Desenvolvimento de software: o guia completo sobre a área

  • 08/abr/2020

Desenvolvimento de software: o guia completo sobre a área

Powered by Rock Convert
Tempo de Leitura: 13 minutos

Profissionais que desejam se manter atualizados diante do mercado precisam saber quais são as demandas principais em diversas áreas. No setor de TI, o desenvolvimento de software é um segmento crescente, devido ao avanço da tecnologia e à transformação digital. Ferramentas são cada vez mais fundamentais às empresas e garantem a eficácia na execução de tarefas.

Quem deseja trabalhar nessa área, no entanto, precisa entender mais a fundo como funciona o desempenho dessas atividades. O trabalho na estruturação de um software envolve algumas etapas fundamentais, além do aprendizado das principais linguagens de programação do mercado. Um desenvolvedor precisa também saber como aplicar tudo isso nas melhores metodologias!

Neste post, você confere um guia completo sobre o setor de desenvolvimento de software e tudo que o envolve. Veja o que você precisa saber para começar na profissão!

O que é desenvolvimento de softwares?

Pense na sua rotina cotidiana e tente se lembrar de cada recurso tecnológico que você usa. No seu smartphone há os aplicativos que facilitam sua vida, enquanto no computador há ferramentas de trabalho fundamentais. Todos eles são softwares desenvolvidos para, de alguma forma, dar suporte a alguma tarefa, seja automatizando, seja funcionando como ferramenta de apoio.

A tecnologia em seu estágio atual permitiu que esses programas sejam parte integrante do dia a dia de qualquer pessoa, seja na vida pessoal, seja no trabalho. Diante disso, fica mais fácil entender como o desenvolvimento de softwares se tornou importante. A atividade é nada menos do que trabalhar no planejamento, estruturação e criação desses programas em todas as suas etapas.

Um software, em sua estrutura básica, é composto por uma série de códigos interligados e relacionados que formam um produto virtual. O papel do desenvolvedor é criar sequências de códigos que, quando executados, consigam dar vida a uma aplicação de diversos tipos. Para isso, são usadas as linguagens de programação, que devem ser dominadas pelos profissionais da área.

Como funciona o desenvolvimento de softwares?

O desenvolvimento de software é um processo complexo que envolve profissionais e etapas indispensáveis para o resultado da aplicação. Resultados perfeitos e satisfatórios são fruto de um longo tempo de trabalho, sempre estruturado a partir das necessidades que a entrega desse programa exige. Há dois profissionais indispensáveis à jornada: programador e desenvolvedor.

O programador é quem tem o amplo conhecimento sobre as linguagens de programação e, na prática, sabe como realizar a estruturação do código que dará vida ao programa. Seu trabalho é mais operacional, com foco total na realização de testes e na atividade de dar vida ao software.

Seu trabalho, naturalmente, não parte de uma tela em branco na qual ele precisa pensar em códigos complexos para dar vida ao programa. Ele parte de estruturas já prontas que são a espinha dorsal de uma aplicação, para então, usando as linguagens de programação, dar as características específicas que o software em questão terá, de acordo com o planejamento.

Já o desenvolvedor tem uma função um pouco mais ampla e estratégica no desenvolvimento de um software. Seu papel é a concepção desse programa, por isso ele começa a agir antes mesmo do momento em que o programador começa a escrever o código. Para essa etapa ser concreta, é necessário entender quais são as necessidades do cliente e o que ele espera do software.

O desenvolvedor é o profissional que faz essa ponte entre o cliente e o programador. No seu trabalho, toda a ideia do software é estruturada junto ao cliente, sempre considerando o que é possível de ser feito, a funcionalidade da aplicação e outros detalhes técnicos. O desenvolvedor pensa no software, planeja sua criação e, então, o programador começa o trabalho.

