Você sabe quais são os tipos de pós-graduação? Conheça agora!

  • 18/out/2019

Você sabe quais são os tipos de pós-graduação? Conheça agora!

Continuar investindo nos estudos mesmo após concluir a faculdade é importante não apenas para enriquecer os conhecimentos sobre determinada área, mas também para garantir maior destaque no mundo do trabalho. No entanto, como escolher entre os diferentes tipos de pós-graduação? Quais são as diferenças entre MBA, pós-graduação e especialização?

Quando chega o momento de tomar uma decisão como essa, que será capaz de influenciar todo o futuro profissional de uma pessoa, é comum surgirem dúvidas como: que curso devo fazer? Como escolher a melhor modalidade para impulsionar a minha carreira? É melhor manter o foco no meio corporativo ou me dedicar ao universo acadêmico?

Se você se identificou com esses questionamentos e está em busca de uma força para esclarecê-los melhor, este post foi feito sob medida para você! A seguir, mostraremos as principais diferenças entre a especialização, o MBA e a pós-graduação stricto sensu para ajudar você a conhecer de perto cada uma dessas opções. Assim, é possível escolher com tranquilidade a que mais se enquadra nos seus objetivos pessoais e profissionais. Vamos começar?

O que são cursos lato sensu?

Tanto as especializações quanto os MBAs se enquadram nessa categoria, que é mais ampla e abrange os cursos com menor duração. Eles oferecem conhecimentos mais práticos e que não necessitam de autorização prévia do MEC para serem ofertados pelas faculdades.

Além disso, o aluno ainda tem a possibilidade de escolher entre as modalidades de ensino presencial, híbrido ou a distância, garantindo que a opção escolhida se encaixe melhor em seus horários e otimize sua aprendizagem. Essas características, quando somadas, fazem desses cursos os mais indicados para os profissionais que buscam um diferencial específico para suas carreiras, além de uma formação mais voltada para o cotidiano do mercado de trabalho.

Especialização

De modo geral, os cursos de especialização são uma ótima alternativa para quem quer atualizar seus conhecimentos e aperfeiçoar as habilidades mais específicas em sua área de atuação, garantindo um destaque a mais para o currículo.

Outra vantagem apresentada por esse tipo de formação é que a opção escolhida não precisa estar diretamente relacionada ao segmento profissional atual do candidato, sendo uma ótima oportunidade para quem deseja mudar de área ou explorar novas possibilidades.

A carga horária aqui é de, no mínimo, 360 horas, sem contar os momentos dedicados ao estudo individual, aos trabalhos e à elaboração do trabalho final, se for o caso. Na maioria vezes, esses cursos também são pagos, mesmo nas faculdades públicas.

Vale ressaltar que, na maioria das vezes, o termo pós-graduação — sem o acompanhamento de nenhum adjetivo — é usado como sinônimo de especialização, embora os MBAs também se enquadrem na categoria e existam os cursos stricto sensu.

MBA

O Master of Business Administration, também conhecido simplesmente como MBA, é mais voltado às áreas de negócios e gestão empresarial. Assim, seu principal público são gestores que visam cargos de liderança nas empresas em que atuam, pois esses profissionais precisam aprofundar seus conhecimentos e ampliar o seu networking, seja por meio do contato com outros profissionais ou com professores e alunos em sala de aula.

Por esse motivo, é ideal que os candidatos a esse tipo de curso tenham maior experiência de mercado e uma carreira mais sólida, como grandes executivos, gerentes ou diretores corporativos. Vale lembrar que, embora a duração mínima dos cursos de MBA seja a mesma de uma especialização — ou seja, 360 horas —, os valores costumam ser um pouco mais altos nessa modalidade.

Para garantir que o seu investimento valerá a pena, não deixe de verificar se os índices de qualidade do curso estão de acordo com os critérios definidos pela Associação Nacional de MBA (Anamba).

