível mais avançado para criar e entregar valor, na forma de produtos, serviços, processos etc. Isto é, não se trata de algo útil apenas para decisões e mudanças pontuais, e sim que pode ser aplicado a projetos de maior complexidade. 

Quais são as 5 etapas do processo criativo?

Agora que você já sabe o que é Design Thinking, é hora de entendermos as etapas desse processo criativo. Ao todo, são 5: imersão, ideação, prototipagem, desenvolvimento e implementação.

Imersão

A imersão consiste em se colocar em um contexto adequado ao entendimento do problema para buscar soluções. É quando, de um lado, os profissionais observam e investigam a situação e, de outro, pesquisam e procuram conhecimento a seu respeito.

Imagine, por exemplo, que você precisa consertar a interface de um aplicativo. Na imersão, você verá o app em funcionamento, lerá os feedbacks, levantará estatísticas, entrevistará alguns usuários, pesquisará o que os concorrentes estão fazendo, lerá as publicações mais recentes sobre o tema, entre outras atividades.

Ideação

Após reunir e entender as informações disponíveis, o passo seguinte é gerar ideias para resolver a questão colocada. Isso é feito por típicos processos de brainstorming, em que, após encher a mente com as informações sobre o problema e processá-las, coloca-se todo tipo de ideia para fora.  

Prototipagem

As ideias de maior potencial precisam, posteriormente, ser transformadas em protótipos. Resumidamente, cria-se uma representação com as características essenciais da solução final, como uma maquete, uma versão do produto, uma simulação de processo etc. Essa é uma forma de experimentar a ideia antes de fazer grandes investimentos de tempo e recursos.

Powered by Rock Convert

Desenvolvimento

O protótipo aprovado será transformado na solução final, considerando os feedbacks recebidos. Há casos em que esse desenvolvimento será relativamente simples, como a correção de um pequeno erro no código de programação. Já em outros, demandará a criação de um projeto, como o desenvolvimento de um produto ou serviço.

Implementação

A última etapa é colocar a solução pronta em funcionamento. Isso pode ser feito diretamente com o destinatário final ou em grupos restritos. No segundo caso, existem vantagens em relação aos custos e à possibilidade de receber novos feedbacks antes de aumentar o investimento.

Como aplicar o Design Thinking no trabalho?

O Design Thinking é um processo criativo bastante flexível, sendo útil tanto para questões pontuais quanto para problemas complexos. Você pode utilizá-lo em projetos, decisões, estruturação de processos e diversas outras atividades.

Uma dica é começar buscando melhorias simples, como aumentar a produtividade nas próprias tarefas, resolver um problema de um produto, atender à solicitação de um cliente, elaborar um relatório etc. Assim, aos poucos, você reforçará as etapas e tornará o uso do processo criativo automático.

Durante as etapas, também é importante contar com ferramentas adicionais que facilitem o cumprimento das atividades propostas. Pensando nisso, indicaremos algumas práticas que podem ajudar você a implementar o Design Thinking no dia a dia.

Mapas Mentais

Os mapas mentais são bastante úteis nas etapas de imersão e ideação, porque facilitam a visualização das informações. Neles, você cria tópicos iniciais e faz associações com outros subtópicos e imagens. Use um aplicativo para aprender rapidamente como fazer os desenhos.

Cocriação

Também é importante contar com a participação de outras pessoas durante as etapas, principalmente na ideação. Os envolvidos podem ser outros membros do time ou, até mesmo, os destinatários da solução, que podem dar entrevistas ou enviar sugestões por comentários, e-mail e redes sociais, por exemplo.

Brainstorming

A aplicação do brainstorming logo após a imersão é fundamental. Trata-se de, inicialmente, estimular o pensamento livre, de modo que cada pessoa envolvida dirá ou anotará suas propostas sem julgamentos e, posteriormente, filtrará as propostas mais viáveis, comparando ganhos e perdas.

Kanban

O controle das atividades também pode ser realizado visualmente. O Kanban é um conceito degestão de tarefas em que se cria um quadro dividido em colunas e as atividades são movidas de acordo com o andamento. 

No caso do Design Thinking, você pode usar um aplicativo, comoTrello eMonday, para separar suas tarefas e projetos da seguinte forma:

  • pendências;
  • imersão;
  • ideação;
  • prototipagem;
  • desenvolvimento;
  • implementação;
  • finalizado.

Dessa forma, basta mover a tarefa de acordo com a etapa realizada, facilitando o acompanhamento. Assim, mesmo se você tiver muitos projetos e tarefas simultâneos, será possível oferecer um tratamento adequado para cada demanda.

Especialização

Uma última dica para aplicar o Design Thinking é buscar uma qualificação profissional que aborde esse tema. Na área de tecnologia, podemos destacar o curso de Engenharia Ágil de Software da Faculdade Unyleya. Trata-se de especialização de 400 horas para inserir líderes, técnicos e gestores nas tendências e práticas mais atuais do segmento.

Além de abordar o Design Thinking, a especialização é uma forma de desenvolver ainda mais as competências, como projeto, desenvolvimento, análise e teste de softwares. Consequentemente, você aprenderá sobre o processo criativo de maneira contextualizada com a sua área de atuação.

Por isso mesmo, existirá um grande proveito não somente individual, mas também para gerar valor para sua empresa. Afinal, se você tem interesse no tema, verá um conteúdo completo e bastante aprofundado ao longo da Pós-gradação, qualificando-se para entregar mais criatividade, agilidade, inovação e flexibilidade no trabalho.

Agora que você já sabe o que é Design Thinking e recebeu dicas práticas de como aplicá-lo na sua rotina, não deixe de utilizar a ferramenta para se qualificar ainda mais como profissional e aumentar a sua capacidade de resolver problemas.

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe o texto nas suas redes sociais e converse com seus colegas sobre como aplicar as dicas em suas atividades!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você