O trabalho em conjunto de programador e desenvolvedor

O desenvolvimento de software tem essas duas figuras essenciais que, naturalmente, podem formar times grandes com vários profissionais das duas categorias. Um detalhe importante está relacionado às funções ocupadas em um projeto: um desenvolvedor pode ser também um programador, mas um programador, geralmente, se limita a trabalhar com o código.

Projetos geralmente envolvem dedicação ampla e intensa da equipe de trabalho, e é justamente por isso que muitos desenvolvedores também se dedicam aos códigos. A programação está relacionada às instruções de funcionamento daquela aplicação. Sendo assim, o código utilizado é uma extensa linha de comandos e solicitações relacionadas a cada ação que é realizada pelo usuário.

O que é arquitetura de software?

Ao falar sobre arquitetura de software, é interessante sempre traçar um paralelo com o projeto de um apartamento. Quando ele é feito, o profissional o estrutura para que ele seja confortável e funcional, de modo que seja possível transitar por ele e usar todos os cômodos da melhor forma. Assim, o morador sente que tudo funciona bem e que, além de bonito, ele é prático e satisfatório.

Em um software, o mesmo conceito pode fazer sentido e, na verdade, se aplica perfeitamente. Parte dessa projeção e desenvolvimento de aplicações passa pelo layout e design da ferramenta, o que fará com que sua parte visual seja agradável e também funcional. Os elementos ficam bem-dispostos na tela e o usuário consegue operar o software sem maiores problemas.

A arquitetura de software é um trabalho que também consiste na estruturação dessa aplicação, pensando na organização de seus elementos de funcionamento e garantindo que isso seja entregue ao usuário. Na prática, a arquitetura é feita para garantir que a experiência de uso chegue a um nível mínimo de garantia de que o usuário conseguirá desenvolver as atividades que deseja.

Para isso, a arquitetura de um software precisa dispor todos os elementos e funcionalidades de forma organizada, acessível, de fácil entendimento e que permita um fluxo de operação. A arquitetura é o que garante que o código de programação desenvolvido resultará em um software de perfeito funcionamento, independentemente do tamanho e complexidade da aplicação.

Quais são as etapas do desenvolvimento de software?

O desenvolvimento de software é um trabalho estruturado em etapas, com a proposta de tornar o trabalho mais fluído e organizado. Aplicar essa técnica é a garantia do entendimento do que o cliente deseja, da garantia de que isso estará no projeto e também detalhes como o custo do software.

Após essas etapas, o trabalho é estruturado desde a produção, passando por testes e, por fim, na sua implementação e funcionamento. A seguir, saiba o que cada etapa do desenvolvimento de software contempla e entenda por que cada uma é tão importante!

Levantamento de requisitos

Um software só é criado porque, em algum momento, alguém teve uma necessidade ou pensou em uma ferramenta que pudesse ter algum sucesso no mercado. Essa figura é um cliente, que pode ser interno ou externo. Em meio a isso, o que importa mesmo é que o cliente é o idealizador do software, então é necessário saber o que ele espera e necessita dessa aplicação.

O levantamento de requisitos é a etapa em que todas as informações são compiladas junto ao cliente. São definidas as condições e padrões que o software precisa entregar, ou seja, são as expectativas do cliente em relação ao produto final. No levantamento, é necessário que desenvolvedor e cliente conversem bastante para definir a ideia final do projeto.

Análise de requisitos

A etapa seguinte está relacionada a uma análise mais detalhada sobre tudo que foi solicitado pelo cliente e levantado pelo desenvolvedor no levantamento. Nem tudo que é solicitado pode, de fato, ser concretizado no projeto, e é isso que a etapa atual vai definir. Primeiramente, as ideias são analisadas para entender se elas estão claras e se há erros, ambiguidades ou outros problemas.

Posteriormente, e mais importante, se inicia a etapa de análise técnica. O desenvolvedor projeta como cada solicitação do cliente funcionaria e então dá o aval ou, em conjunto, repensa algumas ideias. Isso é necessário, uma vez que nem toda ideia realmente funciona quando se pensa em um software concreto. Cabe ao desenvolvedor analisar e mostrar seus argumentos ao cliente.

