Connect with us

Bit&Byte

Como ser programador e por que vale a pena atuar nessa área?

como ser programador
Tempo de Leitura: 4 minutos

Se você sempre quis trabalhar com tecnologia, saiba que o momento nunca foi tão oportuno. Com o avanço da transformação digital e do machine learning, cada vez mais instituições (públicas e privadas) necessitam da presença de desenvolvedores de softwares e aplicativos. Mas como ser programador hoje em dia?

Para responder à pergunta, é preciso considerar o que esse profissional, de fato, faz no dia a dia. Além disso, você precisa ter em mente qual é a formação ideal para se tornar um dev, termo popular para se referir a quem trabalha na área.

A seguir, abordamos os principais aspectos relacionados a todos esses pontos. Vem com a gente!

Como é a atuação do programador?

A função básica executada por qualquer programador é “codar” (você verá muitas pessoas do meio usando esse quase verbo oficial), ou seja, criar códigos. É assim que nós, seres humanos, conseguimos, vamos dizer, estabelecer uma comunicação com os computadores.

Se alguém pede informação no centro de uma cidade, por exemplo, a outra pessoa pode responder algo como “vire à direita e vá em frente até encontrar a estação do metrô X”. Com os códigos é praticamente a mesma coisa. A diferença está na seleção e organização dos elementos utilizados para gerar essa orientação.

Desse modo, as máquinas realizam operações de acordo com cada comando que interpretam. Para que a mágica funcione, o programador se baseia na lógica de programação. Ela é essencial para que todas as partes do processo estejam devidamente conectadas — sem gargalos.

Quando isso acontece de maneira fluida, o sistema em questão efetua os processos solicitados e, por fim, retorna os resultados esperados. Ao digitar corretamente uma fórmula em uma planilha eletrônica, você sabe o que deve acontecer na sequência.

Para que essas e muitas outras aplicações sejam bem-sucedidas, precisamos da atuação constante dos programadores, que se especializam continuamente ao longo da vida.

Em outras palavras, mais do que nunca, estamos falando a respeito de pessoas que praticamente não param de estudar. Essa dedicação é fundamental para acompanhar a dinâmica que rege as demandas do mercado de trabalho.

Como é a demanda do mercado de trabalho?

Como em qualquer outra área, o sucesso profissional depende do plano de carreira e do complemento proporcionado pela pós-graduação. Toda essa organização e planejamento é importante, já que você pode atuar nos mais variados segmentos de mercado, como:

Em boa parte das vezes, os programadores desempenham atribuições no próprio time de TI (Tecnologia da Informação) de determinada empresa. Em outros casos, eles compõem equipes de startups que criam soluções de inovação para outras organizações, como as indústrias 4.0, ligadas à IA (Inteligência Artificial).

Em termos técnicos, propriamente ditos, você pode trabalhar com desenvolvimento web, desktop ou mobile. Para os navegadores de primeira viagem, parece tudo igual, mas há muitas especificidades em cada uma dessas áreas.

O desenvolvimento web, por exemplo, não se resume à criação de sites. Ele também se refere à geração de programas feitos para rodarem em modelos computacionais alocados na nuvem.

Com as melhorias proporcionadas pela cloud computing, esses softwares independem de instalação em dispositivos físicos. Isso propicia, por exemplo, que computadores com configurações menos robustas consigam executar programas “pesados” e que exigem um conjunto de hardware potente.

Já dá para imaginar que essa flexibilidade de uso é do interesse de várias empresas ao redor do mundo, não? Isso se traduz pela alta demanda de profissionais especializados em desenvolvimento web.

Com relação ao desenvolvimento desktop, como o nome indica, a ideia é criar softwares que funcionem após a instalação em máquinas específicas. Diferentemente das versões web, os programas feitos para desktop (que também engloba laptops) são dependentes de certos recursos.

Além dos componentes de hardware, é preciso levar em consideração o próprio sistema operacional usado na máquina em que o software será instalado. Em resumo, basta lembrar que nem todo programa é compatível com os sistemas Windows, macOS e Linux.

Por fim, optar pelo desenvolvimento mobile também é uma boa alternativa. A nomenclatura também é autoexplicativa, já que as soluções são alinhadas à arquitetura dos dispositivos móveis — essencialmente smartphones e tablets.

Como ser um programador?

Um dos pontos interessantes de iniciar uma carreira de programador é que existem vários caminhos que podem ser seguidos. De todo modo, o ideal mesmo é começar com uma graduação, como a de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Como o aprimoramento da capacidade analítica e o aprofundamento técnico são exigências do mercado, investir em atualizações torna-se igualmente indispensável. Nesse sentido, uma pós-graduação em Engenharia de Software é igualmente bem-vinda.

O intuito é, por intermédio de uma formação completa, desenvolver tanto hard skills como soft skills. As primeiras estão relacionadas ao conhecimento técnico em si, o que envolve o aprendizado de variadas linguagens de programação, como:

  • Python;
  • JavaScript;
  • Java;
  • PHP;
  • C;
  • C++.

Já na parte de soft skills, que são habilidades comportamentais, vale a pena prestar atenção às mais requisitadas, como:

  • comunicação;
  • inteligência emocional;
  • empatia;
  • capacidade de adaptação;
  • criatividade em cenários complexos;
  • colaboração;
  • autogestão do tempo;
  • iniciativa;
  • atitude para aprender coisas novas;
  • autonomia e tomada de decisão.

A união do domínio técnico com o aperfeiçoamento dessas e outras competências associadas ao comportamento e às interações interpessoais é o grande segredo de como ser programador. Afinal, essa junção é decisiva para que você seja um profissional de sucesso em programação.

Quais as vantagens de fazer um curso na área de tecnologia?

Com um mercado superaquecido, a área de programação aparece como uma das mais promissoras dos próximos anos. E vantagens para investir na carreira não faltam, como:

  • valorização profissional;
  • remuneração — com piso médio de quase R$ 4.480;
  • oportunidade de trabalhar no Brasil e no exterior.

Como subárea, uma das especialidades mais requeridas do momento, segundo pesquisa do LinkedIn, é a de desenvolvedor back-end, que atua nos bastidores da criação de códigos.

Agora, você sabe exatamente como ser programador. Com todas as nossas dicas e orientações, mostramos qual é a trajetória a ser seguida em um dos segmentos profissionais com maior demanda de mercado. Para surfar a onda e aproveitar o momento, você só precisa criar um planejamento e estudar no lugar certo.

Quer mais dicas relacionadas a outras possibilidades de formação do vasto universo tecnológico? Curta nossa página no Facebook!


Comentários

QUER SABER SOBRE OS MAIS DE 1.800 CURSOS A DISTÂNCIA?

Saiba mais sobre os cursos de Pós-Graduação EAD

Saiba mais sobre os cursos de Graduação EAD


unyleya.edu.br
Guia completo para escolher o curso e a faculdade ideais sidebar

Copyright Unyleya ©. Todos os direitos reservados.