Por fim, um dado interessante é que a nomenclatura diferenciada em relação às especializações decorre da origem dos cursos. Em países como EUA e Inglaterra, não há três titulações, mas sim duas. Lá, o título de master é mais voltado para o mercado de trabalho, enquanto o de PhD (Philosophiæ Doctor) para a carreira acadêmica.

Isso é diferente do que ocorre no Brasil, onde tanto doutorado como mestrado têm finalidade mais científica. Não por acaso, no momento de equiparar os títulos, os MBAs estrangeiros, via de regra, são incorporados pelas universidades brasileiras como pós-graduações lato sensu.

MBA executivo

Outra modalidade que está bastante em alta no mercado é o MBA executivo. A grande diferença entre essa modalidade e o MBA tradicional é que o curso executivo é voltado para profissionais que já têm certa experiência gerencial em suas áreas de atuação.

A metodologia do curso também varia. Nesse caso, em vez de tratar a gestão como ciência, o MBA executivo atrela os processos gerenciais às práticas e experiências profissionais do dia a dia dos gestores.

Em vez de a sala de aula funcionar como um anfiteatro onde o professor é palestrante, no MBA executivo o processo de aprendizagem se dá em uma espécie de mesa redonda, na qual os gestores — normalmente com mais de dez anos de carreira — compartilham suas próprias experiências em áreas de domínio correlatas.

Para quem são indicados?

O perfil profissional de quem procura uma pós-graduação lato sensu é mais mercadológico. Normalmente, as especializações são recursos para se reciclar, desenvolver competências específicas ou se aprofundar nos conhecimentos de uma disciplina. A ideia é que, ao final do curso, o profissional esteja mais preparado para atuar em um determinado segmento.

Além disso, a modalidade pode ser uma forma de mudar de carreira. Por exemplo, se uma pessoa exerce uma profissão como contratada, mas tem o desejo de empreender, pode ser mais prático realizar uma pós-graduação ou especialização em Administração do que uma segunda faculdade. Tudo dependerá das condições oferecidas.

De todo modo, os cursos são indicados para todos que desejam conseguir os seguintes benefícios:

Qualificar-se profissionalmente

A pós-graduação lato sensu permite ficar ciente dos conhecimentos mais recentes e das tendências de uma área, além de aprofundar os conhecimentos obtidos na faculdade e na vida profissional. O foco é reduzir a lacuna entre as técnicas novas ou mais especializadas e as competências do pós-graduando.

Aumentar a competitividade e o leque de opções

Permite ser um profissional com competências mais raras ou desejadas, abrindo portas dentro da carreira atual ou em novos segmentos. O curso lato sensu é montado por pessoas que conhecem o mercado e, portanto, sabem quais são as demandas. Logo, é indicado para quem pretende crescer profissionalmente.

Enfrentar os desafios do dia a dia

Ideal para desenvolver as competências e resolver problemas da posição exercida ou de posições futuras. Isto é, o curso não visa teorizar sobre as questões, mas gerar ferramentas concretas para o mercado profissional. Em muitos casos, há especializações preparadas para o exercício de funções específicas, como as pós-graduações em Docência e a de Mediação de Conflitos e Arbitragem.

Auxiliar no autodesenvolvimento

Oferece suporte para o aluno continuar os estudos e desenvolver novas competências. Muitas vezes, as pessoas sentem dificuldades para aprender sozinhas, seja em razão das dúvidas, seja em razão de desconhecer as tendências de uma disciplina. Logo, elas precisam de suporte para impulsionarem seu autodesenvolvimento.

O que são cursos stricto sensu?

Diferentemente das modalidades de lato sensu, os cursos stricto sensu necessitam da aprovação prévia da Capes e do reconhecimento do Ministério da Educação (MEC) para serem oferecidos pelas instituições de ensino.