Análise financeira

Com tudo definido, ou seja, com a certeza do que entrará no projeto, é hora de avaliar o quanto esse trabalho custará ao todo. Nessa etapa a projeção passa por calcular o quanto será necessário investir no desenvolvimento, o que considera custos como:

  • equipe de trabalho — o quanto será pago e para quantos profissionais;
  • complexidade técnica do projeto — quanto mais complexo o projeto, mais caro ele será;
  • qualificação da mão de obra — trabalhos mais complexos precisam de profissionais mais qualificados, ou seja, o custo da mão de obra dele é maior.

Tão importante quanto entender e definir esses custos é garantir que eles serão devidamente arcados pelo cliente. Com a proposta financeira entregue, se houver o acordo, é fundamental que um contrato com os custos seja redigido para que ambas as partes assinem e se comprometam com o que ficou combinado pelo serviço.

Produção

É hora de colocar a mão na massa no desenvolvimento de software. A produção é o momento em que o trabalho operacional se inicia e, para isso, há um planejamento cronológico para garantir que o projeto seja entregue no tempo certo. A produção geralmente é planejada em módulos, com entregas graduais do software em módulos, já testados e com a garantia de funcionamento.

Nessa etapa também há definição da metodologia que será aplicada no desenvolvimento do projeto. Atualmente, as metodologias ágeis têm sido a preferência das equipes de trabalho, justamente por entregarem módulos prontos em etapas e, no geral acelerarem a produção. A produção passa por arquitetura e então codificação, passando para a próxima etapa.

Teste

O período de testes jamais pode ser ignorado no desenvolvimento de software. É imprescindível explorar ao máximo o funcionamento prévio da aplicação assim que a etapa de produção, ao menos por enquanto, foi finalizada. Os testes são baseados no desempenho da aplicação em uma análise técnica dos profissionais e também diante da ótica simulada do usuário-alvo.

Os erros, naturalmente, vão aparecer nessa etapa, o que deve ser considerado como algo ótimo. É a chance de corrigi-los a tempo e garantir que o software seja ainda melhorado em um momento em que ele não foi entregue ao cliente. As mudanças realizadas a partir dos erros também precisam ser testadas e, só quando tudo estiver funcionando bem, a próxima etapa pode ser visualizada.

Implementação

Chegou a hora de entregar o resultado do árduo trabalho da equipe de programadores e desenvolvedores. A resposta positiva nos testes e a ausência de erros indicam que o software em questão está pronto. A implementação, no entanto, ainda traz mais algumas observações e testes, mas desta vez já na aplicação concreta, ou seja, no uso pretendido pelo cliente.

A implementação também deve garantir que esse cliente esteja totalmente integrado e adaptado à aplicação que foi entregue a ele. Por isso, parte da equipe deve se dedicar a treinamentos que garantam que o cliente entenderá todo funcionamento do software, e só assim ele possa ser usado continuamente e em larga escala.

Quais são as principais linguagens do desenvolvimento de software?

Para cada tipo de aplicação há uma linguagem adequada. É como as relações pessoais funcionam no cotidiano: se você está em casa, com seus familiares, as conversas tendem a ter um tom mais informal e relaxado. Agora, se você está em uma reunião de trabalho, uma abordagem mais técnica e, em alguns casos, formal, se faz necessária devido à seriedade da ocasião.

No desenvolvimento de software isso também acontece, mas de acordo com a finalidade da aplicação que é desenvolvida. Se o projeto é um aplicativo para a web, determinada linguagem de programação é mais adequada. Quando um game é desenvolvido, por exemplo, há também a linguagem certa que deve ser utilizada.

