Advogado do futuro: conheça as principais tendências

  • 18/maio/2020

Advogado do futuro: conheça as principais tendências

Tempo de Leitura: 5 minutos

Nas últimas décadas, os rápidos avanços tecnológicos trouxeram mudanças e incertezas. Em relação aos serviços jurídicos, as dúvidas dizem respeito a como será o trabalho do advogado do futuro. Você já parou para pensar nisso? 

As transformações dizem respeito tanto à presença da tecnologia no dia a dia quanto a mudanças nos serviços prestados. Além disso, a qualificação profissional contínua será o principal desafio. 

Neste artigo, abordamos as 5 principais tendências para o futuro da advocacia. Ao ler até o final, você enxergará com mais clareza qual é o cenário para os próximos anos e terá condições de realizar uma preparação mais adequada. Por isso, não deixe de conferir! 

O uso da tecnologia no Direito 

Os softwares para o segmento jurídico vêm se tornando presentes em duas frentes de atuação. A primeira é a tecnologia voltada para os advogados. Já a segunda são as soluções para os escritórios, departamentos e entidades jurídicas. 

A tecnologia para os profissionais é chamada de lawtech, enquanto a feita para os demais é a legaltech. Esses nomes também se referem às startups do setor — empresas baseadas em tecnologia e inovação que podem rapidamente escalar seus serviços. São, nesse sentido, as lawtechs e legaltechs que desenvolvem as soluções para o mercado jurídico.

No dia a dia, o impacto é percebido pelos advogados e está revolucionando a área. Dificilmente um escritório consegue ser eficaz sem um mínimo de competências digitais, ou seja, relacionadas à tecnologia da informação. Usamos softwares para gerir os processos, atender aos clientes, buscar teses e decisões, produzir as peças jurídicas, enfim, para uma série de finalidades. 

5 tendências sobre o advogado do futuro 

As mudanças alteram, portanto, o cenário para esses profissionais. O advogado do futuro viverá em um contexto menos burocrático, pautado pelo uso da tecnologia e com foco no resultado. Confira quais são as tendências para o futuro! 

1. Estar alerta para as novas oportunidades 

O advogado do futuro, antes de tudo, é flexível em relação às oportunidades. Muitas vezes, o profissional estará diante de aplicações atípicas do conhecimento jurídico, bem como de novos segmentos de mercado. 

Um exemplo é a tendência das áreas maiores — Direito Penal, Direito Civil, Direito Administrativo etc. — se desdobrarem em ramos mais específicos — Sucessões, Crimes contra Administração Pública, Direito do Consumidor etc. Igualmente, crescem os nichos de mercado, como causas desportivas, recuperação judicial e crimes cibernéticos

Também nascem oportunidades em ramos que não são exclusivamente jurídicos, mas aproveitam-se desse conhecimento. Perícia de bens, auditoria, mediação e arbitragem, segurança digital e empreendedorismo jurídico ilustram bem essa ideia. Em todas essas áreas, a formação em Direito é uma vantagem, mas não é a única que pode ser usada. 

2. Integrar a tecnologia na rotina 

Outra característica do futuro é a integração total da tecnologia às atividades. Os aplicativos devem fazer parte da rotina, pois seu uso é determinante para ter mais produtividade. Veja o kit do advogado do futuro: 

  • aplicativos para fazer a gestão de tempo e diligências; 
  • recortes digitais das publicações e dos andamentos processuais; 
  • softwares de gestão de escritórios; 
  • ferramentas de pesquisa de decisões judiciais; 
  • redes sociais profissionais; 
  • site do escritório; 
  • serviços na nuvem de office e armazenamento; 
  • mídias digitais para marketing pessoal e do escritório; 
  • WhatsApp, Telegram, Messenger, e-mail e outros canais digitais de atendimento. 

Todos esses aplicativos contribuem para a advocacia em questões centrais como criar e entregar valor para o cliente, fazer o marketing do escritório e facilitar a gestão. Logo, tornam o profissional mais eficaz em suas ações. 

3. Prestar serviços personalizados 

Os serviços prestados tendem a se adequar às necessidades de cada contratante. Isto é, com a automação cuidando das ações repetitivas e o processo eletrônico reduzindo as diligências, sobra mais tempo e energia para fazer outras entregas de valor ao cliente. 