Além disso, eles são mais direcionados para quem busca seguir uma carreira acadêmica, dando ao profissional a possibilidade de atuar como professor ou pesquisador em instituições de ensino superior. Confira abaixo as opções disponíveis para quem opta por essa modalidade:

Mestrado

Com duração de cerca de dois anos a dois anos e meio, os cursos de mestrado têm duas subdivisões diferentes:

  • mestrado acadêmico: esse tipo de mestrado é mais direcionado para a formação de pesquisadores e professores que atuarão dentro da própria universidade, ministrando aulas ou liderando projetos de pesquisa voltados a sua área de conhecimento;
  • mestrado profissional: regulamentado apenas a partir de 2009, trata-se de uma modalidade mais recente e de atuação mais prática. É indicado para quem já possui alguma experiência anterior no mercado de trabalho e está em busca de ampliar a sua qualificação profissional.

Independentemente da escolha, os alunos poderão contar com um auxílio financeiro fornecido pela própria instituição de ensino ou por fundações de pesquisa e fomento, como o CNPq, a Capes ou a Fapesp.

Doutorado

Para os alunos que já finalizaram o mestrado e têm o objetivo de se aprofundar um pouco mais na temática defendida na dissertação, o próximo passo é investir em um doutorado. Uma vez que essa modalidade exige dedicação exclusiva dos estudantes, as faculdades também costumam oferecer bolsas de estudo e outros auxílios financeiros durante o curso, que tem uma duração de cerca de quatro ou cinco anos.

Além de ser um pré-requisito obrigatório para quem almeja se tornar professor no ensino superior, um curso de doutorado permite que você se torne cada vez mais especializado em sua área de conhecimento, abrindo as portas para um pós-doc e aumentando as chances de avançar sua pesquisa dentro do universo acadêmico.

Para quem são indicados?

Diferentemente do caso anterior, o perfil aqui é mais investigativo. Tanto doutores como mestres contribuem para produção científica nas disciplinas escolhidas. Não há, portanto, a tendência de formar um profissional para o mercado. A seguir, conheça os principais benefícios da pós-graduação stricto sensu:

Trabalhar com produção científica

Permite atuar com o desenvolvimento de dissertações e teses sobre determinados objetos de estudo. Note que o papel principal dos mestrandos e doutorandos é o trabalho intelectual. O foco não é formá-los para o exercício de uma atividade, mas para a produção de conhecimento, reflexão teórica e pensamento crítico.

Atuar no universo acadêmico

Os cursos stricto sensu possibilitam lecionar no ensino superior e orientar outros pesquisadores em trabalho científico, a depender das necessidades de cada instituição de ensino. A maior vantagem, nesse caso, é que as universidades precisam manter, no mínimo, 1/3 do corpo docente composto de mestres ou doutores, logo, há boa demanda.

Tornar-se uma autoridade em um determinado tópico

Os cursos de mestrado e doutorado permitem desenvolver uma pesquisa sobre um tema muito específico e, a partir de então, ser reconhecido como uma autoridade no assunto. Resumidamente, como o foco desse segmento é bastante restrito, é comum que poucas pessoas dominem, a fundo, o tema de uma dissertação de mestrado ou tese de doutorado.

Quais são os requisitos dos diferentes tipos de pós-graduação?

Os cursos não estão formalmente distribuídos como uma escada, partindo da pós-graduação lato sensu, passando pelo mestrado e chegando ao doutorado. Não há impedimentos legais para iniciar diretamente por um título stricto sensu.

A questão é que, em muitos casos, ter uma formação anterior facilita o ingresso nas universidades. Em provas de títulos, por exemplo, o candidato com uma especialização estará em vantagem em relação aos profissionais sem nenhuma qualificação além da graduação.

Por outro lado, é interessante notar que, em muitos casos, a especialização pode ser mais valiosa do que o mestrado ou doutorado. Afinal, é perfeitamente possível que uma função exija competências mais próximas da grade de um curso lato sensu, porque são programas mais aderentes às necessidades do mercado.

Sendo assim, a escolha está muito mais ligada ao plano de carreira do que, propriamente, à superioridade de uma formação em relação à outra.

Qual é o melhor caminho?