O uso da linguagem de programação certa garante que o software vai funcionar bem, com um desempenho satisfatório e rodando de forma limpa. A seguir, conheça as principais linguagens utilizadas e saiba um pouco mais sobre cada uma delas.

PHP

A linguagem PHP é uma das que mais ganhou notoriedade nos últimos tempos, e a razão para isso ajuda a entender: ela é a principal para o desenvolvimento de aplicações para a web. Grandes empresas do mercado estão apostando na PHP, base para aplicativos famosos, e dando prioridade ao seu uso. Portanto, programadores precisam dominar a fundo essa linguagem.

ASP

ASP é uma linguagem de programação criada pela gigante Microsoft com a proposta de desenvolver aplicações para a web com alta capacidade de dinamismo e interação. Sua característica principal é a execução da programação em um ambiente de script.

Java

Java é a linguagem mais utilizada no mundo, e parte disso se dá pela sua versatilidade e facilidade de operação. Ela é aplicada, geralmente, na programação de aplicativos Android e também em aplicações para HTML. Java é uma linguagem muito indicada para projetos grandes, já que sua escalabilidade operacional é forte e permite trabalhar com menos complexidade.

Ruby

A linguagem Ruby é uma das mais amigáveis e que mais cresce no meio de desenvolvimento de software. Seu aprendizado e execução são simples, com fácil legibilidade, o que torna tudo mais produtivo e dinâmico. Seus recursos são rápidos e competentes, em uma união de características que todo programador busca. É possível dizer que a Ruby é a linguagem do momento.

Python

Python é uma linguagem de código aberto, ou seja, sempre recebe atualizações e melhorias de sua comunidade. Se você é um iniciante em desenvolvimento de software, é importante que busque aprendê-la logo de início, já que ela também é bastante fácil. O seu uso pode ser em aplicações para web, sistemas e também para games — segmento que cresce mais a cada dia!

JavaScript

Essa é uma linguagem de grande importância, já que sua aplicação principal é no desenvolvimento web, com foco nos navegadores. Ela tem ótima adaptabilidade para o suporte de programação para aplicações mobile, facilitando muito o trabalho do programador.

C++

C++ é uma linguagem que se mostra como uma evolução da C, o que a torna ainda mais capacitada. O uso principal dela é voltada para softwares de grande porte ou outras aplicações mais complexas e que demandam um trabalho de programação pesado, assim como sua execução. O mercado de games também utiliza basicamente a C++ em seus projetos.

O que é e como funciona a metodologia ágil?

O desenvolvimento de software, como mostramos, passa pela etapa de produção, quando se faz necessário definir a metodologia aplicada no projeto. Hoje, espera-se maior dinamismo e rapidez na entrega de um projeto, característica do mercado mais valorizada. Por isso, a metodologia ágil é cada vez mais valiosa e tem sido marca registrada no trabalho de desenvolvimento.

Trata-se de um método em que não há a busca por fazer um trabalho rápido, mas com pouca qualidade ou com brechas para erros e falhas. Uma prova disso é a maneira como a metodologia é aplicada. Seu conceito de agilidade está relacionado, basicamente, à valorização da comunicação e da troca de informações entre todas as partes envolvidas.

Assim, desenvolvedor, programador, outros profissionais e clientes precisam manter um canal de comunicação amplo, acessível e eficaz. A ideia é que a equipe profissional e o solicitante do projeto se envolvam profundamente em cada etapa do trabalho, garantindo que decisões importantes sejam tomadas de maneira dinâmica, agilizando a entrega do produto final.

Esse aumento de interação remove etapas burocráticas que geralmente fazem parte de qualquer relação de prestação de serviços. Por isso, é fundamental integrar o cliente nesse trabalho, fazendo com que ele entenda que a implementação da metodologia ágil, seguida da entrega rápida do projeto, também depende da participação dele.

Como está o mercado de trabalho para o desenvolvimento de softwares?