Uma mudança importante é o crescimento da resolução consensual de conflitos e da advocacia preventiva. Com isso, o advogado deixou de ser apenas quem cuida do final do relacionamento humano, em que há conflito e rompimento, tornando-se mais presente no gerenciamento de riscos. 

Nas empresas, também haverá mais foco nos resultados. O profissional deve usar a legislação para encontrar soluções que gerem oportunidades de negócio, reduzam custos, facilitem o crédito, aumentem receitas etc.

Resumidamente, pensando no conflito ou no resultado, o advogado do futuro constrói a solução personalizada, no nível individual ou organizacional. 

4. Fazer a gestão de competências 

O autogerenciamento de carreira é outra mudança importante no desenvolvimento profissional. O advogado precisa entender o cenário e levantar quais são as competências necessárias para construir vantagens competitivas. 

O primeiro cuidado é desenvolver as soft skills, ou seja, as competências relacionadas a comportamentos e atitudes. Inovação, empreendedorismo, criatividade, gestão, comunicação e oratória são exemplos do que pode fazer a diferença no futuro da advocacia. Afinal, são habilidades que coexistem com a automação de tarefas e processos. 

Por outro lado, as hard skills, que são as competências técnicas, devem passar por constante atualização e reciclagem. Novas leis, decisões e teses surgem com uma frequência inédita, e o advogado do futuro precisa aprender continuamente para se manter eficaz, pois o conhecimento pode rapidamente perder a validade. 

5. Ter um amplo domínio dos princípios 

O advogado do futuro se caracteriza, ainda, por ser alguém que domina os princípios e aprende as questões específicas de acordo com o cenário. Resumidamente, os princípios de uma área não deixam de existir, tampouco perdem validade — o que muda é a extensão de sua realização em cada momento. 

Por isso, em um cenário instável, servem de orientação para o profissional, ainda que as questões específicas mudem. Por exemplo, para quem entende o princípio da ressocialização do preso, não será difícil incorporar as mudanças da progressão de regime do pacote anticrime

A importância da capacitação 

Lidar com esse cenário e ser um advogado do futuro é um grande desafio. Os mais novos terão de construir uma base de clientes ou chamar a atenção de empregadores, enquanto os mais experientes buscarão a reinvenção na área ou a mudança de carreira

Nesse sentido, a pós-graduação em Direito é o melhor caminho para direcionar adequadamente os esforços e facilitar a adaptação ao futuro da advocacia. Na prática, ela atua nos pontos-chave para que você consiga acompanhar as tendências. 

Entender o cenário 

O primeiro benefício é entender o mercado jurídico e as atualidades. As especializações são constantemente revisadas e fornecem essa visão de momento, tanto em relação ao conteúdo quanto à tecnologia e aos métodos de trabalho. 

Estudar os princípios 

Também é uma característica abordar os princípios jurídicos com muito mais profundidade, especialmente aqueles que são essenciais para a atuação, mas vistos apenas de passagem durante a faculdade. Assim, a pós-graduação constrói a base para que você faça o aprendizado contínuo. 

Desenvolver as competências digitais 

No caso da pós a distância, as atividades também servirão para que o advogado se adapte aos meios digitais. No ambiente virtual de aprendizagem, são realizadas tarefas, debates, testes, videoaulas e diversas ações com a tecnologia, logo, indiretamente você se acostuma a essa forma de atuar. 

Escolher um segmento ou nicho de mercado 

Ao identificar uma área em crescimento, você pode usar a especialização para aproveitar as oportunidades. Além disso, o título de especialista ajuda a construir autoridade em um segmento ou nicho de mercado, sendo uma informação que pode constar em sites, redes sociais, cartões de visita, currículo e outros materiais de divulgação. 

Sendo assim, agora que você já conhece as principais tendências do advogado do futuro, procure uma qualificação profissional para entender e preparar-se para o cenário que espera os profissionais nos próximos anos. 

Se quiser entender um pouco mais sobre as habilidades profissionais relevantes, aproveite para entender o que é empreendedorismo jurídico e como ele funciona

Powered by Rock Convert

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você