Ciente das diferenças e semelhanças entre MBA, especialização, mestrado e doutorado, é preciso saber qual a motivação para continuar os estudos. Em síntese, você pretende melhorar sua posição no mercado ou seguir uma carreira mais acadêmica?

Uma das formas de avaliar o melhor caminho é utilizar o quadro de perdas e ganhos. Para tanto, considere as opções e responda as questões abaixo:

  • O que eu ganho se fizer isso?
  • O que eu perco se fizer isso?
  • O que eu ganho se não fizer isso?
  • O que eu perco se não fizer isso?

Em muitos casos, vale ressaltar, a pós-graduação lato sensu pode ser uma etapa anterior ao mestrado ou doutorado, embora não exista nenhuma obrigação nesse sentido. A vantagem é efetivamente dominar o conteúdo de uma disciplina, alcançando uma alta especialização, antes de atuar com a pesquisa científica.

Outro ponto importante é conhecer os programas e as grades dos cursos. Ao visualizar os tópicos mais de perto, você terá maior clareza quanto ao caminho que atende efetivamente às suas expectativas pessoais e profissionais.

Pós-graduação a distância

De alguns anos para cá, as pós-graduações a distância se tornaram grandes tendências de ensino. Afinal, além de permitirem maior capacitação dos alunos, possibilitam uma rotina mais flexível de estudos, sendo ideais para quem já atua no mercado de trabalho e tem pouco tempo para se dedicar às aulas.

A imensa variedade de cursos e as mensalidades que cabem no bolso são diferenciais desse tipo de pós-graduação que vem conquistando cada vez mais estudantes de diversas áreas. O material didático é bastante acessível e permite que o aluno monte seu próprio cronograma de estudos, otimizando sua rotina pessoal e profissional.

Diferença entre a modalidade presencial e a distância

A diferença básica entre as duas modalidades de ensino é que, na presencial, todas as atividades do curso ocorrem dentro de sala de aula, enquanto que, na modalidade a distância, o processo de aprendizagem se dá no ambiente virtual. A interação nesse tipo de ambiente também difere um pouco do que acontece na sala de aula tradicional, onde as dúvidas são tiradas presencialmente com o professor.

Na pós a distância, geralmente existem horários específicos para que os alunos entrem em contato com o professor, comunicando-se via internet nos momentos de transmissão das aulas, por exemplo. Quanto à frequência nas atividades, ela não é tão rígida como nas modalidades presenciais. Ou seja, no ambiente virtual a dedicação ao curso vai depender mais do autodesenvolvimento do próprio aluno.

Como funciona a pós a distância?

Um curso de pós-graduação a distância divide-se em módulos que geralmente duram seis meses, assim como nas modalidades presenciais. Quando o aluno faz a matrícula, ele recebe uma senha de acesso ao portal para, então, iniciar seus estudos.

Nessa plataforma, ele terá acesso aos conteúdos de cada módulo do curso, com materiais disponibilizados em formato multimídia: textos, slides, vídeos, arquivos de áudio, infográficos etc., a depender da instituição de ensino. Os conteúdos ficam disponíveis por tempo determinado, caso o aluno queira baixá-los para revisar futuramente.

Existe um calendário com as datas limites para a visualização do material referente ao semestre, além das datas de cada atividade proposta e das interações com os professores responsáveis pelas disciplinas. Para encerrar um módulo e começar o seguinte, o aluno precisará passar por uma avaliação de desempenho.

No final do curso, normalmente os estudantes precisam apresentar um trabalho de conclusão, que contempla todos os conteúdos apreendidos durante o percurso da pós-graduação. Após concluir todas essas etapas, é gerado o certificado, que tem o mesmo peso de uma pós realizada presencialmente, desde que você esteja contando com uma instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

5 benefícios de se estudar a distância

Vamos apresentar a seguir as maiores vantagens de se investir nessa modalidade de ensino. Confira:

1. Flexibilidade de horário

Sem dúvida, esse é o maior benefício da pós-graduação a distância. Sem horários predefinidos para a realização das aulas, o aluno fica livre para montar seu próprio cronograma de estudos conforme as demandas da sua rotina. Assim, dá para equilibrar tranquilamente trabalho, estudo e tarefas domésticas, além, é claro, dos momentos de descanso e lazer.