Nunca o mercado de desenvolvimento de software esteve tão aquecido. Entender isso não é difícil, uma vez que vivemos na era digital, ou seja, empresas conduzem seu planejamento e gestão com foco em como a tecnologia pode otimizar o trabalho feito. Assim, é comum que haja maior demanda, o que naturalmente faz com que haja também mais oportunidades de trabalho.

O desenvolvedor precisa entender, no entanto, que há áreas específicas que têm maior apelo, como o desenvolvimento para a web. O momento é online, por isso a demanda para esse tipo de projeto tende a ser maior, tanto para aplicativos quanto para ferramentas de produtividade, como softwares de automação.

A entrada no mercado

Para entrar no mercado, é preciso prioritariamente se qualificar. A exigência das empresas é cada vez mais alta, já que softwares qualificados representam competitividade nos seus respectivos segmentos. Um profissional que deseja aproveitar essas oportunidades precisa estar pronto e isso significa formação de qualidade e especificações técnicas.

Dominar linguagens de programação amplas e ter preparo para trabalhar com as metodologias ágeis são alguns dos requisitos que, atualmente, são os mais valorizados. Independentemente se a busca é para uma posição em empresa ou para trabalho autônomo, as exigências do mercado são as mesmas nos dois tipos de atuação.

Quais são os níveis de desenvolvedores?

Os desenvolvedores têm também competências específicas, e isso garante posições importantes dentro de projetos de desenvolvimento de softwares. Há três categorias de profissionais que atuam nessa área, cada um com uma amplitude de operação. São eles: front-end, back-end e full stack.

Front-end

O front-end é o profissional responsável por integrar os elementos visuais do site à sua funcionalidade, gerando a programação adequada para isso. Seu trabalho é garantir que, além de ter um layout bonito e atraente, a aplicação também funcione bem diante disso.

Back-end

O back-end é conhecido por cuidar do trabalho mais pesado. Esse profissional é responsável por toda a programação, garantindo que os códigos estejam adequados e que façam a aplicação realmente funcionar em todos os seus detalhes. Ele estabelece toda comunicação do site com servidores e gera um ambiente em que tudo funcione de maneira perfeita.

Full stack

O full stack é um dos profissionais mais buscados no mercado, justamente por ter conhecimento amplo. Esse é o desenvolvedor que simplesmente domina e atua nas duas áreas: back-end e front-end. As oportunidades são sempre melhores para quem domina tudo do desenvolvimento.

Por que fazer uma pós-graduação na área?

A pós-graduação é um dos mais altos níveis de qualificação que um profissional pode ter. Além disso, quando se fala do ensino, há um detalhe primordial: o estudante é preparado inteiramente para lidar com as demandas que o mercado vai apresentar.

Sendo assim, a parte teórica é menor, com mais prática e preparação para a atuação, sempre com cases reais e simulação de desafios que grandes projetos vão oferecer. Uma pós-graduação é a melhor escolha para quem quer dar o próximo passo na carreira de desenvolvedor.

Engenharia Ágil de Software

O curso de pós-graduação em Engenharia Ágil de Software é um dos mais buscados no momento atualmente. O profissional que tem essa qualificação está preparado para trabalhar em grandes empresas e desenvolver os melhores projetos de acordo com a necessidade do negócio.

Por mais que seja possível atuar de forma autônoma, quem conclui essa formação será sempre seduzido pelas ótimas oportunidades que o mercado oferece. Há muitas posições em aberto, e o engenheiro de software que domina a metodologia ágil de trabalho é amplamente requisitado.

O desenvolvimento de software é um segmento que só tende a crescer nos próximos anos. O nível e que a tecnologia chegou mostra que as aplicações serão cada vez mais úteis para a estratégia das empresas. Assim, profissionais qualificados estão prontos para trabalhar em grandes projetos.

Você está na busca da qualificação ideal para crescer na carreira? Entre em contato com o CETEC e conheça nossos cursos na área de Tecnologia e Cibernética!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você