2. Economia

Outra grande vantagem dessa modalidade de ensino é que o custo é reduzido em comparação às pós-graduações presenciais. Além de as mensalidades serem mais acessíveis, o aluno também garante uma boa economia no bolso já que não precisará arcar com deslocamento até a instituição, assim como refeições, cópia de materiais e outros gastos típicos dos cursos com presença fixa.

3. Maior variedade

Esse tipo de pós-graduação geralmente tem um currículo mais amplo, ofertando cursos em diversas áreas de conhecimento, incluindo aí modalidades lato e stricto sensu. Assim, não vai ser difícil encontrar um curso totalmente compatível com o que você procura para aprimorar suas habilidades e impulsionar sua carreira, seja no mercado, seja no universo acadêmico.

4. Certificado reconhecido

O certificado que é emitido ao final de um curso de pós-graduação a distância tem exatamente o mesmo peso dos que são oferecidos em cursos presenciais. A única ressalva é que o aluno precisa estar atento quanto à instituição de ensino escolhida. Para ter seu currículo valorizado no mercado, é fundamental escolher uma pós-graduação reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

5. Autonomia

A questão da autonomia nos estudos tem muito a ver com a flexibilidade adquirida em um curso a distância. Ao fazer seu próprio calendário, o aluno consegue ter mais autonomia para gerenciar sua rotina, definindo as prioridades do seu dia a dia e direcionando as tarefas da pós para aqueles horários em que está mais focado e produtivo.

Pós-graduação híbrida: como funciona?

Como vimos, a pós-graduação a distância permite certa flexibilidade ao aluno, sendo uma opção muito viável para quem dispõe de pouco tempo para os estudos. Existe ainda outra modalidade que se encaixa muito bem nesse perfil: a pós-graduação híbrida, que nada mais é do que um curso que reúne atividades presenciais e a distância, envolvendo teoria e prática.

Embora seja incluído na modalidade de pós a distância, o curso híbrido é dotado de características particulares, como uma porcentagem predefinida de atividades presenciais. A dinâmica de funcionamento pode variar conforme a instituição de ensino, mas, geralmente, a carga horária presencial é menor do que aquela destinada às atividades a distância.

Isso porque o foco desse tipo de pós é atender estudantes que já estão inseridos no mercado de trabalho ou que têm uma jornada exaustiva com a rotina familiar, o que acaba resultando em pouco tempo de sobra para se dedicar aos estudos.

As aulas presenciais costumam ocorrer apenas uma ou duas vezes na semana — ou mesmo quinzenalmente, no caso de algumas instituições. Isso já permite uma enorme flexibilidade ao aluno, que não precisa se preocupar com o deslocamento diário até os centros de ensino.

Os encontros são oferecidos nos polos de apoio, todos devidamente equipados e com toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento da grade curricular oferecida. Nesses momentos, a interação com os professores tende a ser mais proveitosa, já que os estudantes poderão conversar com eles pessoalmente e esclarecer as eventuais dúvidas.

Por fim, lembre-se de que, para qualquer uma das modalidades de curso que apresentamos aqui, os critérios de seleção costumam variar de acordo com as regras de cada instituição de ensino.

Então, em todos os tipos de pós-graduação, é muito importante consultar os editais de processo seletivo — quando houver —, assim como as ementas dos cursos e informações sobre a infraestrutura e o corpo docente da faculdade. Só assim você fará uma escolha ainda mais objetiva e consciente!

Ficou interessado e quer escolher a pós-graduação ideal para você? Entre em contato conosco e conheça as melhores opções de curso!

Precisa de mais informações?

Preencha seus dados que um consultor irá entrar em contato com você